Pesquisar

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Corda de carbono levará elevadores a 1km de altura

Corda de carbono levará elevadores a 1km de altura: Os cabos de aço usados nos elevadores atuais só conseguem alçá-los a alturas por volta dos 500 metros.

Proteínas biônicas darão origem a nanomáquinas e nanorrobôs

Proteínas biônicas darão origem a nanomáquinas e nanorrobôs: Cientistas afirmam estar prontos para criar as primeiras proteínas biônicas.

Japoneses criam óculos que impedem de serem reconhecidos

Invasão de privacidade: Japoneses criam óculos que bloqueiam reconhecimento facial, o que para muitos poderá parecer muito estranho e irão se perguntar; Porque se esconder?
Uma proteção ou um perigo eminente? Eis a questão; e é essa questão que deixo no ar depois de ler uma informação de que cientistas japoneses “preocupados” com questões de invasão de privacidade desenvolveram um modelo de óculos que previne que o equipamento de reconhecimento facial os identifique pelo rosto.
Os óculos possuem onze luzes de LED muito similares as de infravermelho, que emitem um brilho invisível a olho nu, mas para as câmaras do Google Glass não, impedindo que a tecnologia os reconheça pelas feições. De acordo com o Daily Mail, duas mil unidades destes óculos foram disponibilizados, a um preço de US$ 1,500 e nos próximos meses mais unidades serão disponibilizadas ao grande público.
A mesma preocupação que tive, fora levantada, pois pelo equipamento incluir uma câmara que não ascende nenhuma luz e não emite nenhum som, ele poderá captar fotos ou vídeos sem que outras pessoas percebam, o que poderá acarretar sim, em invasão de privacidades.
Mas preocupações a parte, essa tecnologia até o momento só funciona perante câmaras sensíveis a infravermelho.

Nova tecnologia óptica pode aumentar extensão de banda na web

Uma nova tecnologia de fibra óptica poderia aumentar consideravelmente a capacidade de transmissão na internet, com o envio de dados por raios luminosos em forma de turbilhão ao invés de fazê-lo em linha reta, informaram cientistas nesta quinta-feira.
Em um ambiente de permanente aumento da demanda da internet, que põe à prova os limites de capacidade da rede, este avanço permitiria aumentar consideravelmente a amplitude das bandas de transmissão para aliviar a congestão do tráfego e aumentar o fluxo dos vídeos.
A nova tecnologia está baseada na emissão de raios laser chamada "turbilhão óptico", devido à qual a luz se desloca como um tornado ao invés de fazê-lo em linha reta.
Objeto de vários estudos de biologia molecular em física atômica e óptica quântica, se considerava que o "turbilhão óptico", também conhecido como "momento cinético orbital", era instável nas fibras ópticas. As conclusões do estudo serão publicadas na edição de 28 de junho da revista Science.
"Durante várias décadas, os cientistas consideravam que os raios luminosos transportados por turbilhão óptico nas fibras eram fundamentalmente instáveis", explicou o professor de engenharia Siddharth Ramachandran, da Universidade de Boston (Massachusetts, nordeste), um dos principais autores da pesquisa.
"São trabalhos impressionantes", considerou Keren Bergman, um engenheiro elétrico da Universidade de Columbia em Nova York.
Bergman compara este avanço com descobertas dos anos 1990 sobre a possibilidade de transmitir múltiplos fluxos de informação no mesmo cabo de fibra óptica usando diferentes alcances de onda. Este tipo de cabos transportam atualmente 10 mil vezes mais dados do que há 30 anos.
A agência de investigação do Pentágono (DARPA) financiou os estudos sobre os turbilhões ópticos, dos quais participaram a empresa dinamarquesa OFS-Fitel e cientistas da Universidade de Tel Aviv, em Israel.

Preservação ambiental pode gerar abatimento de impostos

Hoje, 17 estados aplicam o ICMS ecológico, que varia de 1% a 5% do total do imposto arrecadado. O cidadão que adota algum tipo de ação sustentável tem desconto no imposto. É o IPTU verde, que dá desconto de até 20% do imposto.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Vídeo holográfico alcança resolução de TV

Vídeo holográfico alcança resolução de TV: Além disso, a técnica é de baixo custo e poderá beneficiar também as telas 2D comuns.

Nave espacial europeia passa pelo primeiro teste

Nave espacial europeia passa pelo primeiro teste: A IXV pesa 1.800 kg, e terá versões para carga e para tripulantes.

Plano de Abandono de Área

Ensina como planejar e executar um plano de abandono de área em caso de incêndio, destaca os principais requisitos básicos para a execução do plano: a formação, o treinamento da equipe de abandono e a execução dos exercícios de simulação.


Fonte e demais informações: http://www.youtube.com/watch?v=nc05CPIloKA

Congresso Nacional acelera votação de projetos cobrados por manifestações


Deputados e senadores fizeram mutirão pra votar projetos considerados prioritários. Eles derrubaram a PEC 37, aprovaram o projeto que destina receitas do petróleo para educação e saúde e o que trata a corrupção como crime hediondo.

