Pesquisar

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Processadores 3D poderão ter conexões biológicas

Processadores 3D poderão ter conexões biológicas: Proteínas são usadas para passar os fios entre as diversas pastilhas de silício que compõem o chip 3D.

Coreia apresenta trens elétricos sem fios

Coreia apresenta trens elétricos sem fios: Engenheiros coreanos desenvolveram um sistema de transmissão de eletricidade sem fios de alta potência.

Células solares superam biocombustíveis em km rodados

Células solares superam biocombustíveis em km rodados: Quando o assunto é transformar a luz do Sol em quilômetros rodados, o par célula-solar/carro elétrico supera largamente a dupla biocombustível/carro a combustão.

Olimpíada Brasileira de Robótica abre inscrições no próximo mês


A partir de março iniciam as inscrições para a Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR). A iniciativa visa contribuir para a popularização e difusão da ciência e tecnologia junto aos jovens em vários países. Escolas estaduais, professores e alunos podem se inscrever. 

A OBR possui diversas modalidades que procuram adequar-se tanto ao público que nunca viu robótica quanto ao público de escolas que já têm contato com a robótica educacional. Anualmente, a OBR elabora e gere a aplicação de provas teóricas e práticas em todo o Brasil utilizando essa temática.

Para participar, o representante da escola deve realizar o cadastro no sistema eletrônico. Caso a instituição do aluno já seja cadastrada na OBR, basta efetuar a inscrição na modalidade de  preferência.

Acompanhe as datas do processo de inscrição neste link.

(Agência Gestão CT&I de Notícias com informações da Faperj)

Organização americana premiará os melhores artigos científicos sobre gestão da tecnologia


A Portland International Conference on Management of Engineering and Technology (Picmet), organização americana sem fins lucrativos que dissemina informações sobre  gestão da tecnologia, premiará os três melhores  trabalhos inscritos para a sua convenção internacional, a ser realizada de 28 de julho a 1° de agosto, em San Jose, na Califórnia. O prazo para a submissão dos trabalhos encerra no dia 28 de fevereiro.

Podem participar estudantes matriculados em cursos de mestrado ou doutorado e também alunos que tenham concluído a pós - graduação depois de 31 de julho de 2011. Os trabalhos devem ser alicerçados em pesquisas de um curso de pós - graduação e precisam ser remetidos pelo orientador do trabalho.

Os vencedores serão agraciados pelo Brad W. Hosler Outstanding Student Paper Award. Cada um embolsará US$ 1 mil para custear os gastos da viagem e não será necessário pagar a inscrição do evento.

Para mais informações sobre o evento acesse este link 

(Agência Gestão CT&I de Notícias com informações da Fapesp)

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Gerador triboelétrico captura eletricidade estática

Gerador triboelétrico captura eletricidade estática: Descoberta uma forma de converter eletricidade estática em eletricidade útil em alta potência.

Brasileiros avançam rumo às superligas de nióbio

Brasileiros avançam rumo às superligas de nióbio: Novas superligas à base de nióbio poderão levar a uma maior eficiência energética em usinas termelétricas e em sistemas de propulsão de aviões e foguetes.

UnB recebe estação do Glonass, o GPS russo

UnB recebe estação do Glonass, o GPS russo: A instalação da base na UnB beneficiará pesquisas nas áreas aeroespacial, automação, robótica e biomédica.

Máquina recicla plástico para ser reutilizado em impressoras 3D


Atualmente, existem diversas opções de impressoras 3D, com os mais diferentes preços e tecnologias. Mas uma das grandes barreiras para a expansão da impressão 3D ainda é o custo do material utilizado pelas máquinas, que dependendo da tecnologia, pode ser bem alto. Porém, pesquisadores começam a solucionar esse entrave. Uma máquina, inventada pelo estudante universitário americano Tyler McNaney, recicla plástico para ser reutilizado em impressoras 3D.
O equipamento, chamado de Filabot, tritura e derrete o material e o transforma em um novo filamento, pronto para ser utilizado. A Filabot é capaz de criar filamentos com 3.0 ou 1.75 milímetros de diâmetro, usando quase todo o tipo de plástico que se tem em casa, desde PET e polipropileno a nylon-101.
 
