Pesquisar

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Belo Horizonte ganha nova planta solar fotovoltaica

Energia produzida será utilizada nas instalações da Fapemig.

A Capital Mineira vai ganhar uma nova planta de geração solar fotovoltaica, fruto de um Convênio de Cooperação Técnica e Financeira entre a Companhia Energética de Minas Gerais e a Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig).

A nova instalação, que será construída na área da sede da Fundação, em Belo Horizonte, irá produzir energia que será utilizada nas próprias instalações da Fapemig, e visa reduzir os gastos com energia elétrica, além de servir com o piloto e indutor da inserção dessa tecnologia no mercado nacional.

O projeto prevê a instalação de 630 módulos fotovoltaicos com potência total estimada em 157 kW, o que proporcionará a geração de 219 MWh / ano, equivalentes ao consumo de 150 residências.

O Convênio, assim como um contrato de prestação de serviços de engenharia entre a Fapemig e a Efficientia SA, subsidiária integral da Cemig que será responsável pelo acompanhamento e gestão do projeto, foram assinados nessa quarta-feira (30), da sede da Concessionária.

Para a instalação da planta serão investidos R$ 840 mil com recursos do Programa de Eficiência Energética da Cemig, que serão reembolsados pela Fapemig com base na energia gerada.

Fonte e demais informações: http://www.odebate.com.br/energia-para-a-vida/belo-horizonte-ganha-nova-planta-solar-fotovoltaica-30-10-2013.html 

Mini-ônibus espacial cai durante teste

Mini-ônibus espacial cai durante teste: O voo automático, sem tripulantes, ocorreu normalmente, mas o trem de pouso direito da nave não desceu e ela caiu na pista.

Exoplaneta de lava derrete teorias astronômicas

Exoplaneta de lava derrete teorias astronômicas: Nada como uma boa observação para ajudar a melhorar as teorias.

Realidade aumentada torna transparente carro que vai à frente

Realidade aumentada torna transparente carro que vai à frente: Isso é muito útil sobretudo se o que está à sua frente é um ônibus ou caminhão e você planeja ultrapassá-lo.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Medidas para agilizar o transporte coletivo de São Paulo confundem os passageiros

Criados para dar mais velocidade ao transporte coletivo, os corredores de ônibus não deram conta de tanto movimento. A prefeitura de São Paulo decidiu deixar espaço exclusivo só para as linhas mais longas, mas a informação ao usuário foi precária.

Fonte, vídeo e demais informações: http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-nacional/t/edicoes/v/medidas-para-agilizar-o-transporte-coletivo-de-sao-paulo-confundem-os-passageiros/2918965/

MEC divulga mapa de cursos de graduação no Brasil

O Sudeste tem quase metade dos cursos do ensino superior. Mas as regiões Norte e Nordeste se destacaram em relação ao crescimento do número de matrículas.

Fonte, vídeo e demais informações: http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-nacional/t/edicoes/v/mec-divulga-mapa-de-cursos-de-graduacao-no-brasil/2921534/

Túnel submarino vai ser inaugurado na Turquia

O túnel ferroviário vai passar por baixo do Estreito de Bósforo, que separa a parte asiática e a europeia de Istambul. Esse vai ser o primeiro túnel submarino a ligar dois continentes.

Fonte e vídeo e demais informações: http://globotv.globo.com/rede-globo/bom-dia-brasil/t/edicoes/v/tunel-submarino-vai-ser-inaugurado-na-turquia/2919487/

UFOP lança histórico escolar traduzido para o inglês

25-Out-2013
Mariana Borba
Nesta sexta-feira, 25 de outubro, o histórico escolar em inglês de uma aluna de Engenharia Geológica foi assinado pela primeira vez após ser elaborado pelo sistema de tradução promovido pela Coordenadoria de Assuntos Internacionais (Caint), juntamente com a Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) e o Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI).

O sistema, em fase experimental, possibilita a emissão do histórico escolar traduzido para a língua inglesa e está disponível para alunos de 25 cursos da UFOP. O Reitor, professor Marcone Jamilson Freitas Souza, foi quem assinou o documento que, por enquanto, não possui certificação digital. O reitor afirma que a iniciativa faz com que a Universidade galgue mais um degrau rumo ao processo de consolidação da internacionalização. 

A Coordenadora Institucional do Ciência sem Fronteiras da UFOP, professora Christianne de Lyra Nogueira, afirma que o custo da tradução para o aluno é muito grande e, quando o documento é emitido pela Universidade, há garantia da qualidade. A professora ainda conta que, no começo do projeto, o aluno estruturava as disciplinas e a Caint conferia todas as informações a serem traduzidas. Ao identificarem algumas dificuldades, a UFOP tomou a responsabilidade de certificar as traduções e depois fornecê-las.

A elaboração foi feita, inicialmente, para estudantes do programa Ciência sem Fronteiras, já que a documentação traduzida para o inglês é obrigatória e é de responsabilidade do aluno. O NTI pretende disponibilizar, até janeiro de 2014, o histórico traduzido para todos os alunos, inclusive os que já tenham se formado. A tradução de quase três mil disciplinas nos históricos passou para sete mil, recentemente. Em apenas dez dias, no mês de setembro, foram traduzidos 96 históricos dos alunos aprovados na última homologação do mês de julho.