Um Conto sobre Plágio - versão em português



Fonte e demais informações: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=d0iGFwqif5c#at=130

Saiba como funciona o computador de 25 dólares

por Ronaldo Prass
G1 testou um dos menores computadores do mundo, confira a avaliação.
Mesmo com a rápida evolução dos computadores pessoais, que têm seu desempenho ampliado a cada nova versão, pesquisadores da universidade de Cambridge, na Inglaterra, resolveram criar um pequeno computador com recursos de hardware suficientes para as funções básicas e com o preço de um brinquedo: o Raspberry Pi.
O computador de baixo custo criado para fins educacionais também pode ser utilizado em projetos comerciais. Embora possua dimensões reduzidas, equivalentes ao tamanho de um cartão de crédito, o Raspberry Pi é capaz de processar jogos educativos, navegar na internet, editar documentos, executar músicas e exibir vídeos em alta definição.
A ideia surgiu a partir da iniciativa de pesquisadores liderados por Eben Upton, que resolveram criar um computador que possibilitasse maior interação de crianças e adolescentes com o hardware básico, e para oferecer o acesso ao aprendizado à linguagem de programação de computadores.
Scratch
O Scratch é uma ferramenta de ensino de programação de computadores criada para crianças(Foto/Reprodução)
Devido ao seu baixo custo, o aprendizado não é prejudicado por conta de precauções para preservar o equipamento, o que poderia ser um impedimento caso fosse adotado um PC convencional. Um outro aspecto que contribui para a redução do custo é que todos os componentes estão acoplados na placa-mãe e a responsável pelo seu desenvolvimento é a Raspberry Pi Foundation, uma organização sem fins lucrativos.
As dimensões do computador são quase as mesmas de um cartão de crédito.
O kit vem apenas com a placa-mãe totalmente funcional, mas é preciso adquirir, separadamente, o cartão de memória e a fonte de alimentação. (Foto/Reprodução)
Embora o preço anunciado seja aproximadamente U$35, com os impostos ele deve chegar no Brasil por um preço em torno de R$170,00. Ele pode ser adquirido nessa páginahttp://www.raspberrypi.org ou através de alguma importadora parceira da fundação. O kit não acompanha o gabinete, cartão de memória e fonte de alimentação. Todos esses componentes devem ser adquiridos separadamente.
Após montado num gabinete de acrílico o Raspberry Pi fica com uma proteção adicional e com um excelente visual. (Foto: Reprodução)
Mesmo assim, o equipamento tem um um preço muito convidativo, principalmente para quem quer se aprofundar em computação. Um outro emprego dentro do segmento educacional é utilizar o mini PC em projetos de robótica. Além de versátil, excelentes projetos podem surgir a partir desse hardware.
Configuração
O hardware do Raspberry Pi modelo B é semelhante ao encontrado num smartphone. Veja abaixo as suas configurações:
  • Processador ARM de 700 MHz;
  • 512 MB de memória RAM;
  • Duas saídas USB 2.0;
  • Uma saída de vídeo HDMI;
  • Uma saída de vídeo RCA composta (PAL & NTSC);
  • Armazenamento em cartão de memória SD;
  • Rede Ethernet (RJ14);
  • Fonte de energia de 5V através de MicroSD;
  • Uma saída de som;
esquema da placa-mãe
O esquema da placa-mãe do Raspberry Pi modelo B (Foto: Divulgação Raspberry Pi Foundation)
Não é possível instalar o sistema operacional Windows nele. Até o momento estão disponíveis para instalação quatro distribuições Linux otimizadas. O download pode ser feito nesta página.
Home do desktop
Os testes foram realizados usando a distribuição Raspbian “wheezy”(Foto: Reprodução)

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Siemens usa software para aproximar jovens da engenharia

Uma das formas que a Siemens encontrou de formar sua base de clientes é apresentar seu software de modelação, o Solid Edge, para os futuros projetistas e engenheiros do mundo. A ideia, segundo Karsten Newbury, vice-presidente e gerente geral de Solid Edge, é acender a paixão dos jovens por projetos e engenharia.

Para a companhia, tantos as universidades quanto as escolas de nível médio e segundo grau, têm papel essencial na educação dos novos profissionais. Com isso, em diversos países a empresa oferece versões gratuitas de seus softwares para alunos.

No Brasil, o Programa Acadêmico Solid Edge visa desenvolver o conhecimento e habilidades dos estudantes em projetos de engenharia, além de promover competições baseadas em suas criações.

De acordo com o VP, além de formar sua base de clientes, a iniciação de jovens ao software de modelação pode ajudá-los a desenvolver melhores versões do Solid Edge. A ideia, segundo o executivo, é usar o conceito de 'lean startup', que testa os produtos diretamente no mercado.

"Testamos as versões betas com nativos digitais que nunca tiveram contato com nosso produto. A nova geração de engenheiros, que já tem familiaridade com videogames, smartphones e computadores, pode aprender também por meio de vídeos de treinamento online", comentou o executivo. "Tivemos um bom feedback das pessoas que usaram nosso produto pela primeira vez", completou.

A Siemens acredita que estas iniciativas podem estimular o cenário de inovação nos países, especialmente no Brasil, que caminha a passos lentos no mercado de patentes. Para conhecer o projeto acadêmico da companhia no país e saber mais sobre as competições que estão acontecendo, clique aqui.