Segundo os responsáveis pelo produto, com essa solução os desperdícios acabaram, já que ela consegue reciclar peças em 3D mal impressas, partidas ou antigas, tornando a criação do novo protótipo mais viável economicamente.
 
Uma garrafa de plástico de dois litros (PET), que pesa cerca de 50 gramas, por exemplo, pode se transformar em cerca de €1,90 (R$ 5,1) de filamentos de impressão.
 
Tyler McNaney agora se prepara para produzir as 67 primeiras unidades da Filabot. O valor da máquina ainda não foi divulgado.
 
O engenheiro alemão Marcus Thymark também está desenvolvendo uma máquina do mesmo tipo. Chamada de FilaMaker, a máquina é composta de um triturador a manivela que pode ser feito de aço ou de aço inoxidável. Ele está trabalhando para integrar o triturador com um aparelho de fusão e de extrusão, o que permitirá transformar o plástico em um novo filamento para impressoras 3D.
 

Carro a hidrogênio une fabricantes, mas falta infraestrutura


Veículos a hidrogênio não são mais algo para um futuro distante. Fabricantes já produzem alguns modelos e se unem para o desenvolvimento conjunto das pilhas de combustível - também conhecidas como células. A tecnologia, porém, ainda precisa enfrentar a falta de rede de abastecimento, a ausência de manutenção especializada e a desconfiança de clientes e concessionários.
 
Toyota, Nissan, Honda e Hyundai assinaram um acordo. BMW e Toyota também fecharam uma parceria para desenvolver células de combustível, além de novas baterias para modelos elétricos. O acordo mais recente, promovido no início do ano, envolve Mercedes, Ford e o grupo Renault-Nissan.
 
"Os veículos elétricos com célula de combustível são o próximo passo da indústria rumo a um transporte mais sustentável", diz Mitsuhiko Yamashita, vice-presidente e líder do setor de pesquisa e desenvolvimento da Nissan.
 
A tecnologia seria um complemento ao desenvolvimento dos carros elétricos. Um sistema que gera eletricidade para alimentar o motor através da reação eletroquímica entre o hidrogênio - armazenado em um tanque especial no carro - e o oxigênio do ar.
Usadas como armazenadores e geradores de energia, essas pilhas poderão substituir as baterias de íons de lítio.
 
Para David Westcott, presidente da associação dos concessionários dos EUA (Nada), ainda é preciso pensar mais na infraestrutura.
 
"Clientes ainda têm restrição a híbridos e elétricos, temem não encontrar manutenção. O mesmo acontecerá com o hidrogênio, pois será preciso abrir postos de abastecimento. Os elétricos estão aí e ainda há poucos pontos de recarga de bateria", avalia o executivo.
 
Por Ricardo Ribeiro/ Folha de S. Paulo

Wind Fórum Brazil 2013


Este 5º fórum será a maior edição já feita – um grande desafio para nós, uma vez que o Wind Forum Brazil é o encontro mais tradicional do setor eólico no país. Além de acontecer em um local de melhor acessibilidade, apresentaremos oportunidades inéditas de networking, sessões interativas, 11 painéis de debate, mais de 40 palestrantes de grande prestígio no setor, um café da manhã com 9 C-Levels confirmados entre os painelistas, e muito mais.
Nosso objetivo é trazer ao público uma edição digna de uma fonte de energia que comemora 20 anos no Brasil. Pretendemos levar em conta os obstáculos existentes para o crescimento do setor, sempre agregando as possíveis soluções a esses desafios, focando o futuro da fonte e a maneira mais próspera e otimizada de explorá-la e fazê-la chegar onde queremos.
Segundo dados oficiais do governo, desde a criação do Proinfa a participação da energia eólica na matriz elétrica brasileira passou de pouco mais de 20MW para aproximadamente 1.180MW. São 59 parques eólicos atualmente em operação e mais 141 novos empreendimentos que devem ser construídos até o ano que vem, somando um investimento de R$16 bilhões. Não à toa, na avaliação do Global Wind Energy Council, o Brasil é o país mais promissor do mundo em termos de produção de energia eólica.
Está claro que este é o momento da energia eólica no Brasil. Por isso preparamos uma edição especial, diferente das anteriores e de qualquer fórum sobre o assunto hoje no mercado. Nosso objetivo é garantir que cada participante saia deste encontro com informações e ferramentas novas e efetivas para garantir a propulsão do mercado e a maximização de resultados da empresa num setor competitivo.
Nos vemos em fevereiro!