Insegurança faz parte da rotina de estudantes de universidades em São Paulo

A concentração de estudantes nos horários de entrada e saída em algumas universidades tem chamado a atenção de ladrões em São Paulo. Uma quadrilha fez um arrastão em uma instituição particular.

Fonte, vídeo e demais informações: http://globotv.globo.com/rede-globo/bom-dia-brasil/t/edicoes/v/inseguranca-faz-parte-da-rotina-de-estudantes-de-universidades-em-sao-paulo/2921894/

Projeto europeu quer desenvolver impressão 3D de peças de metal

A Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) lançou nesta terça-feira em Londres um projeto de 20 milhões de euros (cerca de R$ 59 milhões) para "levar a impressão 3D para a era do metal", construindo peças para aviões e naves espaciais e projetos de fusão nuclear.
O Projeto Amaze (acrônimo em inglês de "fabricação aditiva com o objetivo de fabricar produtos de metal de alta tecnologia com produção eficiente e zero desperdício") reúne 28 parceiros europeus, entre eles empresas como Airbus, Astrium e Norsk Titanum, e instituições acadêmicas como a Universidade Cranfield, do sul da Inglaterra.
Algumas peças de motores e partes de asas de avião de até 2 metros de comprimento já começaram a ser fabricadas por pesquisadores usando a tecnologia. Mas, agora, fábricas estão sendo preparadas em cinco países (França, Alemanha, Itália, Noruega e Reino Unido) para alimentar uma cadeia de produção em escala industrial...

Polícia nos EUA testa bala com GPS em perseguições

Atualizado em  30 de outubro, 2013 - 10:35 (Brasília) 12:35 GMT

Policiais de quatro Estados americanos estão utilizando uma bala com GPS (Sistema de Posicionamento Global), que facilita a localização de veículos perseguidos.
A ideia por trás da tecnologia, que ganhou o nome da empresa que a desenvolveu, a Starchase, é tornar perseguições policiais em alta velocidade mais seguras, permitindo que a polícia monitore o trajeto dos suspeitos sem colocar vidas em risco...

Cientistas utilizam fezes humanas para criar energia

Novidade pode resultar em uma solução inesperada para o trabalho com energia limpa e de fonte ilimitada

Isto pode parecer algo nojento a princípio, mas você já imaginou que os seus excrementos — e estamos falando de fezes e urina — podem ser utilizados para realizar diferentes tarefas? Um exemplo disso é o fato de que já é possível carregar o seu celular com a parte líquida dos seus dejetos, como é possível conferir clicando aqui.
Agora, a novidade é que pesquisadores da Nanyang Technological University de Cingapura também criaram um método para que “os sólidos” tenha um destino mais digno do que o esgoto. E, por mais incrível que possa parecer para alguns, esse esforço resultou em uma nova maneira de se criar energia.
O nome da criação é No-Mix Vacuum Toilet, sendo que a função dela é a de utilizar as fezes das pessoas para obter energia limpa. Isso é feito através de um sistema a vácuo que separa a urina do que é sólido. Com isso, o material separado é processado e “transformado” em biogás, enquanto o que é líquido passa por processos químicos para virar fertilizante.
Uma grande chance para o futuro
De acordo com o que foi divulgado, o aparelho deve ficar conectado ao vaso sanitário de alguma maneira. Desse modo, é possível comprimir o biogás para a utilização em automóveis ou aeronaves — as possibilidades de utilização são enormes, já que o produto pode servir de fonte de energia para diversos tipos de aparelho.
Ainda não se sabe ao certo como isso vai ser feito, mas a novidade abre portas para que um novo tipo de trabalho com energia limpa surja. Além disso, como dejetos deste gênero são produzidos todos os dias e de forma necessária, a fonte para a produção é infinita e não atinge o meio ambiente — ou seja, a solução para a questão de um tipo de energia do futuro talvez venha do seu banheiro.
Fonte: BBC , Dvice

Indústria carece de técnicos e engenheiros

A falta de trabalhadores qualificados é um problema em 65% das indústrias brasileiras, apontou uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira (28) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O levantamento levou em conta os segmentos extrativo e de transformação — foram consultados 1.761 empresas de pequeno, médio e grande portes. O estudo também indicou que, para suprir essa necessidade, 81% das companhias investem em capacitação própria dos funcionários. 
 
O gerente executivo de Pesquisa da CNI, Renato da Fonseca, explicou que, por causa da escassez de mão de obra qualificada, há um “aprofundamento das dificuldades em aumentar a produtividade, o que se reflete em perda de competitividade da indústria brasileira no mercado global”. Ele ressaltou ainda que a situação se perpetua em um cenário no qual a atividade registra um baixo crescimento. “À medida que o setor voltar a crescer, o problema vai se acirrar”, disse Fonseca.
 
Além de capacitar os próprios trabalhadores, 43% das empresas optam por fortalecer a política de retenção de mão de obra, com o aumento de salários e a oferta de benefícios. Outra medida adotada por 38% das companhias é a qualificação por meio de cursos fora do ambiente laboral. O problema de falta de força de trabalho só diminuiu nas empresas de pequeno porte, segundo a pesquisa. 
 
