Pesquisar

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Instalações solares devem ultrapassar eólicas, pela primeira vez, em 2013

A adição de capacidade instalada fotovoltaica deverá superar a eólica pela primeira vez, em âmbito global, aponta a Bloomberg New Energy Finance (BNEF). A previsão é 36,7GW de novas instalações fotovoltaicas ante 35,5GW eólicos - sendo 33,8GW onshore e 1,7GW offshore.
Em 2012, a fonte eólica adicionou 46,66GW ante 30,5GW fotovoltaicos - montantes recordes, em ambos os casos. Mas em 2013, a retração de dois importantes mercados eólicos, Estados Unidos e China, abriu caminho para um rápido crescimento do mercado fotovoltaico.
"A redução drástica no preço de fotovoltaica, aliada a novas políticas de incentivo no Japão e China estão possibilitando um forte crescimento em termos de volume", disse Jenny Chase, analista-chefe de solar da Bloomberg News Energy Finance. "A Europa é um mercado em decadência porque muitos países estão acabando com os incentivos, mas continuaremos a ver a implantação de novos projetos fotovoltaicos", afirmou.
Para Justin Wu, analista-chefe de eólica, as instalações de eólicas vão ser reduzidas aos menores níveis desde 2008, refletindo desacelerações nos mercados da China e Estados Unidos, causadas por incertezas políticas. Contudo, as quedas nos custos 
tecnológicos, a abertura de novos mercados e o crescimento da offshore asseguram à fonte eólica uma posição de liderança na indústria de renováveis", disse.
Apesar da troca de posições, o amadurecimento dos setores eólicos onshore e do fotovoltaico deve fazer com que os dois setores adicionem capacidades em níveis semelhantes até 2030. A fonte eólica deve crescer de 5%, em 2012, para 17% da matriz, em 2030. Na mesma base de comparação, a solar deverá passar de 2% para 16%.
A BNEF prevê que após alguns anos de oferta excessiva, a cadeia produtiva dos dois segmentos deverão voltar a registrar lucro em 2013. "Corte de custos e a reorientação para mercados e segmentos lucrativos reforçou a performance financeira da indústria de aerogeradores e a sobrevivência para fabricantes solares. Os investidores notaram essas mudanças e as ações das empresas de renováveis apresentaram ganhos de 66% desde a baixa de 2012", disse Michel Liebreich, CEO da Bloomberg New Energy Finance.

Superfície anti-adesão mantém insetos fora de casa

Superfície anti-adesão mantém insetos fora de casa: O material poderá ser aplicado em fachadas e janelas para evitar que insetos entrem em casa ou invadam armários.

Fusão nuclear a laser está a um passo de criar miniestrela

Fusão nuclear a laser está a um passo de criar miniestrela: O experimento consiste em disparar 192 feixes de raios de laser simultaneamente em uma pequena cápsula chamada ihohlraum/i.

Construção Pesada

Construção de pontes, viadutos , hidrelétricas, estradas e represas são algumas das atividades classificadas como construção pesada. Esse segmento da indústria da construção possui particularidades que a diferenciam da construção civil. Neste vídeo são abordados os cuidados que empregadores e trabalhadores dos setor devem tomar para a prevenção de riscos nesses ambientes de trabalho.


Fonte e demais informações: http://www.youtube.com/watch?v=E2ljUy66lUI

Câmara abre inscrições para debate internacional sobre leis de patentes

A Câmara realizará, no dia 9 de outubro, no Salão Nobre, uma mesa redonda internacional para debater a legislação de patentes. Especialistas da Índia, da África do Sul, da Argentina e dos Estados Unidos – países que já revisaram suas leis nessa área ou estão em via de revisá-las –, além de gestores públicos brasileiros, relatarão suas experiências. As inscrições para o evento já estão abertas e podem ser feitas pelo site http://www2.camara.leg.br/a-camara/altosestudos.

Na ocasião, além do debate, será lançado o relatório “A Revisão da Lei de Patentes (9.279/96): inovação em prol da competitividade nacional”. O documento tem origem em trabalho realizado pelo Centro de Estudos e Debates Estratégicos da Câmara, cujo relator é o deputado Newton Lima (PT-SP). A mesa redonda terá início às 14 horas e o lançamento da publicação ocorrerá às 17h30.

Relatório – O estudo é resultado de dois anos de análise da política nacional de inovação tecnológica e da Lei de Patentes. Foram realizados sete seminários, com a participação de gestores públicos, acadêmicos e representantes da sociedade civil e das indústrias nacional e multinacional.

O relatório apresenta proposições legislativas e recomendações ao Poder Executivo, com o objetivo de promover a inovação tecnológica e a competitividade do País, em consonância com o Plano Inova Brasil e a Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação.

Mais informações sobre o evento podem ser obtidas pelos telefones (61) 3215-8628/8629.