* A jornalista viajou a Cincinatti a convite da Siemens

EVENTO DISCUTE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

Na próxima semana será realizado o Congresso Brasileiro de Eficiência Energética e Expo-Eficiência (COBEE) 2013, maior evento do setor. Acontecerá no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo (SP), nos dias 2 e 3 de julho.
Chegando à sua 10ª edição, o COBEE abordará os temas mais recorrentes do segmento de energia, como planejamento, sustentabilidade, incentivos e projetos de eficiência energética em sistemas térmicos e elétricos, por exemplo. Serão discutidas inovações no transporte público, com a questão do uso de automóveis, além da reutilização de água e da arquitetura de edifícios. As palestras serão apresentadas por representantes de órgãos ligados ao Governo e profissionais do setor.
A edição de 2012 teve uma avaliação muito positiva, com 97% das pessoas presentes tendo considerado os temas apresentados bons ou ótimos. Para mais informações sobre o 10º COBEE, acesse www.cobee.com.br/.
Fonte e demais informações: http://www.inthemine.com.br/mineblog/

Mini-acelerador de elétrons vai estudar a vida em detalhes

Mini-acelerador de elétrons vai estudar a vida em detalhes: Ele cabe em cima da mesa, mas sua energia equivale à de um equipamento tradicional do tamanho de dois campos de futebol.

Baterias de lítio são fabricadas por impressão 3D

Baterias de lítio são fabricadas por impressão 3D: As microbaterias de íons de lítio têm o tamanho de um grão de areia.

terça-feira, 25 de junho de 2013

Aviões serão elétricos enquanto estiverem no aeroporto

Aviões serão elétricos enquanto estiverem no aeroporto: Com os motores elétricos, será possível economizar entre 3% e 4% do combustível gasto pelos grandes aviões.

Teletransporte tem novo impulso com reciclagem quântica

Teletransporte tem novo impulso com reciclagem quântica: Um novo protocolo promete tornar mais eficiente o teletransporte, o transporte instantâneo de informações quânticas.

Microfones 2.0 fazem mapeamento e localizam você

Microfones 2.0 fazem mapeamento e localizam você: Os microfones incorporaram tecnologias que lhes deram funções que vão muito além de gravar sons.

MCTI financiará bolsas para estimular capacitações em microeletrônica

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) destinam R$ 2 milhões para apoiar projetos que promovam a consolidação de programas de pós-graduação. Serão concedidas bolsas em nível de mestrado e doutorado para linhas de pesquisa voltadas para a área de microeletrônica. Interessados têm até 10 de agosto para enviar propostas.
Os candidatos deverão basear os projetos em dois eixos temáticos. O primeiro deles é dispositivo e processos de fabricação. O segundo será projeto e teste de circuitos e sistemas integrados e ferramentas computacionais de apoio a essas atividades.
Os recursos da chamada pública serão providos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT). Metade do montante será aplicada em 2013 e, a outra, no próximo ano.
A divulgação dos resultados será feita no dia 16 de setembro. O financiamento das propostas começará a partir de 1° de outubro.

Ciência sem Fronteiras inclui a Itália nos destinos para bolsistas

O programa Ciência sem Fronteiras (CsF) incluiu a Itália como destino para receber, a partir do segundo semestre, bolsistas de graduação-sanduíche. Segundo um levantamento feito pelo Setor de Cooperação Educacional italiano, no âmbito do Programa de Apoio a Estudantes Brasileiros (PAEB), cerca de 70% dos 396 bolsistas de graduação do programa que se encontram atualmente no país europeu já foram beneficiados com experiência de estágio ou de participação em projetos.
Todas as instituições de ensino superior italianas do CsF têm convênios com empresas e institutos de pesquisa que oferecem vagas de estágio a estudantes de graduação. Em coordenação com a embaixada brasileira no país, a Secretaria Técnica do CsF Itália, sediada em Bolonha, divulgou o programa entre instituições italianas, públicas e privadas, que poderiam oferecer estágio aos bolsistas.
Em muitos casos, o setor de estágio da própria universidade é o instrumento de auxílio aos estudantes. A Telecom Itália/Tim, por exemplo, oferece semestralmente 50 vagas para o programa nos centros de pesquisa que mantém em Roma, Trento, Turim e Veneza.
Exemplos
O bolsista Dilermando da Costa Ferreira Neto, de 21 anos, do curso de engenharia de controle e automação da Universidade do Estado do Amazonas (Ueam), participou do grupo vencedor de competição realizada pela Nasa na Itália. O projeto Green on the Red Planet objetivou o desenvolvimento de estufa automática com capacidade para alimentar quatro astronautas em Marte.
A equipe, que inclui uma chinesa, um indiano e 13 italianos, venceu 20 outras equipes. No grupo, o bolsista brasileiro, um dos principais idealizadores do projeto, é responsável por encontrar soluções criativas para a utilização de fontes sustentáveis de energia para a estufa.
(Agência Gestão CT&I com informações do CSF)

O que é preciso para se dar bem no setor de mineração

Marco regulatório da mineração vai turbinar número de oportunidades profissionais e mercado passa a exigir novo perfil de profissionais