LIDERANÇA PARA O CHÃO DE FÁBRICA


A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos - ABIMAQ, através da Sede Regional de Santa Catarina realizará em Joinville no dia 26 de Fevereiro de 2013 o curso de Liderança para o Chão de Fábrica.

Objetivo: 

Capacitação e desenvolvimento dos colaboradores, especificamente Gerentes, Supervisores,
Líderes de Produção e profissionais que estão sendo desenvolvidos para assumirem liderança
nas empresas;
Proporcionar aos participantes uma auto-reflexão de suas atitudes no exercício da liderança
com suas Equipes confrontando suas experiências com as Melhores Práticas de Mercado.

Público Alvo:

Gerentes, Supervisores, Coordenadores, Encarregados e Profissionais que necessitam de
habilidades para exercerem liderança em suas atividades.

Programa:

- Definindo Liderança – Conceitos atuais de Mercado sobre o tema e suas conseqüências para
a sobrevivência da Empresa.
- Os estilos de Liderança e os resultados com a Equipe. Avaliando cada perfil.
- Definindo Equipe – Transformando um grupo de trabalho em uma Equipe.
- Desenvolvimento de Equipes para atingir a motivação e alto desempenho.
- Necessidades & Desejos – Como distinguir na Equipe o que é necessário para seu
crescimento. O que os Lideres necessitam saber sobre Motivação.
- Delegar com Eficácia – Os 5 passos que definem uma delegação eficaz. Os princípios
fundamentais da delegação entre Líder e Liderado. Erros clássicos praticados por parte dos
Líderes.
- O Líder e o Poder – De onde vem o poder? Identificando o poder de cada Líder e sua atuação
com a Equipe.
- Atingindo resultados – Estabelecendo metas claras para a Equipe. Como definir e atingir
corretamente uma Meta. Indicadores da Qualidade / Fábrica.
- Reuniões eficazes.
- Dinâmica de Alto Impacto: Uma fábrica Eficaz com Lideres Comprometidos.

Data: 26 de Fevereiro de 2013

Carga Horário: 8 horas
Início: 08:30 horas
Término: 17:00 horas

Local: Avenida Aluísio Pires Condeixa (Beira Rio), 2550 – Saguaçú – Joinville – SC. (Sede da
ACIJ) 1ª andar.

Investimento: Empresas associadas da ABIMAQ R$ 660,00 por participante Outras empresas
- R$990,00 por participante.

Informações e Inscrições:

Com Úrsula ou Thais pelos telefones: (47) - 3427-3846 ou 3427-5930 ou pelo endereço
eletrônico ursula.tuma@abimaq.org.br ou thais.fernandes@abimaq.org.br

ATENÇÃO: O valor pago será devolvido somente se o cancelamento ocorrer até cinco dias
antes da realização do curso.

Instrutor: Washington Zucoloto

Feimafe 2013


FEIMAFE é a principal feira com foco em Máquinas-Ferramenta e Controle de Qualidade na América Latina. O evento reúne as principais empresas do setor e proporciona um ambiente adequado para o relacionamento comercial. São mais de 1.300 marcas expondo seus produtos e serviços garantindo a qualidade do evento através da apresentação de tendências e novas tecnologias ao mercado.