(Com informações da Agência Câmara de Notícias)

Google apresenta novo algoritmo de buscas ‘Hummingbird’

MENLO PARK, Califórnia - O Google reformulou o seu algoritmo de busca, base do buscador mais usado na internet, para melhor lidar com as consultas mais longas e complexas que tem recebido de usuários da web.
Amit Singhal, vice-presidente sênior de buscas, disse a jornalistas nesta quinta-feira que a empresa lançou o seu mais recente algoritmo “Hummingbird” há cerca de um mês e que atualmente ele lida com 90% das buscas no Google no mundo.
O Google está tentando manter o ritmo com a evolução do uso da internet no mundo. À medida que pesquisas ficam mais complicadas, os sistemas tradicionais baseados em palavras-chave começam a se deteriorar, devido à necessidade de combinar conceitos e significados, além de vocábulos.
O “Hummingbird” é o esforço da empresa para combinar o significado das consultas com o de documentos na internet, disse Singhal da garagem de Menlo Park, onde os fundadores do Google, Larry Page e Sergey Brin, conceberam o agora onipresente mecanismo de busca.
“Lembra-se de como era a pesquisa em 1998? Você sentava e ligava um grande computador, discava com seu modem barulhento, digitava algumas palavras-chave e recebia 10 links azuis para sites que tinham essas palavras”, escreveu Singhal em um blog. “O mundo mudou muito desde então: bilhões de pessoas estão on-line, a rede tem crescido exponencialmente, e agora você pode fazer qualquer pergunta no pequeno e poderoso dispositivo em seu bolso.”
Page e Brin se estabeleceram na garagem de Susan Wojcicki — agora executiva sênior do Google — em setembro de 1998, quando criaram a empresa. Esta semana marca o 15º aniversário da companhia.

Prêmio Educação Empreendedora Brasil 2013





QUAL É A SUA GRANDE INOVAÇÃO NO ENSINO DE EMPREENDEDORISMO?

O avanço da educação empreendedora universitária no país se dá por meio de iniciativas inovadoras dentro e fora da sala de aula (disciplinas, atividades complementares, competições, materiais didáticos, etc.). Experiências educacionais que inspirem e dêem ao estudante a capacidade de planejar e iniciar um novo negócio tem o potencial de causar um impacto substancial em suas carreiras e no desenvolvimento do país.

Prêmio Educação Empreendedora Brasil é uma iniciativa da Endeavor e do SEBRAE que objetiva identificar, valorizar e divulgar experiências inovadoras e bem-sucedidas de ensino de empreendedorismo, planejadas e executadas por professores das Instituições de Ensino Superior brasileiras.

Com o objetivo de disseminar as melhores práticas de educação empreendedora a Endeavor e o Sebrae estão em busca de uma iniciativa inovadora de ensino de empreendedorismo que possa ser facilmente replicada em diversas  universidades do país . 

Se a sua iniciativa de ensino de empreendedorismo é inovadora e tem o potencial de transformar o ecossistema empreendedor universitário, esta é a sua oportunidade!

Conheça mais detalhes do Prêmio Educação Empreendedora Brasil 2013 e participe! 

​Formulário de inscrição.

Para participar, preencha o forumário  até o dia 29/9/2013. 

- See more at: http://educacaoempreendedora.org.br/premio#sthash.9UaydIRR.dpuf


Fonte e demais informações: http://educacaoempreendedora.org.br/premio

Minas Gerais terá primeira Comissão para aperfeiçoamento das condições de trabalho na industria da construção

Grupo de discussão, composto por colaboradores da ENESA Engenharia, tomará posse hoje (26/09), em cerimônia promovida pelo Sintramonti.

Nesta quinta-feira, 26 de setembro, o assessor da Secretaria-Geral da Presidência da República, José Lopez Feijóo, vem a Belo Horizonte para empossar a comissão de trabalhadores do Compromisso Nacional para Aperfeiçoar as Condições de Trabalho na Indústria da Construção de Minas Gerais. O grupo, formado por seis membros da ENESA Engenharia, tem a missão de facilitar o diálogo entre funcionários e empresa.

Firmado em março de 2012, o Compromisso é fruto de intensas negociações ocorridas entre o governo federal, sob a coordenação da Secretaria-Geral da Presidência da República, e as entidades representativas de empresários e empregados do setor da construção. O acordo orienta a prática das empresas e estabelece diretrizes sobre os processos de recrutamento e seleção; formação e qualificação profissional; saúde e segurança; representação sindical no local de trabalho; condições de trabalho e relacionamento com a comunidade. Ao todo, 22 empresas do setor assinaram o compromisso no país, entre elas a ENESA Engenharia.

A empresa, especializada em serviços de montagem e manutenção eletromecânica, aderiu ao plano no ano passado, se comprometendo a implementar suas diretrizes nas obras que executa na cidade de Porto Velho (RO) e Itabira (MG). “A experiência adquirida ao longo de todos esses anos nos mostrou que não é possível chegar a lugar nenhum sozinho. Por isso, aceitamos o desafio de amplificar a voz de nossos colaboradores e construir soluções que atendam às expectativas de ambas as partes”, afirma Mozart  Langbeck, gerente de relações trabalhistas e sindicais da ENESA.

Em Minas Gerais, a ENESA Engenharia é pioneira no estabelecimento dessa comissão e contará com uma vantagem: a experiência apreendida no processo de implementação na obra executada no Norte do país. “Em Porto Velho, o processo de incorporação das diretrizes foi muito tranquilo. Os colaboradores receberam bem as mudanças e já demonstram maior engajamento”, explica Langbeck.