São Paulo – Profissionais de olho no setor de mineração só têm a comemorar. Apresentado na semana passada pelo governo e encaminhado ao Congresso Nacional, o marco regulatório da mineração promete aquecer o segmento no Brasil, abrindo novas oportunidades profissionais.
É o que diz Fernando Guedes, diretor da Fesa de BH. “O formato de exploração de minério deve ficar parecido com o de petróleo. O governo espera ganhar dinamismo no trâmite de licenças tanto as ambientais quanto as de exploração”, diz.
De acordo com ele, toda a cadeia de exploração de minério deverá ter mais oportunidades já que o atraso atual na assinatura final do novo código tem segurado projetos de exploração de novas jazidas.
“Embora a gente ainda não saiba quanto isso representará, de fato, em números, de construtores a fornecedores de materiais precisarão de níveis gerenciais e diretivos para gestão contratos e de novas operações”, explica.
Mercado exige novo perfil
E o perfil exigido dos gerentes e dos diretores muda, segundo ele. “Hoje em dia existem profissionais com vasta experiência técnica, mas o desafio agora é agregar conhecimento estratégico para estruturar o retorno sobre o capital investido”, explica. A capacidade valorizada pelos recrutadores será de viabilização do negócio, desde a concepção, execução e acompanhamento, de acordo com Guedes.
Ou seja, o profissional capacitado para gerenciar recursos e orçamento, e com experiência técnica, sai na frente. “Essa mudança trazida pelo marco regulatório implica em concessões que tornam o processo mais competitivo, então as empresas vão oferecer solução de negócios já que haverá concorrência para explorar”, explica.
A cobrança para quem trabalha no setor será no sentido de gerir um contrato em uma condição pré-estabelecida. “Se hoje há o foco técnico e o profissional deve garantir, por exemplo, a produção de 5 toneladas de minério, com o novo modelo ele terá que garantir a produção respeitando o valor estabelecido no momento da licitação”, diz.
Formações em engenharia de minas, engenharia de petróleo, mecânica e de metalurgia são, além de geologia, as que mais se destacam no setor. Especialização em gestão de projetos e conhecimentos de inglês são diferenciais que aumentam as chances de garantir uma posição mais elevada em empresas de exploração de minério ou em fornecedoras de materiais o segmento, diz
Para funções gerenciais, têm mais chances, profissionais com a partir de 10 anos de experiência. “Há uma distancia natural entre a academia o campo. As escolas tentam mas não conseguem simular inteiramente a realidade de um campo de exploração”, justifica Guedes.
Os recém-formados encontram espaço no setor em funções de suporte a projetos. “Há condições de atuar em estágios e, depois, de formado, em campo em níveis operacionais. No curso eles já são informados de que precisam ir onde estão as jazidas de minérios para aprender na prática os meandros do processo de exploração”, diz.

ForScience

A Revista ForSience é um periódico técnico-científico de publicação semestral, que tem a finalidade de divulgar o conhecimento científico nas áreas de Ciência da Computação, Engenharia Elétrica, Gestão e Matemática, tendo caráter inter e multidisciplinar. A Revista destina-se à publicação de textos inéditos nas modalidades: artigos, resenhas, ensaios teóricos, além de replicações de trabalhos.
Submissões para a Revista ForScience: início 15 de junho  a 15 de setembro de 2013. Clique aqui...

Fonte e demais informações: http://www.formiga.ifmg.edu.br/forscience/index.php/forscience

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Setor de tecnologia da informação oferece 276 mil vagas em todo o país

Apesar da grande oferta, boa parte das vagas não são preenchidas, pois faltam profissionais qualificados. Caçador de falhas é uma das novas funções que surgem no mercado.

Fonte, vídeo e demais informações: http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-hoje/t/edicoes/v/setor-de-tecnologia-da-informacao-oferece-276-mil-vagas-em-todo-o-pais/2652259/

Descobertos monopolos magnéticos artificiais

Descobertos monopolos magnéticos artificiais: Enquanto o bit de um disco rígido tem cerca de um milhão de átomos, os skyrmions têm cerca de 15.

Pipa robótica gera eletricidade com ventos de altitude

Pipa robótica gera eletricidade com ventos de altitude: Ao contrário de pipas que são verdadeiras turbinas eólicas voadoras, a ideia dos engenheiros suíços é simplificar tudo o máximo possível.

Imagens 3D feitas com detectores de pixel único

Imagens 3D feitas com detectores de pixel único: Talvez seja melhor não se apressar para trocar sua velha filmadora especializada em imagens planas por uma filmadora 3D.

DNA dá vida a materiais inertes

DNA dá vida a materiais inertes: Com a automontagem, as partículas de um coloide recobertas com DNA podem formar espontaneamente um arranjo estrutural estável.

Concreto moderno importa tecnologia da Roma Antiga

Concreto moderno importa tecnologia da Roma Antiga: Para melhorar o concreto moderno, tornando-o mais durável e ambientalmente amigável, é só copiar o que os romanos faziam.

Poeira ejetada de buraco negro desafia teorias

Poeira ejetada de buraco negro desafia teorias: As observações mostram que a poeira está sendo empurrada para longe do buraco negro sob a forma de vento frio.

Doença degenerativa motiva empresário a lançar site que fiscaliza mobilidade urbana no Brasil

Negócio faturou a categoria Empreendedorismo Social do 2º prêmio Estadão PME

A Associação Abaporu foi a vencedora da categoria Empreendedorismo Social da segunda edição do Prêmio Estadão PME. A ação premiada foi o Mobilize Brasil, portal na internet que a entidade lançou em 2011 e cujo objetivo é melhorar a mobilidade urbana no País.

“Já alcançamos um milhão de pessoas e esse reconhecimento deverá aumentar ainda mais a nossa visibilidade”, afirmou Guilherme Bueno, conselheiro da iniciativa. Na premiação, Bueno representou Ricky Ribeiro, o idealizador do projeto.

Ricky é graduado em administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas e possui mestrado em sustentabilidade pela Universidade Politécnica da Catalunha, além de MBA executivo pela Universidade de Barcelona. Em 2008, Rick foi diagnosticado com uma doença degenerativa chamada esclerose lateral amiotrófica e, por isso, não consegue mais se movimentar ou falar.