De 2011 para 2013, passou de 68% para 61% o porcentual de indústrias pequenas que declararam ter essa dificuldade. Uma das razões, segundo a CNI, é a redução mais acentuada da atividade dessas empresas e o consequente recuo da demanda por trabalhadores. Entre as companhias de médio porte, 66% enfrentam esse obstáculo — o mesmo índice de dois anos atrás. Nas grandes, houve aumento de 66% para 68%. 
 
Requisitados
 
Entre os profissionais mais requisitados, estão os operadores e os técnicos para a produção, além de funcionários da área administrativa, da de marketing, engenheiros, gestores e especialistas em pesquisa e desenvolvimento. A engenheira de produção Fabiane Oliveira Machado, 27 anos, sabe bem disso. Ela conquistou a oportunidade de estagiar em uma multinacional ainda no quarto semestre de graduação. Seis meses depois, na segunda metade de 2010, ela já estava contratada. 
 
“A demanda do setor é grande, e percebi que era um mercado carente de profissionais”, disse ela. Desde que se formou, em julho deste ano, Fabiane recebeu três ofertas de emprego para trabalhar na área, mas recusou, pensando em crescer na empresa que primeiro lhe abriu as portas. “Agora, quero começar uma pós-graduação no próximo ano. Sei da importância de me capacitar ainda mais”, afirmou.
 
Por Antonio Temóteo/ Correio Braziliense

Aeronave híbrida é misto de tudo o que voa

Aeronave híbrida é misto de tudo o que voa: Esta será uma das reviravoltas mais radicais na história da aviação.

Tradutor cérebro-sensor para próteses robóticas sensíveis

Tradutor cérebro-sensor para próteses robóticas sensíveis: Os algoritmos traduzem os sinais dos sensores em sinais neurais, e vice-versa.

Demonstração histórica estabelece comunicação espacial a laser

Demonstração histórica estabelece comunicação espacial a laser: A comunicação espacial a laser funciona, e funciona bem.

Descobertas computações sub-neurais no cérebro

Descobertas computações sub-neurais no cérebro: Se o cérebro humano pode mesmo ser comparado a um computador, então ele é um computador muito mais poderoso do que se calculava.

Fotossíntese artificial sustentável está a 0,2 V da realidade

Fotossíntese artificial sustentável está a 0,2 V da realidade: A esperança é que a fotossíntese artificial possa garantir todas as necessidades de energia da civilização humana.

FGV e USP estão entre as universidades preferidas por recrutadores

Oxford, do Reino Unido, é a instituição de ensino que forma os melhores funcionários do mundo, aponta estudo

RIO - A Universidade de Oxford, do Reino Unido, é a instituição de ensino preferida pelos recrutadores, segundo o estudo anual Global Employability Survey", realizado pela consultoria francesa em educação Emerging em parceria com o instituto de pesquisa alemão Trendence. A americana Harvard e a Universidade de Cambridge, também do Reino Unido, aparecem em segundo e terceiro lugares do ranking desta terceira edição do estudo, que engloba 20 países, entre eles o Brasil. Até a 10ª posição, completam a lista a Universidade de Stanford (EUA), Massachusetts Institute of Technology — MIT (EUA), Universidade de Princeton (EUA), Universidade de Columbia (EUA), Universidade de Yale (EUA), California Institute of Technology — Caltech (EUA) e Universidade de Tóquio (Japão).
Duas instituições brasileiras aparecem no ranking das 150 universidades que formam os melhores funcionários no mundo, publicado pelo The New York Times: a Fundação Getulio Vargas (FGV), que está em 93ª posição, e a Universidade de São Paulo (USP), no 113º lugar, ocupando posições similares às do ano passado. A FGV e a USP são as mais bem colocadas na América Latina. Apenas duas outras instituições da região entram na lista: as mexicanas Tecnológico de Monterrey, na 120ª posição, e a Universidade Nacional Autónoma de México, em 126º lugar.
A pesquisa também procurou saber como a universidade de formação afeta as chances de um candidato no processo seletivo. No Brasil, 31% dos recrutadores dizem que a universidade é o principal critério na hora de selecionar um candidato recém-formado, enquanto 51% consideram esse apenas um dos fatores importantes. Para eles, aspectos como experiência profissional têm o mesmo peso.
Ainda assim, os recrutadores brasileiros são os que mais valorizam a reputação e imagem da instituição onde o candidato estudou durante o recrutamento – 32% selecionaram esse critério como base da busca por profissionais. Em seguida, 25% avaliam a qualidade dos professores e pesquisadores da universidade e 21% se baseiam na experiência que já tiveram com outros alunos da mesma instituição. Esse último critério é o que lidera na média global.
Os entrevistados também selecionaram quais países produzem os melhores profissionais recém-saídos da universidade. Na liderança, aparecem os Estados Unidos, seguidos do Reino Unido e da Alemanha. O Brasil ficou na 17ª posição, na frente apenas da Malásia, México e Turquia.