No município de Itabira, o projeto já começou a ser incorporado à rotina da empresa e as expectativas são as melhores. “Esperamos que os colaboradores participem ativamente do processo, conforme prevê o Compromisso Nacional para o Aperfeiçoamento das Condições de Trabalho, nos ajudando a identificar os pontos de melhoria para o desenvolvimento profissional e empresarial”, finaliza Langbeck, destacando que mais 2500 colaboradores serão beneficiados pela ação.


A posse acontece durante o 3º Seminário dos Trabalhadores em Montagens Industriais de Minas Gerais, promovido pelo sindicato da categoria (Sintramonti-MG).

Fonte e demais informações: http://www.viacomercial.com.br/2013/09/minas-gerais-tera-primeira-comissao-para-aperfeicoamento-das-condicoes-de-trabalho-na-industria-da-construcao/

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Técnicos usam aparelho de ultrassom em árvores de São José dos Campos (SP)

O equipamento transforma o som em imagem. Em pouco tempo, sai o diagnóstico. A cor verde indica se a árvore está cheia de vida. A tecnologia também está ajudando no tratamento de um jequitibá de 700 anos, que é patrimônio da cidade.

Fonte, vídeo e demais informaçõeshttp://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-hoje/t/edicoes/v/tecnicos-usam-aparelho-de-ultrassom-em-arvores-de-sao-jose-dos-campos-sp/2850025/

Fundacentro realiza X Semana da Pesquisa

Será possível conhecer os trabalhos realizados pela instituição e participar de discussões sobre gestão, organização do trabalho, saúde e agentes ambientais 
Por ACS / C.R. em 24/09/2013 

A X Semana da Pesquisa da Fundacentro será realizada entre os dias 21 e 23 de outubro em São Paulo, com o tema “Desafios e Perspectivas da Segurança e Saúde no Trabalho no Século XXI”. O encontro começa na data em que a instituição comemora seu aniversário de 47 anos.

Conferências, painéis de debates e apresentações orais e em pôster farão parte do evento. Também haverá a exposição de produtos e de fotografias, ilustrando as produções e o trabalho de campo realizado pelos pesquisadores.

“A X Semana da Pesquisa é uma grande oportunidade de reunir as produções mais recentes da Fundacentro e compartilha-las com a sociedade através de diferentes atividades. São palestras, exposições, debates e a convivência direta com nossos especialistas”, explica a diretora da instituição, Hilda Alevato.

Na abertura, em 21 de outubro, das 13h às 18h, haverá uma conferência sobre os desafios e perspectivas da Segurança e Saúde no Trabalho, uma palestra do GRH – Grupo de Resgate Histórico da Fundacentro e outra apresentação sobre educação para SST. Em seguida, haverá o lançamento das publicações impressas em 2013.

No dia 22 de outubro, no período da manhã, das 8h30 às 12h, ocorre o painel “Gestão em Segurança e Saúde no Trabalho”. No período da tarde, das 13h30 às 17h, será realizado o painel “Organização do Trabalho”. Das 17h às 18h, acontece a apresentação de pôsteres.

O dia 23 de outubro conta com o painel “Saúde no Trabalho” pela manhã e o painel “Agentes Ambientais” na parte da tarde. Em todos os dias, será possível visitar os espaços de exposições montados no hall de entrada e no térreo.

Já é possível se inscrever no site da instituição. Basta acessar a seção de Eventos, Calendário, escolher o mês de Outubro e clicar no item Inscreva-se do informe sobre a X Semana da Pesquisa da Fundacentro.

Fonte e demais informações: http://www.fundacentro.gov.br/dominios/CTN/indexNoticias.asp?D=CTN&PAGINA=DETALHES&CODLANCAMENTO=1000

Construído primeiro computador de nanotubos de carbono

Construído primeiro computador de nanotubos de carbono: O computador de nanotubos de carbono é muito simples, mas atende a todos os requisitos para ser considerado um computador.

Móveis biodegradáveis

Móveis biodegradáveis

Galáxia mais densa descoberta nas vizinhanças da Via Láctea

Galáxia mais densa descoberta nas vizinhanças da Via Láctea: As viagens interestelares seriam bem mais fáceis nessa galáxia onde as estrelas estão incrivelmente próximas umas das outras.

Nova York exporta plano para tornar prédios ecoeficientes | Cimento Itambé

Nova York exporta plano para tornar prédios ecoeficientes | Cimento Itambé

Retrofit é solução para centros das capitais brasileiras | Cimento Itambé

Retrofit é solução para centros das capitais brasileiras | Cimento Itambé

Mercado da reforma de prédios antigos revitaliza áreas, mas ainda esbarra na burocracia e na ausência de normas específicas para o setor
Por: Altair Santos