 O evento gera uma grande interação entre empresas e profissionais que buscam desenvolver parcerias, conhecer novos produtos, tecnologias e atualização de conhecimento para aplicação direta em seus negócios. Isto permite tanto ao visitante quanto ao expositor a ampliação de sua rede de relacionamento e criação de ótimas oportunidades. 

VISITE A FEIMAFE E CONHEÇA AS INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS E TENDÊNCIAS DO SETOR! 


Expectativas para o evento:

- Exposição de 1.300 marcas nacionais e internacionais
- Presença de 70.000 visitantes/compradores altamente qualificados
- Área de exposição de 85.000 m² 


Perfil da Feimafe:


Edição: 14ª edição
Data: 3 a 8 de Junho de 2013
Horário: 2ª a 6ª das 10h às 19h | Sábado das 9h às 17h
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi 


VISITAÇÃO: Proibida a entrada de menores de 16 anos, mesmo que acompanhados. Evento exclusivo e gratuito para profissionais do setor que fizerem o seu pré-credenciamento até o dia 31/05/2013 por meio do site ou apresentarem o convite do evento no local. Caso contrário, será cobrada a entrada no valor de R$ 55,00 no balcão de atendimento*.

*Formas de pagamento: dinheiro ou cartão de débito


ATENÇÃO! Ao participar da Feimafe, VISITANTES e EXPOSITORES estão cientes e concordam que fotografias e filmagens feitas durante o evento poderão ser utilizadas pelos organizadores para promoção do setor e do evento.

Fonte e demais informações: http://www.feimafe.com.br/Home/

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Brasileiros criam novo material supercondutor

supercondutor brasileiro

Dois engenheiros dos materiais, Antonio Jefferson Machado e Carlos Alberto Moreira dos Santos da Escola de Engenharia de Lorena (USP) transformaram radicalmente propriedades elétricas de composto metálico ao inserirem átomos de elementos mais leves, como o boro, carbono e nitrogênio, entre  os átomos que formam sua rede cristalina. Utilizando uma técnica conhecida como dopagem intersticial, já criaram aproximadamente 30 novos materiais supercondutores desde 2003.
A descoberta do mais promissor deste supercondutor foi anunciada em junho de 2012 em artigo publicado no Journal of Applied Physics. Neste artigo, os pesquisadores de Lorena, junto com o engenheiro de materiais Ausdinir Bortolozo, da Universidade Federal de Itajubá, e os físicos Renato Jardim, da USP, e Flávio Gandra, da Universidade Estadual de Campinas, descreveram o ocorre ao adicionar pequenas quantidades de carbono na fabricação de um composto metálico já conhecido, o Nb5Ge3, que desde 2007 era pouco interessante para a ciência dos materiais por se tornar supercondutor a uma temperatura de -272°C, considerada muito baixa. “O comportamento elétrico do material dopado mudou completamente”, diz Machado, que já tem resultados preliminares de outras dopagens bem-sucedidas do Nb5Ge3, usando outros seis elementos químicos.
Utilizando o carbono, o material passa a ser supercondutor a uma temperatura de -258°C, a mais alta obtida por brasileiros e considerada muito interessante para ser trabalhada em indústria. Apesar de a temperatura ser muito baixa, ela é apenas 11°C acima do ponto de ebulição do hélio (-269,15°C), que é utilizado para resfriar materiais supercondutores para suas aplicações tecnológicas.
Segundo o físico Zachary Fisk, da Universidade da Califórnia, em Irvine, a descoberta dos brasileiros abre a possibilidade de usar a dopagem intersticial para buscar as tão sonhadas ligas metálicas supercondutoras a temperaturas mais altas. “É um desenvolvimento empolgante”, comenta.
Materiais supercondutores – são materiais que ao chegarem a sua temperatura crítica (Tc) tem sua resistividade igual à zero. Isso quer dizer que pode haver corrente elétrica sem que haja perca de energia em forma de calor. Esse fenômeno foi descoberto pelo físico holandês Heike Kamerlingh Onne em 1911 quando trabalhava com mercúrio, supercondutor abaixo de 4,2K (-268,8°C, aproximadamente). Medidas recentes mostraram que as resistividades dos supercondutores abaixo de Tc são 107 menores que a resistividade do cobre. Portanto, suas resistividades são consideradas nulas na prática.
Um ponto importante que deve ser esclarecido é: a partir do momento que um material chega a sua Tc e torna-se um material supercondutor, não há necessidade de deixar o material resfriado a essa baixa temperatura para poder manter sua propriedade supercondutora. É assim que o Japão e agora o Brasil constroem os famosos trem-bala. A linha férrea, em sua fabricação, passa por uma esteira onde é resfriado até chegar à sua temperatura crítica, tornando-se um material supercondutor; isso eleva o preço do projeto.
Superconductors
Supercondutores de alta temperatura - apesar de ser considerada alta, a temperatura não chegam nem perto do recorde mundial, em que foi utilizado material à base de óxido de cobre, que alcançaram temperaturas maiores que -196°C.
Desenvolvidos em 1986 por George Bednorz e K. Alex Müller, cientistas do IBM Zurich Research Laboratory, na Suíça. Neste trabalho relataram evidencias de supercondutividade em um óxido de bário, cobre e lantânio.
Com isso, causaram uma grande excitação na comunidade científica mundial e, em 1987, ambos os cientistas ganharam o Prêmio Nobel de Física.