Grandes empresas de tecnologia estão contratando no Brasil

O GLOBO (EMAIL)

Publicado: 29/10/13 - 9h05  Atualizado: 29/10/13 - 9h22

RIO - Grandes empresas da área de tecnologia estão com vagas abertas no Brasil e em diversos outros países. São dezenas de oportunidades em diferentes áreas, inclusive para estágio.
No Facebook, por exemplo, há postos em diversas cidades do mundo, e, no caso do Brasil, são 20 em São Paulo, tais como engenheiro, especialista em mídia social, advogado especialista em direito internacional e gerente de contas, entre outros (confira o perfil das vagas a página de emprego da rede social).

Além das vagas efetivas, o Facebook Brasil está oferecendo vagas para o Estagiários@Facebook, projeto-piloto que tem como objetivo principal desenvolver talentos para as áreas de negócios da companhia no país. Inicialmente, serão abertas 10 vagas no escritório de São Paulo, nas áreas de negócios. Metade das posições fará parte da equipe de pequenas e médias empresas. Criado no Brasil, este é o primeiro projeto de desenvolvimento de talentos com duração de um ano entre os escritórios do Facebook em todo o mundo. Podem participar estudantes com graduação prevista para 2014, nos cursos de administração de empresas, ciências econômicas, publicidade, propaganda e marketing. Ao final do período de um ano, o candidato pode conseguir uma vaga fixa na empresa de acordo com o seu desempenho como estagiário. Os candidatos devem ter o inglês avançado ou fluente e o processo seletivo será composto de testes on-line, check-up de competências e entrevistas presenciais.
A rede social também está contratando em Londres, onde oferece 40 vagas. Já no escritório de Nova York serão preenchidos 28 postos, enquanto que em Buenos Aires estão abertas cinco vagas e no de Paris, quatro (confiraaqui o perfil das vagas pelo mundo).
Na Apple, as oportunidades são para varejo, engenharia de software — área que conta com equipes que incluem não só engenheiros especializados e gerentes de projeto, mas também músicos, cineastas e artistas digitais —, finanças, entre outras. No momento, há 19 vagas abertas, entre elas, de engenheiro de soluções que, entre suas atribuições deverão ajudar os clientes a introduzir a tecnologia da Apple em suas empresas. Há ainda oportunidades para gerente e especialista em negócios, iTunes Administrator, líder corporativo, gerente e líder de loja, entre outras. Confira todas as vagas na página de empregos da empresa.
Já na Microsoft, são 18 vagas abertas no Brasil, a maioria em São Paulo, nas áreas de marketing, vendas, suporte, entre outras. Há oportunidades de gerente de programação, engenheiro de campo e de suporte, entre outras. A empresa também oferece vagas na Argentina, Austrália, Canadá, Costa Rica, França, entre muitos outros países. Veja a lista completa e os requisitos nosite da Microsoft.
Além das vagas efetivas, a Microsoft do Brasil também está com inscrições abertas para seu programa de estágio, que é direcionado a estudantes com formação prevista entre dezembro de 2014 e julho de 2015. Para participar, é necessário cursar administração, ciências da computação, direito, economia, engenharias, jornalismo, marketing, publicidade, relações internacionais ou sistemas de informação. Os candidatos devem ter fluência em inglês e disponibilidade para trabalhar até 30 horas semanais. As inscrições podem ser feitas até o dia 30 deste mês, pelo site do programa de estágios da Microsoft.
Google, por sua vez, oferece 20 vagas nos escritórios de São Paulo e de Belo Horizonte. Em São Paulo, as oportunidades são para as áreas de comunicação e marketing, administração, recrutamento, entre outras. Entre os cargos oferecidos estão engenheiro de rede, assistente administrativo e gerente de seguros regional. Confira todas as posições abertas na página da empresa. Já em Belo Horizonte, são três oportunidades para a área de engenharia de software. Mais informações no site.
A rede social Instagram, que pertence ao Facebook, também está contratando em São Paulo e em outras cidades lá fora, como Seattle, Nova York, Dublin, Soul, Milão e Bruxelas. As oportunidades na capital paulista são para gerência de produto, enquanto que, nos outros países, há vagas para design de produto, engenharia mobile, engenharia de infraestrutura, gerência de comunicação e tecnologia e gerência de comunicação internacional. Confira todas as oportunidades no site do Instagram.

Cresce número de artigos científicos 'despublicados' por fraude ou erro

REINALDO JOSÉ LOPES
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA


Nunca tantos artigos científicos foram publicados e nunca foi tão fácil ter acesso a eles de graça. São notícias aparentemente ótimas, mas dois levantamentos recentes indicam que o efeito colateral desses avanços é uma explosão no número de estudos fraudados, plagiados ou simplesmente muito ruins.

Uma das maneiras de medir isso é a análise das "retratações", nome dado às pesquisas "despublicadas" por problemas éticos ou erros.

Em artigo na revista científica "PLoS ONE", pesquisadores nos EUA apontam que, de 2003 a 2012, o número de artigos retratados (1.333 numa das principais bases de dados do setor, a PubMed) foi quase o dobro do que se viu entre 1973 e 2002 (só 714).

Dos anos 1970 para cá, a produção científica cadastrada na PubMed praticamente quadruplicou, mas os artigos "retratados" cresceram em ritmo ainda mais forte, chegando perto de ficar seis vezes mais comuns...

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Kit de código aberto para implementação da Internet das Coisas

Kit de código aberto para implementação da Internet das Coisas: A nova plataforma oferece conectividade IPv6 direta para qualquer sensor.