Engenheiros de Stanford desenvolvem nanocomputador

Engenheiros americanos anunciaram nesta quarta-feira a produção do primeiro computador feito completamente de microscópicos "nanotubos" de carbono, em um grande avanço na busca por dispositivos eletrônicos cada vez mais rápidos e menores.
Embora apenas execute funções básicas com velocidades comparáveis às de um computador dos anos 1950, a minúscula máquina foi saudada como um novo paradigma na busca por uma alternativa aos transistores de silício, que controlam o fluxo de eletricidade em microchips de computador.
Nanotubos de carbono são chapas de átomos de carbono de camada única enroladas. Dezenas de milhares deles podem caber na extensão de um único fio de cabelo humano.
Eles são flexíveis e têm a maior relação força-peso entre qualquer material conhecido.
O silício é um bom semicondutor, mas não pode ser reduzido a uma camada tão fina.
Cientistas acreditam que a estrutura de nanotubos de carbono possa melhorar sua capacidade de carregar correntes - originando, assim, transistores que sejam mais rápidos, com maior eficiência energética e menores do que o silício -, mas atualmente construir chips com nanotubos tem se mostrado difícil.
"As pessoas falam de uma nova era de equipamentos eletrônicos de nanotubos de carbono após o silício", afirmou o professor de engenharia da Universidade de Stanford Subhasish Mitra, que chefiou a pesquisa.
"Mas tem havido poucas demonstrações de sistemas digitais completos usando esta tecnologia excitante. Aqui está a prova", continuou.
O nanocomputador, produzido em um laboratório na Escola de Engenharia da Universidade de Stanford, tem o tamanho de apenas alguns milímetros quadrados e é capaz de executar contagens simples e ordenar números usando 178 transistores, cada um contendo entre 10 e 200 nanotubos.
Sua capacidade de processamento é de 1 kilohertz (KHz), milhões de vezes menor do que a dos computadores atuais.
O limite de 178 transistores se deveu a que os cientistas usaram uma fábrica de chips da universidade ao invés de uma instalação industrial, o que significa que, em tese, o computador poderia ser muito maior e mais rápido, segundo um comentário sobre o estudo, publicado na revista Nature.
A máquina tem um sistema operacional básico que é multitarefa e alterna entre dois processos, acrescentou.
Embora possa levar anos, o estudo de Stanford apontou para a possibilidade de uma produção em escala industrial de semicondutores de nanotubos de carbono, disse Naresh Shanbhag, diretor de um consórcio de projetos de chips de computador, em um comentário publicado pela universidade.
"Estes são passos iniciais e necessários para levar os nanotubos de carbono do laboratório para o ambiente real", acrescentou Supratik Guha, diretor de ciências físicas do Centro de Pesquisas Thomas J. Watson, da gigante do software IBM.


Sustentabilidade requer investimento em P&D e engenharia | Cimento Itambé

Sustentabilidade requer investimento em P&D e engenharia | Cimento Itambé

Norma de desempenho é paradigma para a sustentabilidade | Cimento Itambé

Norma de desempenho é paradigma para a sustentabilidade | Cimento Itambé

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Ondas íon-ciclotrônicas explicam terceiro anel de radiação da Terra

Ondas íon-ciclotrônicas explicam terceiro anel de radiação da Terra: O Cinturão de Van Allen ficou maior com a nova descoberta, lançando novas luzes sobre a importância do clima espacial.

Luz agora pode ser guiada em qualquer direção

Luz agora pode ser guiada em qualquer direção

Edital Fapemig / Finep 13/2013 Tecnova Minas Gerais


Edital Fapemig / Finep 13/2013 Tecnova Minas Gerais
OBJETIVO
Orientar os participantes sobre o processo de elaboração de propostas para o Edital Tecnova, mostrando as principais características que devem estar presentes no projeto, os pré-requisitos, critérios de avaliação, entre outras dicas para ter sucesso na seleção.
Data: 30/09/2013 (segunda-feira)
Horário: 9h30 às 12h
Profissionais das empresas associadas às entidades do MGTI participam gratuitamente
PROGRAMAÇÃO
09:30 às 10:00 - Recepção e lanche
10:00 às 11:30 - Orientações sobre o edital
11:30 às 12:00 - Perguntas e debate

Empresas não associadas: 
R$ 30

Associadas à Fumsoft, Assespro-MG, Sindinfor e Sucesu Minas: GRATUITO

Local: Auditório do MGTI - Av. Afonso Pena, 4.000, 3º andar, 

O objetivo do programa é financiar propostas de desenvolvimentos de produtos ou processos inovadores para promover o aumento de atividades de inovação e da competitividade das empresas. Está previsto um investimento de R$ 15 milhões, sendo R$ 6 milhões da FAPEMIG e R$ 9 milhões da FINEP.
Microempresas e empresas de pequeno porte sediadas em Minas Gerais podem apresentar as propostas a fim de promover parcerias, visando potencializar a inovação no Estado. O programa prevê apoiar projetos voltados para as áreas de agronegócio, biotecnologia, eletroeletrônico, energias alternativas, meio ambiente, mineral-metalúrgico, petróleo e gás e tecnologia da informação e comunicação. O prazo para a execução é de até vinte e quatro meses, que serão contados a partir da data de assinatura do Termo de Outorga.
As propostas devem ser submetidas até o dia 18 de novembro, em versão eletrônica e enviados pelo sistema Everest (http://everest.fapemig.br). O edital pode ser visualizado aqui. Outras informações com a Central de Informações da FAPEMIG pelo e-mail tecnova@fapemig.br

Pligg substitui telefone fixo e promete economia

Startup brasileira cria produto simples e barato que assume o lugar do telefone fixo e permite economizar na conta

5 cidades que usam big data para melhorar vida dos moradores

Tecnologia é usada ao redor do mundo também para auxiliar o cotidiano da população

Primeira turma do Programa de Pós-Graduação da Fundacentro defende dissertação de mestrado

 As primeiras dissertações de mestrado da Fundacentro ocorreram no final de agosto e início de setembro e todos foram aprovados 
Por ACS/DMS em 18/09/2013 

O Programa “Trabalho, Saúde e Ambiente” de pós-graduação stricto sensu da Fundacentro no final do mês de agosto e início de setembro teve as primeiras defesas de dissertações de mestrado.