Ricky, entretanto, ainda é o responsável principal pela estratégia de atuação do Mobilize Brasil, comunicando-se com a equipe que cuida do portal diariamente por meio de um leitor óptico que interpreta os movimentos da sua pupila.

O leitor também permitiu ao empreendedor responder algumas perguntas sobre a iniciativa por e-mail. “Estamos fomentando o debate sobre mobilidade urbana, disseminando uma cultura cidadã participativa em prol da melhoria da qualidade de vida nas cidades e influenciando políticas públicas.”

E para inspirar outros empreendedores que de alguma forma pretendem ajudar no desenvolvimento da sociedade, Ricky ressalta ações que contribuem para o êxito da organização: eficiência na aplicação dos recursos, foco nos resultados e, claro, contar com pessoas qualificadas e comprometidas. “Mas para um empreendedor social é essencial o brilho nos olhos e a paixão pela causa”, afirmou Ricky.



Fonte e demais informações: 
http://pme.estadao.com.br/noticias/noticias,doenca-degenerativa-motiva-empresario-a-lancar-site-que-fiscaliza-mobilidade-urbana-no-brasil,3118,0.htm

Aconteceu comigo - LER Uma lição vivida


O vídeo enfoca um sociopsicodrama do qual participaram trabalhadores portadores de LER. 

Traz depoimentos desses trabalhadores, de técnicos que trabalham com essa problemática -- médicos, psicólogos, ergonomista -- e de um sindicalista.

Mostra ambientes de trabalho em processos nos quais, sabidamente, ocorre LER.

O vídeo procura, ainda, evidenciar a história pessoal do aparecimento do distúrbio, sentimentos e sintomas, contextualização na vida e no trabalho, aspectos clínicos, psicossociais, culturais e da organização do trabalho.




Fonte e demais informações: https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Nbi9mLSYqCU

Como o VLT pode aliviar o transporte no Brasil

Os veículos leves sobre trilhos, mais conhecidos por VLTs, já ajudaram grandes cidades do mundo a resolver seus problemas de mobilidade – de forma econômica, eficiente e limpa

São Paulo – Dá pra desatar o nó do transporte no Brasil? A solução para atender uma das demandas mais fortes e legítimas dos protestos que se espalham pelo país – o direito a um transporte público eficiente e de qualidade – pode passar longe do entendimento do senso comum, de “colocar mais ônibus e metrô nas ruas”, e se aproximar de algo como “colocar o bonde na rua e entrar nos trilhos”.
Versão moderna dos velhos bondes, os veículos leves sobre trilhos, mais conhecidos por VLTs, são considerados por especialistas uma alternativa mais barata e sustentável que outros meios de transporte coletivo como os ônibus e o metrô. Eles podem transportar até quatro vezes mais pessoas que o primeiro e custar metade do segundo.
“Os VLTs ainda dão uma impressão de melhoria ambiental imediata. A motorização elétrica os torna mais silenciosos e menos poluentes”, destaca o especialista em transporte público da UNB, Paulo Cesar Marques. Comparado aos BRT´s (Bus Rapid Transit), além da vantagem ambiental, os VLTs proporcionam controle mais automatizado (e menos dependente do motorista), o que pode garantir maior conforto.
Por suas vantagens, os VLTs já ajudaram grandes cidades do mundo a resolver seus problemas de mobilidade. A  França é um exemplo de país que adotou os netos dos bondes como instrumento de gestão urbana. Atualmente, dezoito cidades francesas têm pelo menos uma linha de VLT e até 2014 outras nove implantarão suas primeiras linhas.
A expansão de projetos de VLT também conduziu à revitalização urbana em torno das linhas. Um estudo do Ministério de Meio Ambiente da França indica que em 2009, 30% dos subsídios que o governo concedeu às comunidades para seus projetos de VLT foram dedicados à melhorias nas áreas atravessadas.
Com todos esses benefícios, você deve estar se perguntando por que o Brasil ainda não adotou em massa essa tecnologia. De acordo com o especialista da UNB, é tudo uma questão de oportunidade. “As cidades europeias que são exemplo de sucesso no uso de VLT nunca deixaram de ter bonde. É natural que houvesse uma evolução para algo mais moderno”, explica Paulo Cesar.

“Quando essa tecnologia ganha maior confiabilidade e boa imagem por suas vantagens ambientais, surgem condições pra que outras cidades possam adotá-la”, acrescenta. Aos poucos, o VLT desponta como solução para o transporte no país.
A Copa de 2014 deu o impulso que faltava, com várias cidades incluindo projetos de VLT em seus planos de mobilidade. Em Cuiabá, aproximadamente 80% dos ônibus deixarão de trafegar por três das principais vias da cidade após a implantação do VLT, que deve ser entregue até meados de 2014.
Com 22,2 quilômetros de trajeto, o  VLT mato-grossense terá capacidade máxima de passageiros de 400 pessoas por veículo e o tempo de espera para o embarque será de até quatro minutos.
Parado desde abril de 2011, o projeto do veículo leve sobre trilhos de Brasília foi retomado em abril deste ano e prevê a construção de 22,6 km de linhas.
Já em São Paulo, o primeiro trecho do VLT, que vai ligar Santos e São Vicente, deve ficar pronto até meados do ano que vem. O projeto ocupa a antiga linha férrea das cidades do litoral e, quando estiver concluído, deverá transportar 70 mil passageiros.
Em investida mais recente, a prefeitura do Rio de Janeiro e o Governo federal assinaram na semana passada termo de compromisso para repasse de RS 532 milhões em recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade para a implantação do VLT na cidade.
Orçado em R$ 1,164 bilhão, o projeto carioca vai conectar a Região Portuária ao Centro da cidade e ao aeroporto Santos Dumont. Quando todas as suas seis linhas, distribuídas por 28 vias, estiverem operantes, a capacidade do sistema chegará a 285 mil passageiros por dia.