Estudo da OCDE aponta que estudar faz pessoas serem mais felizes e viverem mais


Um estudo recente sobre aspectos da educação mostra que quem estuda mais tende a ser mais feliz e ter uma expectativa de vida maior. O levantamento What are the social benefits of education? (Quais são os benefícios sociais da educação?, em tradução livre) foi produzido pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e realizado em 15 países membros da organização – do qual o Brasil não faz parte.
“A educação ajuda as pessoas a desenvolver habilidades, melhorar a sua condição social e ter acesso a redes que podem ajudá-las a terem mais conquistas sociais”, dizem os autores da pesquisa.
Segundo o estudo, as pessoas que estudam mais são mais felizes porque tem maior satisfação em diferentes esferas de sua vida. Esse nível de satisfação pessoal é de, em média, 18% a mais para que têm nível superior em relação àquelas que pararam no ensino médio.
Em relação ao aumento da expectativa de vida, o estudo mostra que um homem de 30 anos, por exemplo, pode viver mais 51 anos, caso tenha formação superior, enquanto aquele que cursou apenas o ensino médio viveria mais 43, ou seja, oito anos menos. Essa disparidade é mais acentuada na República Tcheca, onde os graduados podem viver 17 anos a mais. Já os portugueses, asseguraram a diferença mais baixa, apenas 3.
No caso das mulheres, a diferença não é tão acentuada: a expectativa média de vida é de quatro anos a mais para as universitárias. À frente desta tabela estão as nascidas na Letônia, que vivem quase nove anos mais do que as compatriotas que interromperam os estudos no antigo segundo grau.


Participação política


Em outro capítulo desse mesmo levantamento, realizado com um grupo de 27 países, a OCDE chegou à conclusão de que 80% dos jovens com ensino superior vão às urnas, enquanto o número cai para 54% entre aqueles que não têm formação superior. Os adultos mais escolarizados também são mais engajados quando o assunto é voluntariado, interesse político e confiança interpessoal.
“A educação tem o potencial de trazer benefícios para as pessoas e para as sociedades, e isso vai muito além da contribuição para a empregabilidade dos indivíduos ou de renda”, afirma os autores da pesquisa, que enfatiza ainda a importância do Estado.
“Os políticos devem ter em conta que a educação pode gerar benefícios sociais mais amplos desde que haja mais investindo em políticas públicas”.