A primeira defesa foi da aluna Caetana Diniz Marinho Taveira, que apresentou o projeto “O Trabalhador de Limpeza Hospitalar e o Acidente com Lesão por Instrumento Perfurocortante”. Caetana foi orientada pela doutora e pesquisadora da Fundacentro/SP, Teresa Cristina Nathan Outeiro Pinto. A banca foi composta pela doutora Marcilia de Araujo Medrado Faria, da Faculdade de Medicina da USP e pelo doutor e pesquisador da Fundacentro/SP, Walter dos Reis Pedreira Filho.

Caetana Taveira trabalha no Ministério Público do Trabalho (MPT), como analista e perita em engenharia de segurança do trabalho, disse que abordou o tema porque realizava o trabalho na estação de tratamento de resíduos e percebeu que ocorriam acidentes com perfurocortantes. “Esses acidentes aconteciam na última etapa antes da descontaminação, ou sejá, na deposição de material infectante no interior da unidade de tratamentos de resíduos. Em todas as etapas anteriores, desde o descarte inicial, havia o risco de lesão por esses instrumentos, especialmente quando da realização de limpeza das unidades hospitalares”, relatou a perita.

Para a perita, as atividades propostas durante o curso apresentaram novas formas de olhar sobre as condições laborais e as questões de segurança e saúde no trabalho. “Essas formas foram importantes para melhorar o trabalho que executo na Procuradoria. Não é simplesmente mudar a forma de apresentar o relatório pericial, mas sim, mudar a maneira de abordar o problema”, enfatizou Caetana.

A mestre utilizará os dados encontrados durante a sua pesquisa para auxiliá-la durante o trabalho de investigações em andamento no MPT. Para finalizar, Caetana destaca a competência e dedicação dos professores do mestrado “A minha orientadora, Teresa Nathan, e o doutor Carlos Sérgio Silva buscaram incessantemente dar um suporte de qualidade aos alunos, tanto no que se refere aos conhecimentos, quanto nos recursos necessários para o desenvolvimento dos trabalhos”, explanou Taveira.

Para a orientadora, Teresa Nathan, o tema foi importante porque existia uma lacuna nos dados sobre a população de trabalhadores de limpeza hospitalar, sobretudo nas empresas prestadoras de serviços, os hospitais e os contratos de terceirização. “Os acidentes com perfurocortantes eram significativos para esta população trabalhadora”, relatou Teresa.

A pesquisadora relatou que ficou muito satisfeita por orientar a mestre Caetana Taveira que possui experiência profissional ampla na área de SST. “Foi uma troca de conhecimentos, ideias e experiências, aprendi muito com todo este processo e espero continuar aprendendo com os próximos alunos”, enfatizou Nathan.

Para o coordenador do programa, Carlos Sérgio, o projeto da Caetana Taveira desenvolveu uma pesquisa em relação a um tema muito importante e bastante atual: os acidentes com perfurocortantes e que será de grande valia para os profissionais que atuam na área de Saúde, ressaltando os trabalhadores da limpeza dos hospitais e centros de saúde que são os principais prejudicados. “São acidentes que nem sempre se pode evitar devido também ao descuido ainda de alguns profissionais que manipulam agulhas, material descartável de cirurgias e outros procedimentos médicos, ou seja, não é falha dos trabalhadores da limpeza, mas de todo um sistema que não capacita os trabalhadores em relação aos riscos químicos, físicos e biológico, que o pessoal da saúde está submetido”, salientou Carlos.

Com o título: “Elementos para o Desenvolvimento de um Material de Comunicação de Riscos: As Fontes de Informação e sua Influência na Exposição ao Agrotóxico pelos Trabalhadores de Estufas de Flores e Plantas Ornamentais”, a segunda defesa foi da aluna e tecnologista da Fundacentro/SP, Glaucia de Menezes Fernandes.

Glaucia foi orientada pela pesquisadora da Fundacentro/SP, Alcinéia Meigikos dos Anjos Santos, e a banca foi composta pela psicóloga social do trabalho e professora da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Marcia Hespanhol Bernardo e pelo pesquisador e editor executivo da Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, Eduardo Garcia Garcia.

O tema escolhido pela tecnologista foi desenvolvido ao longo do curso para que conciliasse as áreas de SST e Design. Menezes é chefe do Serviço de Publicações (SPb) e formada em design. “Tinha interesse de conhecer e entender a percepção dos trabalhadores, e o fato de ser agregada ao projeto Exposição Ocupacional a Pesticidas: o trabalho em estufas de flores, da Fundacentro, trouxe um casamento perfeito, conciliando o projeto com esta nova área da pesquisa - sobre comunicação”, relatou Menezes.