Marinha abre concurso para engenheiros

Foi publicado hoje (21), no Diário Oficial, edital de abertura de concurso público para preenchimento de 66 vagas de engenheiros da Marinha do Brasil, em diversas especialidades.
As vagas estão distribuídas por: Arquitetura e Urbanismo (1), Engenharia Aeronáutica (1), Engenharia Cartográfica (1), Engenharia Civil (4), Engenharia de Materiais (3), Engenharia de Produção (2), Engenharia de Sistemas de Computação (2), Engenharia de Telecomunicações (4), Engenharia Elétrica (9), Engenharia Eletrônica (9), Engenharia Mecânica (14), Engenharia Naval (10) e Engenharia Química (5).
As inscrições podem ser feitas no período de 01 a 30 de julho, no endereço www.ensino.mar.mil.br. A taxa de inscrição para todos os cargos é de R$ 45. Além da documentação referente à conclusão do curso de graduação, os candidatos devem ter no máximo 36 anos completos até 1º de janeiro de 2014.
As provas serão realizadas em 15 cidades do país, em data a ser divulgada. O concurso é composto por provas escritas (objetiva e discursiva) de conhecimentos profissionais, redação, tradução de texto (inglês técnico), inspeção de saúde, teste de aptidão física, verificação de documentos e de dados biográficos.
Os aprovados passarão pelo Curso de Formação de Oficiais (CFO) da Marinha, no Centro de Instrução Almirante Wandenkolk, no Rio de Janeiro, com duração de aproximadamente 39 semanas.
O edital e as informações complementares podem ser obtidas na Diretoria de Ensino da Marinha, pelo endereço https://www.ensino.mar.mil.br/sitenovo/index.html.
Fonte: SOS Concurseiro

terça-feira, 18 de junho de 2013

Atualização de software funciona sem parar o programa

Atualização de software funciona sem parar o programa: O truque consiste em deixar a versão antiga rodando em um núcleo do processador, enquanto outro núcleo providencia a atualização.

Endereço da Terra na Via Láctea ganha mais respeito

Endereço da Terra na Via Láctea ganha mais respeito: Continuamos morando no subúrbio, mas em uma avenida, e não mais em um beco.

Chip congela átomos para tecnologias quânticas

Chip congela átomos para tecnologias quânticas: De computadores quânticos a GPS, os sensores quânticos miniaturizados terão ampla gama de usos.

Com pressão das ruas, Planalto dá aval para projeto que desonera transporte público

BRASÍLIA - Diante das manifestações que tomaram conta do país, o Palácio do Planalto deu aval para a aprovação, pelo Congresso, de projeto que desonera o transporte público de passageiros com o objetivo de reduzir a tarifa. A medida atingiria ônibus, microônibus, metrô, trem metropolitano, trólebus e veículos leves sobre trilhos (VLT). A estimativa é de queda de até 15% no valor da passagem e de renúncia fiscal de cerca de R$ 4 bi por ano. A proposta, no entanto, enfrentou forte resistência de senadores por prever como contrapartida a renúncia de receita por parte de governos estaduais e prefeituras.
O relator da matéria na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, Lindbergh Farias (PT-RJ), leu seu parecer nesta terça-feira e houve pedido de vista. O projeto deve ser votado na próxima semana e, como é terminativo, se não houver recurso, irá direto para a Câmara, sem passar pelo plenário do Senado.
- A gente está presenciando manifestações em todo o país, e um motivo que deu início a essas manifestações foram as passagens do transporte coletivo. O Senado e o governo têm que escutar a rua - afirmou Lindbergh.
Para a concessão das desonerações são exigidas contrapartidas tanto das empresas quanto dos governos estaduais e das prefeituras. Os governadores e prefeitos teriam que desonerar o transporte coletivo do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS). Também teria que ser implantado regime de bilhete único ou integração física e tarifária do sistema de transporte.
Por parte do governo federal haveria isenção das contribuições para o Programa de Integração Social (PIS) e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), além da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) na aquisição de insumos relativos a operação dos serviços de transporte, como óleo diesel, energia elétrica (afeta principalmente metrô) e bens de capital (veículos, chassis, carrocerias e pneus).
O projeto lista ainda uma série de desonerações que já foram concedidas pelo governo federal, como isenção de PIS/PASEP e da Cofins incidentes sobre as tarifas do serviço de transporte público; da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE) na aquisição de combustível e desconto na contribuição patronal à seguridade social.
A projeto enfrentou forte reação não só de senadores de oposição, mas também da base aliada, por causa do impacto da renúncia de ICMS e ISS sobre o caixa de governos estaduais e prefeituras.
- A isenção de imposto tem que ser analisada com o maior cuidado. Tem que ver o que representa para o estado, se não vai ter impacto na saúde, educação - afirmou o senador Francisco Dornelles (PP-RJ).
O líder do PSDB, senador Aloysio Nunes Ferreira (SP), afirmou que o governo federal está querendo fazer “bondade como chapéu alheio” e disse que os governadores já rejeitaram anteriormente abrir mão dessas receitas:
- O que é esse projeto além de uma operação política?
O relator afirmou que o mérito do projeto é organizar o sistema de transporte público como um todo:
- Estamos criando um sistema integrado, no qual o governo federal vai dizer que abre mão do seu, se eles (governos estaduais e prefeituras) abrirem mão do seu. Estamos coordenando as isenções.