Grafeno liga e desliga o magnetismo

Grafeno liga e desliga o magnetismo: A possibilidade de criar transistores magnéticos tem sido vista como o santo graal da spintrônica.

Termocélula transforma calor de chaminés em eletricidade

Termocélula transforma calor de chaminés em eletricidade: Que tal transformar o aquecimento, sobretudo o local, em uma nova fonte de energia?

Motorola anuncia Ara, um projeto aberto de hardware

RIO - Depois do Moto X Maker, a Motorola Moblity — uma empresa do Google — deu novo passo na customização de smartphones. A empresa anunciou nesta terça-feira o Ara, uma plataforma de hardware já sendo trabalhada há cerca de um ano e que é totalmente aberta à personalização, permitindo que o usuário mais habilidoso desenvolva seus próprios smartphones.
"Nós queremos fazer pelo hardware o que a plataforma Android tem feito pelo software: criar um ecossistema de desenvolvedores de terceiros vibrante, diminuir as barreiras para quem quiser entrar, aumentar o ritmo de inovação e comprimir substancialmente prazos de desenvolvimento", disse a Motorola em um post em seu blog oficial, explicando que se trata de uma iniciativa derivada de sua campanha com seus meses de duração em que, usando o caminhão “Sticky”, realizou um tour pelos EUA fazendo demonstrações práticas (make-a-thons) de seus produtos.
Segundo o site “TheNextWeb”, a Motorola diz que vai começar a convidar os desenvolvedores a criar módulos para o ambicioso projeto em poucos meses, enquanto trabalha com Dave Hakkens, o criador do Phonebloks, e com a comunidade Phonebloks para explorar as possibilidades de smartphones totalmente personalizáveis. Um vídeo ilustra bem o conceito, em <http://goo.gl/io6Ba5>.
“Nosso objetivo é conduzir uma relação mais pensativa, expressiva e aberta entre usuários, desenvolvedores e seus telefones. Para dar a você, usuário, o poder de decidir o que o seu telefone faz, como ele parece, do que e onde é feito, quanto custa e quanto tempo você vai ficar com ele”.
O Projeto Ara inclui “endos” (de endoesqueleto) e “módulos”. Os módulos são as “faíscas criativas” — um processador, bateria ou teclado — enquanto os endos mantêm o dispositivo coeso e lhe dão forma.

Micro-ondas reverso’ gela bebidas em segundos

RIO – A invenção dos fornos de micro-ondas domésticos permitiu preparar e esquentar refeições em questão de minutos, mas gelar a bebida para acompanhar o almoço ou jantar continuou sendo um processo demorado. Mas agora um “micro-ondas reverso” desenvolvido pela empresa britânica V-Tex com financiamento da União Europeia promete fazer o serviço de horas de geladeira em segundos, economizando tempo e energia.
Segundo a V-Tex, o aparelho criado por ela pode gelar bebidas em vários tipos de embalagem e em diferentes temperaturas. Para isso, ele cria um vórtice de líquido em baixíssima temperatura, como água, em torno da bebida e agita para acelerar o processo. A grande inovação, no entanto, é que a maneira como esta agitação é feita não faz com que bebidas carbonadas, como refrigerantes e vinhos espumantes, “estourem” ao serem abertas.
Ainda de acordo com a V-Tex, a tecnologia pode gelar uma lata de refrigerante ou cerveja a 5 graus Celsius em cerca de 45 segundos, o que levaria mais de 20 minutos se ela fosse simplesmente submersa em água a uma temperatura próxima do congelamento. Segundo a empresa, a aparelho consome 80% menos energia do que os equipamentos usados atualmente para fazer este tipo de trabalho.

IBM abre mais de 200 vagas em TI no Brasil

Com mais de 398.455 colaboradores, a IBM é a maior empresa da área de TI no mundo. Conduzindo seus negócios com a finalidade de entregar ao mundo tecnologia que beneficie a população e ajude a resolver problemas da sociedade.


As atividades da IBM se estendem hoje por mais de 170 países, com fábricas e laboratórios funcionando em 15 deles. Essas fábricas estão integradas aos laboratórios de desenvolvimento na França, Alemanha, Espanha, Itália, Holanda, Suécia, Inglaterra, Brasil, Argentina, Colômbia, México, Canadá, Austrália e Japão.
A empresa disponibiliza mais de 200 vagas em várias cidades brasileiras, segue abaixo alguns locais.
Belem (1) , Belo Horizonte (3), Brasilia (7), Curitiba (1), Fortaleza (2), Hortolandia (57), Joinville (1), Porto Alegre (5), Recife (2), Rio De Janeiro (15), Salvador (1), São Paulo (56), Uberlandia (1).

Para canditar-se acesse o link a seguir, escolha a cidade e preencha com as informações necessárias.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Edição nº 06 - Espaços Confinados

Seja bem-vindo (a) - Nesta edição, o pesquisador da Fundacentro Francisco Kulcsar fala sobre o processo de adaptação das empresas aos requisitos da NR-33, após quase um ano de vigência da norma que regulamenta o trabalho em espaços confinados. No quadro Fique por Dentro, uma dica de onde você pode encontrar informações completas e atualizadas sobre segurança e saúde no trabalho em qualquer atividade - a Biblioteca da Fundacentro, que conta com o maior acervo da América Latina na área. Confira!