Na visão da designer, a área de comunicação de riscos pode trazer boa parcela de contribuição para a área de SST, sobretudo na gestão de riscos, envolvendo a discussão participativa entre empregadores e empregados, para melhorar as práticas de prevenção de riscos, considerando-a como um subsídio educacional para o trabalhador.

Para ela, conciliar comunicação e SST não foi uma tarefa fácil. Embora exista literatura sobre comunicação de riscos, não existem muitos designers atuando nesta área. “Tive dificuldade de encontrar pensadores com a visão de projetos do designer em pesquisas de SST. Na Fundacentro, apenas o trabalho da chefe da Assessoria de Comunicação Social, Alexandra Rinaldi, discutiu comunicação de riscos, sob o foco da gestão”, salientou Glaucia.

A banca abordou algumas sugestões do qual a mestre poderá focar no doutorado e também em pesquisa, na forma de projetos para a Fundacentro, uma vez que há a necessidade de trabalhar com o público estudado na visão da comunicação de riscos. “É possível considerar o desenvolvimento de materiais de apoio em um trabalho educativo, entre outros possíveis projetos a serem amadurecidos. Vale lembrar que entre os requisitos para a Pós, está a elaboração e depósito de artigo científico para revista da área que tenha, pelo menos, Qualis B, em até quatro meses, após a defesa, no qual começarei a trabalhar neste mês”, finalizou Glaucia.

Carlos Sérgio, comentou que o tema desenvolvido por Glaucia Menezes sobre comunicação de riscos em termos de agrotóxicos utilizado em estufas de flores traz uma preocupação pouco abordada nos trabalhos de SST. Destacou que os apontamentos da banca: da professora e doutora, Marcia Bernardo, e do doutor Eduardo Garcia Garcia, pesquisador que transita há muito tempo no tema agrotóxico, trouxeram também contribuições fundamentais para o enriquecimento do trabalho.

Em setembro, ocorreram duas defesas de dissertação de mestrado. A candidata Márcia Fantinel Spindler, defendeu a dissertação sobre “O Regime Regulatório Brasileiro de Segurança e Saúde no Trabalho e a Gestão dos Riscos Ocupacionais: Discussão Sobre o Panorama Atual”, o orientador foi o administrador e chefe substituto da Diretoria de Administração e Finanças (DAF) da Fundacentro/SP, Paulo Cesar Vaz Guimarães.

A banca foi composta pelo pesquisador da Fundacentro/MG, Gilmar da Cunha Trivelato e pelo doutor em administração pública da Fundação Getúlio Vargas e pós-doutorado pela École des Hautes Études Commerciales de Montréal (HEC Montreal), Mário de Aquino Alves.

Nessa apresentação o coordenador do programa, destacou que a auditora fiscal Marcia Splinder desenvolveu um tema extremamente importante em relação ao Ministério do Trabalho e Emprego, que é o Regime Regulatório Brasileiro em SST e a Gestão dos Riscos Ocupacionais - Panorama atual.

O papel do orientador é fundamental, pois ele conduzirá o orientado no recorte da sua pesquisa. Ambos ao longo do trabalho interagem, cada um respeitando o outro. O orientador por sua vez estabelece uma relação educativa que possibilita um plano de elaboração científica. “Com a orientação do doutor Paulo Guimarães, a pesquisa desenvolvida terá importantes contribuições para os auditores fiscais do MTE”, salientou Carlos Sérgio.

O candidato Anildo de Lima Passos Junior defendeu o projeto: “Particularidades e Ineficiências na Gestão de Riscos Químicos em Fundições de Metais Ferrosos no Estado de São Paulo e seu Impacto na Prevenção da Ocorrência e do Agravamento de Danos à Saúde do Trabalhador”. A orientação foi feita pelo pesquisador e coordenador do Programa de Pós-Graduação, Carlos Sérgio da Silva.


A banca foi composta por Paulo José Teixeira, doutor em toxicologia e análises toxicológicas pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (FCF-USP) e presidente do Sindicato dos Farmacêuticos no Estado de São Paulo (SINFAR-SP), e pelo pesquisador da Fundacentro/SP, João Apolinário da Silva.

A pesquisa da dissertação de Anildo Passos estava inserida em um projeto conjunto com a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de São Paulo e com o Setor de Riscos Químicos da Coordenação de Higiene do Trabalho da Fundacentro. Esse trabalho foi iniciado em 2010, nas fundições de ferros do estado de São Paulo.

O orientador Carlos Sérgio explicou que o processo de trabalho envolvia estudos dos programas de gestão das empresas envolvidas, auditorias e reuniões nas empresas e no SRTE para discutir modificações nos sistemas de gestão de SST. “Processo muito rico, com análise de grande quantidade de material em termos de documentos, em termos de análise de filmes e fotos do processo produtivo e, que foi muito bem abordado pelo Anildo, no qual resultou em um material que será fundamental para nossos colegas auditores fiscais e empresas”, ressaltou Carlos.

Os desdobramentos em termos das auditorias e capacitação de profissionais de SST ligados ao processo produtivo ou não, isso porque a análise realizada em termos da gestão de SST realizada pelas empresas, que focaram principalmente o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais e o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, mostrou incompatibilidade entre esses dois programas, uma vez que as Normas Regulamentadoras preconizam um trabalho conjunto dos profissionais que elaboram esses programas.