Engenharia e acessibilidade juntas em evento gratuito do CTC/PUC-Rio

Engenharia e acessibilidade juntas em evento gratuito do CTC/PUC-Rio: SEAA 2013 vai trazer palestras de cientistas e engenheiros internacionais e brasileiros. Também estão previstas demonstrações dos mais modernos equipamentos automatizados, incluindo uma prótese ...

Veículo elétrico é feito com apenas uma base para os pés e cabe na mochila

Usuário precisa deslocar o peso do corpo para controlar a velocidade e direção

Um transporte poderoso e portátil com um design elegante. É esse o objetivo do Hovertrax, um veículo elétrico que envolve apenas uma base para os pés e cabe na mochila do usuário. Para se movimentar, o usuário precisa deslocar o peso do corpo para controlar a velocidade e direção. O projeto é uma invenção de Shane Chen e está em busca de recursos no site de financiamento coletivo Kickstarter até o dia 30 de junho.


A meta de US$ 40 mil já foi atingida. O projeto já tinha arrecadado mais de US$ 75 mil 15 dias antes de terminar o prazo para o financiamento. A previsão é que o Hovertrax seja vendido por US$ 995, mas quem ajudou com US$ 695 ou mais receberá o produto em primeira mão, com previsão de entrega para dezembro.

Conforme o site Springwise, plataforma criada para captar e replicar boas ideias de empreendimento ao redor do mundo, para mover o Hovertrax, o usuário só precisa se inclinar para a frente para o veículo começar a se mover. Para girar para esquerda ou para a direita, é preciso colocar um pouco de pressão sobre o lado que deseja seguir.

Além de se mover para frente, para trás, direita ou esquerda, o usuário ainda consegue girar no sentido horário ou anti-horário. A plataforma, movida a bateria,  pesa cerca de 4 kg e atinge uma velocidade de 10 km/h.



Fonte e demais informações: http://pme.estadao.com.br/noticias/noticias,veiculo-eletrico-e-feito-com-apenas-uma-base-para-os-pes-e-cabe-na-mochila,3097,0.htm

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Google testa balões para prover acesso à internet

O GLOBO, COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS 
NOVA ZELÂNDIA — A Google deu início neste sábado aos testes do Project Loon, que pretende prover acesso global à internet por meio de equipamentos instalados em balões estratosféricos. Foram lançados 30 balões na Nova Zelândia, que vão oferecer acesso à rede em velocidade 3G para 50 pessoas no país que testarão a tecnologia.
— É difícil levar a internet a muitas partes do mundo — disse Richard DeVaul, diretor técnico do laboratório GoogleX em entrevista à BBC. — A ideia por trás do Loon é que deve ser mais fácil conectar o mundo usando o que existe em comum: o céu.
Os balões utilizados no projeto foram desenvolvidos pela Força Aérea americana nos anos 1950 e usam um filme de poliéster chamado Mylar. Eles são hermeticamente selados para comportar gases mais leves que o ar em alta pressão.
Cada balão tem 15 metros de diâmetro e carrega antenas de rádio, computadores de voo, sistema de controle de altitude e painéis solares para prover energia ao sistema. Eles voarão na estratosfera, a uma altitude de 20 quilômetros, o dobro da utilizada pela aviação comercial.
De acordo com a Google, eles ficarão no ar por cerca de 100 dias, provendo acesso à internet em uma região de 40 quilômetros de diâmetro em torno de cada balão. Empurrados pelo vento, os balões navegarão na direção leste para oeste.
Um dos primeiros a testar a tecnologia foi o fazendeiro Charles Nimmo, que mora na pequena cidade de Leeston. Na casa dele foi instalado um receptor do tamanho de uma bola de basquete que lembra o formato dos pins do Google Maps. No primeiro teste, Nimmo conseguiu acessar a internet por cerca de 15 minutos até o balão que estava provendo o acesso se afastar para fora da área de alcance.
— É excitante fazer parte de algo novo — disse Nimmo, em entrevista ao “The Guardian”.
Para participar do projeto, Nimmo se inscreveu no experimento. Ele é uma das pessoas que poderão se beneficiar da tecnologia caso ela se torne um produto comercial. Por viver em uma área rural, o acesso à internet é provido por satélite, que custa cerca de US$ 1 mil por mês.
Segundo a Google, durante os testes o acesso será intermitente, mas espera construir uma frota com milhares de balões que poderá oferecer links confiáveis para a população que vive em áreas remotas. A companhia também planeja utilizar a tecnologia em áreas afetadas por desastres, onde a infraestrutura de telecomunicações for comprometida.
O maior desafio para a equipe do projeto é controlar a direção dos balões. DeVaul explica que a ideia é que os balões se movam para cima e para baixo para alcançar ventos apropriados que possam controlar a direção do movimento.
— Nós não queríamos que eles fossem para onde o vento os levassem, nós queríamos que eles fossem para onde a internet fosse necessária em solo — disse. — Então nós temos que criar um balé coreográfico para a frota.