Educação em foco


O estudo, divulgado no fim do mês passado, encerra a Education Indicators in Focus, série composta por 10 estudos, apresentados ao longo de janeiro de 2012 a janeiro de 2013, que destacam diferentes aspectos educacionais avaliados da educação básica ao ensino superior. Entre eles, como a crise global afeta as pessoas com diferentes níveis de escolarização, quais países estão dando suporte ao acesso ao ensino superior e qual a variação no número de alunos ao redor do mundo.
Os interessados em acompanhar as pesquisas podem acessá-las gratuitamente online em três versões: inglês, espanhol e francês.
Fonte e demais informações: http://www.engenhariae.com.br/colunas/estudo-da-ocde-aponta-que-estudar-faz-pessoas-serem-mais-felizes-e-viverem-mais/

Plataforma global de biodiversidade tem representantes brasileiros

O Brasil elegeu os delegados que farão parte da Plataforma Internacional de Informações sobre Biodiversidade (GBIF, na sigla em inglês). Desde o fim do ano passado, o Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira (SiBBr) associou-se à rede mundial.


Além dos bancos de dados sobre a biodiversidade, a  SiBBr integrará a estrutura de ecossistemas brasileiros, subsidiando pesquisas científicas e a formulação de políticas públicas.

O secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCTI, Carlos Nobre, será o chefe de delegação. A diretora do Departamento de Políticas e Programas Temáticos do MCTI, Mercedes Bustamante, será a delegada adjunta.

O Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC/MCTI), em Petrópolis (RJ), abrigará o SiBBr, o nodo nacional do GBIF. O tecnologista Luiz Gadelha, do LNCC, será o representante do Brasil no comitê de gerentes de nodos.

O projeto é uma parceria do ministério com o apoio técnico do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) e o apoio financeiro do Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF).

(Agência Gestão CT&I de Notícias com informações do Pnuma)


Fontes e demais informações:http://www.agenciacti.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3409:plataforma-global-de-biodiversidade-tem-representantes-brasileiros-&catid=1:latest-news

Indústria e governo selam acordo para impulsionar o setor eólico


A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e a Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica) assinaram, na segunda-feira (5), um acordo de cooperação técnica. A ideia é realizar ações conjuntas para o desenvolvimento do setor de energia eólica no Brasil e aumentar a inovação e a competitividade da indústria.

Ao longo dos 36 meses de cooperação previstos no acordo, serão realizados estudos e projetos que contribuirão para o avanço do setor eólico no Brasil. O convênio é resultado do Plano Brasil Maior, que busca, dentre outros propósitos, o desenvolvimento das cadeias de suprimento em energias.

A agenda do Plano Brasil Maior para o setor foi elaborada em parceria entre governo, trabalhadores e empresários. A programação reúne iniciativas para ampliar o uso da mini e microgeração eólica distribuídas e a participação da indústria nacional no fornecimento de componentes e na produção de equipamentos eólicos.

Para mais informações sobre o Plano Brasil Maior, acesse o site www.brasilmaior.mdic.gov.br.

(Agência Gestão CT&I de Notícias com informações da ABDI)

Brasil pretende cumprir missão espacial completa em oito anos


O novo Plano Nacional de Atividades Espaciais (PNAE) estipula que até 2021 o Brasil realizará a missão espacial completa, ou seja, colocará um satélite no espaço, por meio de um foguete nacional, a partir de um centro de lançamento brasileiro.

Além de ações em longo prazo, o documento também contempla metas imediatas, como é o caso do lançamento do Satélite Sino-brasileiro de Recursos Terrestres (Cbers).

Fruto de uma cooperação com a China, o quarto equipamento da série, intitulado CBERS 3, deverá ser lançado, a partir do território chinês, no primeiro semestre deste ano. A missão, no entanto, estava programada para acontecer em novembro passado, mas foi adiada por causa de falhas apresentadas em testes de equipamentos importados junto aos Estados Unidos.

O Cbers 3 é o primeiro modelo da parceria a possuir câmeras desenvolvidas totalmente em território nacional. Ela terá como incumbência o monitoramento de recursos terrestres.