Espelhos gigantes iluminam cidade que ficava na sombra durante o inverno

A cidade de Rjukan, na Noruega, está localizada em um vale cercado por montanhas - tão altas que deixam a população completamente na sombra nos meses de inverno, entre setembro e março

POR BBC

Publicado em 25 de outubro de 2013

Mas isso deve mudar com a instalação de grandes espelhos em seus topos. 
Martin Andersen, um dos idealizadores do projeto, diz que o objetivo dos espelhos é refletir parte da luz do sol que bate na montanha para a cidade. De acordo com ele, a ideia era muito lógica: já que havia sol no topo do vale, por que não refletir a luz para baixo? 

O fundador da hidrelétrica local teve ideia parecida há cem anos, mas na época não havia tecnologia suficiente. 

O prefeito de Rjukan diz que os céticos agora festejam os efeitos dos novos espelhos, e que não há como negar que a ideia atraiu atenção de todo o mundo.


Fonte, vídeo e demais informações: http://www.iengenharia.org.br/site/noticias/exibe/id_sessao/4/id_noticia/8054/Espelhos-gigantes-iluminam-cidade-que-ficava-na-sombra-durante-o-inverno

Sinalização horizontal viária - Tintas - Métodos de ensaio

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) publicou, em 08 de outubro, a norma ABNT NBR 15438:2013 - Sinalização horizontal viária - Tintas - Métodos de ensaio, que revisa a norma ABNT NBR 15438:2006, elaborada pelo Comitê Brasileiro de Transportes e Tráfego (ABNT/CB-016).

Esta Norma especifica os métodos de ensaio em laboratório para tintas empregadas para sinalização horizontal viária.

O documento será válido a partir de 08 de novembro. Para mais detalhes sobre a publicação contate o ABNT/CB-016 (cb16@abnt.org.br).

Aprenda, passo a passo, a montar uma startup

"Para capital de giro, empréstimo bancário e pesquisa não é ideal ter investimento anjo porque normalmente você precisa de entidades de fomento. O empreendedor precisa entender as possibilidades e escolher a melhor para ajudá-lo naquele momento específico", recomenda Maria Rita Bueno, diretora / Anjos do Brasil.

"As aceleradoras são diferentes porque fazem investimento em capital, com valores entre R$ 20 mil e R$ 60 mil, e recebem uma parte da empresa. Elas ajudam o empreendedor com infraestrutura -  normalmente tem um espaço com muita mentoria com acesso a profissionais e experts", diz Maria Rita Bueno, diretora / Anjos do Brasil.

"É bacana porque o investidor anjo vai trazer para aquele projeto uma chance de sucesso muito maior. O que uma empresa precisa pra começar? De dinheiro, de capital. Mas precisa também entender um pouco de gestão, do contato com o cliente grande, de relacionamento para errar menos", completa.

"O que ele quer mesmo é o empreendedor que tenha garra, capacidade de realização, que consiga criar o projeto, entender o que o cliente precisa e dar uma resposta relevantes para problemas reais".

"Inovação é muito diferente de invenção, mas que tenha algo novo -- seja no modelo de negócio, seja no produto. Ele também busca alguma coisa que tenha um mercado muito amplo. Não adianta ter um projeto extremamente bacana e rentável para a sua cidade sendo que o investidor anjo não vai se interessar. Você precisa, no mínimo, de um projeto com escala nacional. E se for facilmente internacionalizável, o investidor normalmente adora!", aconselha.

Da guerra ao dia a dia: conheça as novas funções dos drones

Sua avó provavelmente se assustaria com a imagem de um objeto voador não identificado e barulhento! São os drones, que começam a chamar a atenção nos céus também por aqui. O nome “drone” vem do inglês: zangão, rei das abelhas... forte, voador e... claro, barulhento. 


A princípio eles foram desenvolvidos como um equipamento bélico; os Estados Unidos usam os drones como arma militar. Mas, mais recentemente, os drones conquistaram os civis e agora muita gente usa como brinquedo e, principalmente, para fazer imagens aéreas.


"O drone foi feito para a espionagem. A filmagem aérea que gerou este tipo de equipamento é uma variação do que ele foi criado para fazer", explica Marino, proprietário da Oficina do Hobby.

Já existe uma infinidade de modelos disponíveis para quem quiser – e puder – comprar. Os preços variam de 500 a 30 MIL reais. O incrível é que todos usam praticamente a mesma tecnologia: GPS, acelerômetro, giroscópio e um processador que interpreta e essas informações e controla os motores.



"A placa é simplesmente um processador. Então para ter um desempenho legal da aeronave, você precisa ter uma placa com um processmento rápido e um programa legal que sente o que acontece com a aeronave para corrigir", explica Marino.


O drone tem um giroscópio e acelerômetro, igual em qualquer smartphone. Com isso, o computador sabe o tempo inteiro a posição do drone, explica Luis Neto, CEO da GoCam. É possível identificar se ele está na horizontal, vertical, inclinado e quantos graus de inclinação. A máquina interpreta os dados e manda o sinal para o motor, que fala para um lado acelerar mais do que o outro para ir para um lado ou para o outro.