Componente óptico decide para onde virar a luz

Componente óptico decide para onde virar a luz: O dispositivo escolhe para onde direcionar a luz de acordo com informações codificadas no próprio feixe de luz.

Robô biomecânico corre como um gato

Robô biomecânico corre como um gato: Como o cérebro dos robôs cabe em um chip, robôs biomecânicos podem dispensar a cabeça.

Material multiuso faz tudo em energia verde

Material multiuso faz tudo em energia verde

Carro será próxima plataforma para tecnologia, diz CEO da GM

Para Dan Akerson, automóvel se tornará uma importante plataforma para tecnologia "e uma com uma bateria muito mais duradoura do que um iPhone"

Boston - O carro é o próximo grande campo de provas para a tecnologia de comunicações, disse na quinta-feira o CEO da General Motors Co, Dan Akerson.
O automóvel se tornará uma importante plataforma para tecnologia "e uma com uma bateria muito mais duradoura do que um iPhone", disse ele em comentários preparados para os principais executivos do Club of Boston.
Desenvolver melhor tecnologia para o interior do carro é fundamental para montadoras como a GM atraírem compradores mais jovens, que apreciam tecnologia. Se conseguirem, as empresas vão gerar novas fontes de receita e aumentar as margens de lucro. Uma abordagem para a GM pode ser a venda de publicidade dentro do próprio carro, Akerson disse no mês passado.
Em meados de 2014, a montadora número 1 dos EUA, em parceria com a AT&T Inc, vai começar a vender veículos embarcados com banda larga móvel 4G LTE, uma conexão sem fio que permite um fluxo mais rápido de dados que, segundo a GM, permite que os passageiros no banco traseiro assistam transmissões de vídeo.
Akerson, um ex-alto executivo de empresas de telecomunicações como MCI, Nextel e XO Communications, disse que as montadoras não têm escolha, enquanto o consumidor médio dos EUA está gastando mais do que 2 horas e meia por dia em seus smartphones e tablets. Isso supera as 16 horas semanais gastas em carros como motoristas ou passageiros.
"Case os dois e você tem uma megatendência que pretendemos aproveitar como vantagem competitiva", disse ele.

Chamadas de Trabalho

Topo

Autores são convidados a submeter trabalhos de pesquisa, resultados experimentais e desenvolvimentos dos tópicos indicados no link "Interesses". No entanto, outras áreas da Computação poderão ser aceitas, mediante aprovação da comissão organizadora. A submissão de trabalhos será exclusivamente eletrônica.

Os artigos podem ser escritos em português ou inglês, exclusivamente no formato PDF. A formatação do texto deve seguir o padrão da SBC - Clique aqui para fazer o download.

Artigos completos devem conter de 8 a 10 páginas e resumo de 2 a 4 páginas.

:: Datas Importantes:

- Data limite para submissão de artigos: 09/09/2013.
- Notificação do resultado da avaliação: 14/10/2013.
- Envio da versão final dos artigos: 11/11/2013.
:: Observações Importantes 

Os artigos enviados para serem avaliados, não devem conter cabeçalho (Nome do autor, Instituição, e-mail, dentre outras informações que identifiquem o(s) autor(es)). O cabeçalho deverá ser enviado no corpo do e-mail, sendo totalmente vedada a existência dessas informações no artigo a ser avaliado, a fim de respeitar o procedimento de revisão cega adotado pela Revista.

Favor, efetuar a submissão através do endereço r.retec@gmail.com.

Fonte e demais informações: http://cpd1.ufmt.br/rondonopolis/retec/

MEC SHOW 2013

MEC SHOW 2013

T_mec131
Tipo evento:Feira
Período:23/07/2013 - 26/07/2013
Local / Contatos
MEC SHOW 2013 – Feira da Metalmecânica, Energia e Automação



http://www.mecshow.com.br/site/2013/pt/home

Descrição do Evento

Em sua 6ª edição, a MEC SHOW 2013 reúne produtos, equipamentos, informações e relacionamentos que contribuem de forma cada vez mais efetiva para ampliar o crescimento da sua empresa, propiciando parcerias e fechamento de negócios.


Nos quatro dias do evento você terá a oportunidade de se relacionar com um público seleto de empresários do setor metalmecânico, representantes das grandes plantas industriais do Espírito Santo, entre outros compradores interessados em seus produtos e serviços.

-------------------------------------------------------


Negócios, Qualificação e Inovação

O Espírito Santo vive um momento de forte desenvolvimento econômico, com um crescimento acima da média nacional. Os investimentos privados previstos para os próximos anos, superiores a US$ 43 bilhões, junto com os investimentos públicos, coloca o Estado em terceiro lugar no ranking nacional, superando Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Esses investimentos serão realizados em diferentes setores da economia: na expansão, instalação ou operação de empresas de mineração, siderurgia, papel e celulose, energia, petróleo e gás natural, naval, ferroviário e portuário. Segmentos considerados vitais para a economia capixaba e até mesmo do Brasil.

Uma feira do porte da MEC SHOW 2013 – Feira da Metalmecânica, Energia e Automação, realizada em um estado reconhecido nacionalmente como importante centro de desenvolvimento do setor metalmecânico, serve de palco para que os empresários possam trocar informações, conferir as demandas das indústrias e ainda conhecer os novos lançamentos de máquinas e equipamentos.

Seja bem-vindo a mais uma MEC SHOW!

Visite, participe e aproveite!