De acordo com o presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), José Raimundo Coelho, neste ano, estão programadas algumas ações para tentar acabar com um dos principais problemas do Programa Espacial Brasileiro, que é a falta de profissionais qualificados. A principal medida será o envio de estudantes brasileiros para especialização no exterior, por intermédio do Ciência sem Fronteiras.

(Agência Gestão CT&I de Notícias com informações daAgência Brasil)

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Infraestrutura de pesquisa terá R$ 370 mi da Finep


A Finep - Agência Brasileira da Inovação lançou um novo edital que oferece R$ 370 milhões em recursos não reembolsáveis para a modernização, ampliação, recuperação e manutenção da infraestrutura física de pesquisa nacional. Desse montante originário do Fundo de Infra-Estrutura (CT-Infra), R$ 70 milhões serão destinados a subprojetos dos campi regionais de universidades federais - aqueles fora do município em que se situa a sede da instituição de ensino.
O objetivo maior da Chamada Pública MCTI/Finep/CT-Infra 01/2013 é mitigar as assimetrias regionais e estimular a distribuição territorial mais equânime da pesquisa brasileira. Assim, do total de recursos, pelo menos 40% deverão ser aplicados nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e nas regiões de abrangência da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene/MI) e da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam/MI).
Cada órgão executor poderá participar em apenas uma proposta, com até dez subprojetos, que podem abranger equipamentos e instalações de pesquisa multiusuários, infraestrutura de pesquisa institucional (biblioteca, biotério, etc.), bem como serviços de manutenção de equipamentos. O valor global mínimo solicitado em cada proposta é R$ 1 milhão.
 A previsão é que o formulário para apresentação de propostas esteja disponível no site da Finep no dia 19 de fevereiro. O prazo para envio de propostas vai até 16 de maio.

Retrovisor multifocal elimina ponto cego de carros

Retrovisor multifocal elimina ponto cego de carros: A mesma óptica usada nos óculos multifocais pode ser usada para fabricar espelhos retrovisores que reduzam acidentes.

Equipamento melhora precisão do GPS nas cidades em 90%

Equipamento melhora precisão do GPS nas cidades em 90%: O aparelho poderá viabilizar o uso do GPS em solução de transporte inteligente e carros sem motorista.

Internet quântica à velocidade da luz poderá usar fibras ópticas

Internet quântica à velocidade da luz poderá usar fibras ópticas: As informações poderão ser enviadas ao longo da rede comum de fibra óptica para computadores quânticos distantes.

Espaçonave pilotada pelo pensamento vai melhor com dois cérebros

Espaçonave pilotada pelo pensamento vai melhor com dois cérebros: Quando se trata de pilotar uma espaçonave, dois cérebros são decididamente melhores do que um só.

Bactéria ganha lógica programável e memória persistente

Bactéria ganha lógica programável e memória persistente: Os resultados dos cálculos executados pelas bactérias podem ser lidos mesmo se a bactéria morrer.

Robô aumenta eficiência energética da indústria


Um robô que joga badminton pode parecer algo interessante para jogadores solitários. Mas a criação do Dr. Wim Symens, do Centro de Tecnologia Mecatrônica Flanders, na Bélgica, não está para brincadeiras.
O robô é um banco de provas para testar softwares projetados para otimizar a eficiência energética de equipamentos industriais.
 
Sistemas mecatrônicos
Os equipamentos usados na automação industrial - essencialmente sistemas mecatrônicos - são controlados tanto por softwares quanto por circuitos eletrônicos dedicados.

Como é inviável parar as fábricas para fazer simulações que possam mostrar onde é maior o consumo de energia em cada situação, Symens projetou um robô que possui em escala menor todos os elementos de um sistema mecatrônico.
 
Usando-o como bancada de testes, a equipe desenvolveu um software capaz de analisar o sistema mecatrônico - o robô, conforme ele jogava badminton - e verificar todos os seus gargalos e todos os seus "vazamentos de energia".
 
O resultado da aplicação do software foi impressionante: "Nós conseguimos cortar o consumo de energia do robô jogador de badminton em 50%," conta o pesquisador.
 