“Nós professores do Programa de Pós-Graduação Trabalho, Saúde e Ambiente da Fundacentro, estamos felizes com os resultados alcançados e com os futuros frutos a serem gerados por outras dissertações, sobretudo pelos desdobramentos das que já foram defendidas”, ressaltou Carlos Sérgio.

Open Inovation Week

Quando?

24 a 27 de novembro de 2013

Onde?

WTC São Paulo
Avenida das Nações Unidas, 12.551, Brooklin Novo
São Paulo, SP - CEP 04578-903
+ 55 11  3055-8888 

Histórico

Promovido pelo Wenovate - Open Innovation Center, o evento teve sua primeira edição em 2008, quando reuniu cerca de 350 especialistas e praticantes de inovação aberta para discussão do tema com o Prof. Henry Chesbrough, criador do conceito.
A Semana da Inovação Aberta oferece aos seus participantes um ambiente neutro e multidisciplinar onde diferentes atores podem desenvolver atividades e projetos colaborativos voltados ao desenvolvimento de inovações em suas mais distintas expressões.
Após 6 edições, o evento registrou mais de 800 instituições participantes, 80 apoiadores e 50 patrocinadores   nacionais e internacionais ligados a disseminação e prática da inovação aberta no Brasil. Em 2012, bateu recordes, registrando 1.658 presentes representando de mais de 20 países, marca que o consolidou como um dos maiores eventos de inovação aberta do mundo.

Fonte e demais informações: http://www.openinnovationweek.com.br/index.php

Prefeitura de Itabira abre concorrência pública para elaboração de projetos de captação de água

A Prefeitura de Itabira publicou na última semana o edital do processo licitatório 088/2013, que diz respeito à Concorrência Pública nº 001/2013, do tipo menor preço. Esta concorrência tem como objeto a contratação de uma empresa para elaborar o projeto básico e o projeto executivo de captação de água no Rio Tanque. A medida busca melhorar o abastecimento de água no município.
A Comissão Permanente de Licitação também disponibilizou o Caderno do Edital que contém todas as normas para participar do processo licitatório. Os interessados devem recolher uma guia de arrecadação no Departamento de Tributação, efetuar o pagamento e apresentar o comprovante no Departamento de Contratos, localizado no segundo andar da Prefeitura. O valor de cada Caderno é R$ 50, que corresponde ao valor de preparação das cópias impressas e em CD.
Os interessados em participar do processo devem entregar os envelopes de ‘documentação de habilitação’, ‘proposta técnica’ e ‘proposta de preços’, na Seção de Atendimento e Protocolo, na Prefeitura, de 8h às 17h. No dia 8 de novembro, data de início da reunião de abertura dos envelopes, as propostas poderão ser entregues até às 13h30. A reunião iniciará às 14h, no auditório do paço municipal.

Projeto Rio Tanque
O projeto para captação de água do Rio Tanque busca atender o município de Itabira por, no mínimo, 30 anos. De acordo com o engenheiro sanitarista do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), Jorge Borges, o Ministério das Cidades já liberou R$1.221.000,00 para iniciar o projeto. “Inicialmente, o Rio Tanque vai gerar 550 litros de água por segundo. Isso significa três vezes mais que a quantidade operada atualmente pelo Sistema Pureza, que oferece água tratada a 55% da população urbana de Itabira”, disse.
O cronograma físico de execução do projeto é de 13 meses a partir da data de assinatura da ordem de serviço.
Além do projeto do Rio Tanque, o governo municipal, por meio do SAAE, em busca de soluções para ampliar a oferta e reduzir o déficit de abastecimento no município, ainda possui os seguintes projetos de captação em andamento: Rio de Peixe (60 litros por segundo) e Barragem de Santana (100 litros por segundo). O investimento total será de R$ 90 milhões e a expectativa é de que até setembro de 2014 o sistema Rio de Peixe já esteja funcionando.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Os transtornos mentais mais frequentes no trabalho.

Os transtornos mentais mais frequentes no trabalho.

Impressão 3D: Fábrica doméstica já é economicamente viável

Impressão 3D: Fábrica doméstica já é economicamente viável: Pesquisadores fizeram um análise econômica do ciclo de vida das impressoras 3D tomando por base uma família média.

Nave futurística cairá na Terra em Outubro

Nave futurística cairá na Terra em Outubro: Considerada uma das mais belas naves já fabricadas, seu fim será digno de uma estrela: ela vai se queimar ao reentrar na atmosfera.

Grafeno leva luz para o interior de processadores

Grafeno leva luz para o interior de processadores: Enquanto um sistema recém-lançado possui 64 conexões ópticas, um único chip pode acomodar até 20.000 fotodetectores de grafeno.

Lançamento SolidWorks 2014 | Conferência | Eventos | CIMM

Lançamento SolidWorks 2014 | Conferência | Eventos | CIMM

18° Seminário Internacional de Alta Tecnologia | Seminário | Eventos | CIMM

18° Seminário Internacional de Alta Tecnologia | Seminário | Eventos | CIMM

Gestão Pública: ABCP leva soluções às cidades | Cimento Itambé

Gestão Pública: ABCP leva soluções às cidades | Cimento Itambé

Programa da associação fornece orientação técnica às prefeituras que queiram viabilizar projetos de habitação, saneamento e mobilidade
Por: Altair Santos
As manifestações de junho de 2013 mostraram que o tema urbano tornou-se relevante para a sociedade brasileira. Questões como habitação, saneamento e mobilidade urbana avançaram na pauta das prefeituras, mas boa parte delas desconhece como viabilizar projetos para captar recursos que possam transformar as cidades. Por isso, a Associação Brasileira de Cimento Portland desenvolveu o programa Soluções para Cidades, com o objetivo de dar orientação técnica para que os municípios possam transformar boas ideias em realidade...