Diversas empresas apostaram no potencial dos drones para oferecer o serviço de filmagens aéreas. As imagens são incríveis...


"Ele é feito para ir a lugar onde você não conseguiria chegar normalmente", explica Marino. 


"O drone possibilita você fazer imagens mais próximas do solo do que um helicóptero convencional, imagens simulando uma grua infinita. Você consegue mesclar imagens de grua com as de helicóptero para dar um resultado bem", explica Neto.
A maioria dos modelos é muito fácil de ser controlada.


"Ele praticamente voa sozinho. Você liga o GPS e ele para em uma posição. Se você tirar a mão do controle, ele fica na mesma posição", conta André Visconti, CEO da DroneStore.
Dos mais simples aos mais modernos, todos são bastante seguros e inteligentes. O processador que controla o voo é programado para realizar diversas funções automaticamente como, por exemplo, caso o aparelho perca contato com o controle remoto.


"Se perder a comunicação entre o controle e o helicóptero, ele liga o GPS Hold, vai ficar parado onde está. Vai subir a 20 metros de altura e voltar em linha reta para o ponto de decolagem e pousar devagar. Se o vento levar ele para um lado, o computador pensa e leva ele de volta para a coordenada", conta Luis Neto.


Mas o cérebro dos drones também pode ser programado para ações mais complexas e interessantes. Marino dá o exemplo de que é possível colocar um chip em uma pessoa e o drone seguirá aquele chip apontando a câmera para aquele ponto.
Além do controle remoto, alguns drones possuem câmeras. As imagens podem ser vistas em uma tela ou em óculos e, aí, a sensação é ainda mais legal... No monitor ou nos óculos, o usuário tem informações como altitude, distância e até inclinação do drone em voo.


Além do uso militar, as filmagens com os drones são usadas para detecção de pragas nas lavouras, na perseguição de fugitivos, controle de fronteiras e até no monitoramento de usinas nucleares. Mas, é claro, tem quem use por pura diversão.

Aplicação é o que não falta no uso dos drones. Na Inglaterra, uma famosa marca de pizzas apresentou um vídeo em quem um drone – ainda em fase de testes – entrega uma pizza a mais de seis quilômetros de distância. Há quem duvide da façanha devido a interferências e controle de voo quando o drone já fugiu do campo de visão do usuário. Porém os mais otimistas acreditam que muito em breve vamos estar cercado de drones por todos os lados; levando e trazendo encomendas... será?!


No olhardigital.com.br, logo abaixo do vídeo desta matéria, você encontra o link para ver o teste do voo da pizza; aproveite e deixe sua opinião nos comentários. Será que em um futuro próximo esses objetos voadores agora identificados vão mesmo fazer parte do nosso dia a dia?!

Fonte e demais informações: http://olhardigital.uol.com.br/video/38340/38340

Polyteck

Polyteck é uma revista interdisciplinar voltada para profissionais, estudantes e professores universitários que gostam ou trabalham com tecnologia e ciência. Nela o leitor encontra notícias relacionadas a:
- Biotecnologia
- Empreendedorismo e inovação
- Web e Design
- Sustentabilidade e Ambiente
- Engenharia, energia e materiais
- Nanotecnologia

Uma revista escrita por profissionais especializados, feita sob medida para universitários. Com informações das melhores revistas e periódicos, a Polyteck publica notícias que possuem relevância, aplicabilidade e abrangência multidisciplinar.

Nossa missão é instigar a troca de informações e facilitar a integração entre diversas áreas do conhecimento nas universidades brasileiras.

polyteck

Fonte e demais informações: http://pltk.com.br/index.html

Aerodinâmica de carros e aviões alterada com plasma

Aerodinâmica de carros e aviões alterada com plasma: Não são poucos os filmes de ficção científica que mostram carros ou aviões que mudam de formato - algo que começa a virar realidade.

Físicos propõem que espaço é formado por "átomos de espaço"

Físicos propõem que espaço é formado por "átomos de espaço"

Eslováquia terá carro voador

Aeromobil 2.5 fez seu primeiro voo teste e tem autonomia de até 700 quilômetros
Mais um carro voador está em fase final de testes. É o Aeromobil 2.5, criado na Eslováquia e que fez seus primeiro voo na semana passada.
O carro demorou 20 anos para ficar pronto e atualmente está na terceira versão do protótipo original. O motor que empurra o Aeromobil é um Rotax 912 que faz o carro-avião chegar a 160 km/h  no asfalto e 200 km/h no ar. 
Com peso de 450 kg e lugar para duas pessoas, tem autonomia 400 quilômetros no solo e de 700 quilômetros voando. Quem sabe não veremos aqui, no site do Jornal do Carro, um comparativo entre carros voadores na próxima década?

Conheça os empreendedores que estão criando as estradas e avenidas que brilham no escuro

Confira o trabalho de duas empresas da Europa e inspire-se

No começo do ano, o trabalho de um estúdio de design e inovação holandês chamou a atenção do mundo todo. O Studio Roosegaarde desenvolveu a Glow-in-the-dark roads, A estrada que brilha no seguro. Alguns meses depois, uma nova companhia estrangeira, desta vez na Inglaterra, anuncia feito semelhante.