Certificações verdes têm novos concorrentes no Brasil | Cimento Itambé

Certificações verdes têm novos concorrentes no Brasil | Cimento Itambé

Terreno é decisivo para sucesso da alvenaria estrutural | Cimento Itambé

Terreno é decisivo para sucesso da alvenaria estrutural | Cimento Itambé

Inovação é saída para crescimento da petroquímica Braskem

Marília Almeida - de Triunfo (RS)* 
Considerada a sétima maior petroquímica global e controlada pelo grupo Odebrecht, ela quase triplicou, em dois anos, do início de 2010 até o final do ano passado, os investimentos em seu centro de pesquisas para desenvolvimento de novas tecnologias: o volume de recursos passou de R$ 65 milhões para R$ 188 milhões. 
O registro de patentes, necessárias para proteger novos processos, também cresce à medida que os projetos são cada vez mais estratégicos e inéditos no mercado. Foram 30 depositadas em 2010 e 2011 e 47 em 2012, um total de 650. No primeiro semestre deste ano, mais 36 patentes foram registradas.
Patrick Teyssonneyre, diretor de inovação da área de polímeros da Braskem, revela que a companhia tem hoje seis grandes projetos no portfólio que serão lançados no mercado nos próximos três a cinco anos com o objetivo de entrar em novos mercados.
Em comum, exigem grandes investimentos e são de médio a longo prazo, já que necessitam de grandes adaptações e até o desenvolvimento de novas resinas. "Quase temos que mudar o DNA dos polímeros que produzimos hoje", conta o executivo. 
Eles devem atender o maior pedido dos clientes da empresa: aumento de produtividade, além de redução do consumo de energia elétrica e peso dos materiais, que podem proporcionar grande economia.
O executivo está à frente do Centro de Tecnologia e Inovação localizado no Polo Petroquímico de Triunfo (RS), que completa dez anos com mais 300 projetos implantados e valor presente líquido de US$ 1,2 bilhão. Nos últimos três anos foram lançados 64 novos produtos, que já representam 18% do volume de vendas de resinas termoplásticas.
Iniciativas recentes já apontam o esforço para ampliar a área de atuação: são produtos como as telhas de PVC e os tanque de combustível de plástico. "O tanque foi algo que levamos cinco anos para desenvolver ao lado de um trabalho intenso junto com as montadoras", conta o executivo. 
O início da transformação parece ter sido 2006, quando, a partir de aquisições, a empresa ganhou musculatura, passou a atuar nos Estados Unidos e a Europa e consolidou sua posição no mercado.
Antes, diz Teyssonneyre, o foco era "copiar" novas tecnologias de forma rápida, sem pedir propriedade intelectual. "Não vamos nos perpetuar se não rompermos limites tecnológicos para estar na vanguarda. O objetivo é lançar, e não seguir tendências". 
Parece que a estratégia vem dando resultados. Uma das plantas da Braskem no País, que Teyssonneyre não revela o nome, já conseguiu reduzir a fatia de exportação de 80% para 40%.
Importação de mão-de-obra
No caminho para inovar, existem entraves. Segundo Teyssonneyre, eles não estão focados tanto em financiamento, apesar da burocracia que envolve a contratação de financiamentos, mas, sim, em mão de obra.
A petroquímica, que tem um centro de pesquisa em Pittsburgh, nos Estados Unidos, com o qual compartilha projetos e informações, principalmente no segmento de polipropileno e relacionados ao setor automotivo; cogita importar mão-de-obra não apenas dos Estados Unidos, mas também da Europa. "Faltam pesquisadores com as competências necessárias e vontade de trabalhar com a indústria", resume o executivo. 
Algumas vagas abertas no centro de Triunfo demoram até oito meses para serem preenchidas. O problema não é necessariamente competências técnicas do segmento. "Muitos candidatos não têm inglês adequado para o cargo. Trabalhamos muito ao lado do centro dos Estados Unidos". 
O registro de patente no Brasil é demorado: dura de cinco a oito anos. A empresa conversa com associações e governo para acelerar este processo.
Plástico verde
De acordo com o executivo, o plástico verde, produzido a partir do etanol de cana-de-açúcar e que colabora para reduzir a emissão de gases no meio-ambiente, continua na prateleira da na área de inovação, mas ainda é um nicho de mercado, ainda mais em um cenário de pressão de custos nas empresas. "Hoje poderíamos dobrar a produção, mas faltam pedidos".
O lançamento mais recente foi a nova linha de baixa densidade, uma família adicional do plástico cuja produção anual será de cerca de 30 mil toneladas. Este ano a petroquímica também firmou contrato com a Tetrapak para oferecer o plástico para embalagens.
A repórter viajou a convite da Braskem