O produto, batizado de Sparpath, é um revestimento que absorve a luz solar durante o dia para fornecer - quem sabe aos motoristas - o brilho necessário para iluminar à noite. O material não sai com a incidência da chuva e possui ainda propriedades antiderrapantes - o que contribuiria para reduzir acidentes. 

"Nosso trabalho funciona melhor em macadame ou concreto, predominantemente no macadame", afirmou Neil Blackmore para a publicação Treehugger. Macadame é um tipo de revestimento para as ruas que mistura brita, breu e areia.

Holanda. Já o produto holandês nada mais é do que um pó foto-luminoso aplicado nas faixas laterais e de separação de pistas de uma avenida ou estrada. O produto reduz, por exemplo, a necessidade de luzes muito fortes pelos veículos. Confira detalhes dessa inovação.

Fonte e demais informações: http://pme.estadao.com.br/noticias/noticias,conheca-os-empreendedores-que-estao-criando-as-estradas-e-avenidas-que-brilham-no-escuro,3564,0.htm


Trem do futuro será apresentado em novembro ao Brasil

InfoMoney – qua, 23 de out de 2013 17:59 BRST

SÃO PAULO – Já pensou em um veículo que transporta até seis pessoas confortavelmente e não pega trânsito nenhum? A empresa Ultra Global criou uma espécie de trem elétrico que será apresentado durante a 16ª feira Negócios nos Trilhos, que acontecerá de 5 a 7 de novembro, no ExpoCenter Norte, em São Paulo.

O POD-SIT é um veículo elétrico, ecológico, silencioso, totalmente automatizado, com a capacidade de transportar até seis pessoas e que oferece a possibilidade de ir de um ponto a outro sem paradas em estações intermediárias.

A inovação já opera no aeroporto de Heathrow, em Londres, na Inglaterra e o preço para utilizar o transporte varia de £ 31,20 a £ 32,40 (R$ 110 e R$ 114, de acordo com a cotação do Banco Central do Brasil do dia 23 de outubro de 2013), dependendo do dia da semana.

Reter alunos de engenharia é mais difícil do que captar | Cimento Itambé

Reter alunos de engenharia é mais difícil do que captar | Cimento Itambé

Fernando Micali, professor doutor da USP, explica por que evasão é grande nos cursos de engenharia. Segundo ele, é preciso falar a linguagem das novas gerações

Inmetro dá mais atenção à cesta básica da construção | Cimento Itambé

Inmetro dá mais atenção à cesta básica da construção | Cimento Itambé

Portaria que regulamenta fabricação e comercialização de blocos de concreto para alvenaria é uma das ações do Instituto voltadas ao setor
Por: Altair Santos
Atualmente mais de 350 mil produtos fabricados no Brasil ou importados contam com o selo do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia). Eles estão distribuídos em 197 famílias, das quais 160 são submetidas a avaliações compulsórias e 37 a inspeções voluntárias. Em um destes grupos encontra-se a cesta básica da construção civil. Atualmente, barras e fios de aço, plugues e tomadas, cabos e fios elétricos, além de disjuntores e produtos do segmento sanitário, como torneiras, misturadores, registros e sifões, já são obrigados a estar em conformidade com o Sistema Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial, que baliza as ações do Inmetro. A partir do ano que vem, será a vez dos artefatos de concreto...

Custo torna quase inviável a construção de metrôs | Cimento Itambé

Custo torna quase inviável a construção de metrôs | Cimento Itambé

Luís Afonso dos Santos Senna, professor da UFRGS e especialista em mobilidade urbana, defende que cidades priorizem projetos de BRT e VLT
Por: Altair Santos
O professor de engenharia de produção e transportes da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) Luís Afonso dos Santos Senna, defende que as grandes cidades brasileiras pensem em soluções alternativas para otransporte público, que não seja o metrô. Segundo ele, o sistema, que é o sonho de consumo de 10 entre 10 prefeitos de capitais, tornou-se economicamente inviável de construir. Dados apresentados pelo especialista, no Congresso Brasileiro de Construção Sustentável 2013, mostram que, no Brasil, o quilômetro construído do metrônão sai por menos de R$ 100 milhões, podendo chegar a R$ 500 milhões em metrópoles como São Paulo e Rio de Janeiro. “O custo e a escassez de terras para desapropriar, associada às tecnologias cada vez mais sofisticadas para escavar túneis, encareceram por demais esse modelo de transporte”, alerta Santos Senna.
Luís Afonso dos Santos Senna: quilômetro construído do metrô varia de R$ 100 milhões a R$ 500 milhões
Indiretamente, a cidade de São Paulo começa a valorizar outros modais. A prefeitura espera criar 150 quilômetros de BRT (Bus Rapid Transit) até o final de 2016, ao custo de R$ 6 bilhões. Com o mesmo volume de recursos, seria possível fazer apenas 12 quilômetros de metrô na capital paulista. O governo federal também se convenceu de que deve deixar de ver o metrô como a alternativa número um para a mobilidade urbana. Desde as manifestações populares de junho de 2013, linhas de crédito incentivando a criação de BRTs e VLTs (Veículos Leves sobre Trilhos) nas principais cidades brasileiras já somam R$ 50 bilhões para projetos que prometem ser viabilizados nos próximos quatro anos...