Abordagem virtual para uso real
O primeiro teste em condições reais, feito em uma indústria fabricante de máquinas de costura, permitiu cortes de consumo nos equipamentos que variaram entre 10 e 15% - ao contrário do que ocorre no robô, nem sempre é possível substituir peças ou componentes na indústria.
 
Segundo Symens, no futuro o software poderá ser utilizado para máquinas ainda em fase de projeto, por meio de análises virtuais.
 
"Uma abordagem virtual é sempre preferível. Você pode até mesmo simular condições extravagantes, como velocidades excessivas ou temperaturas elevadas. Na vida real esses testes são muito caros," afirmou.

Seminário Febramec terá foco em solda e NR12


A 19ª Feira Brasileira da Mecânica - Febramec - acontece de 5 a 8 de março, das 14h às 21h, no Centro de Eventos Fiergs, em Porto Alegre (RS). Anteriormente, o evento acontecia em Caxias do Sul (RS), porém, segundo a organização, por facilidade de hospedagem e transporte transferiram a Feira para a capital do Estado.  
 
A Febramec 2013 contará com expositores das áreas de automação industrial, automatização, robótica, medição, instrumentação, controle de qualidade, pneumática, hidráulica, ferramentas e máquinas, além de expositores do segmento de informática e software aplicado, máquinas e equipamentos para plástico e borracha, bem como equipamentos para tratamento ambiental.
 
Durante a 19ª Feira Brasileira da Mecânica ocorrerá o Seminário Febramec de Tecnologia. Palestrantes abordarão temas como produtividade, processos, economia e desenvolvimento, tecnologias e manutenção. Porém o enfoque do seminário será principalmente em normas técnicas (NR-12) e soldagem.
 
Serviço:
19ª Feira Brasileira da Mecânica - Febramec
Data: 5 a 8 de março de 2013
Local: Centro de Eventos Fiergs - Porto Alegre (RS)
Horário: 14h às 21h
 
Para conferir a programação e mais informações, acesse 

Iscar apresenta novo sistema de fixação de pastilha


O torneamento em desbaste é caracterizado por D.O.C elevado (4-10 mm) e taxas de avanço elevadas (0.4-1.0 mm/rot). 
 
Normalmente, as pastilhas com aresta única são usadas em porta-ferramentas com fixação superior para suportar corte interrompido e uma carga de usinagem elevada. 
 
O método atual de utilização de pastilhas e suportes com fixação superior tem as desvantagens de uma pequena quantidade de arestas de corte e fluxo de cavacos interrompidos devido a obstrução da fixação superior. 
 
A Iscar desenvolveu um inovador alojamento rabo-de-andorinha, combinado com um mecanismo de fixação com alavanca. O novo sistema oferece uma fixação da pastilha firme e rígida, eliminando a necessidade de uma fixação superior, que interrompe o 
fluxo de cavacos. 
 
O mecanismo de fixação DOVE IQ TURN pode suportar firmemente pastilhas com aresta dupla, oferecendo flancos de prisma negativos duplos. O alojamento rabo-deandorinha e os flancos prismáticos da pastilha evitam que a pastilha seja levantada 
pelas forças de corte. 
 
Três geometrias de pastilha estão disponíveis com flancos prismáticos: WOMG-R3P-IQ, COMG-R3P-IQ e SOMG-R3P-IQ, projetadas com um novo quebra-cavacos R3P para torneamento em desbaste de aço.

Trabalhos do Prêmio Caixa de Projetos Inovadores serão julgados durante a 9ª EletroMetalCon


O Senai em Londrina, o Sindimetal Londrina e o Sinduscon Norte/PR promovem entre os dias 23 e 26 de abril, a 9ª edição da Feira Eletromecânica e Construção Civil – EletroMetalCon 2013.
 
“Novamente, a nossa expectativa com a Feira é muito grande, especialmente porque os setores de eletromecânica e da construção civil estão cada vez mais próximos, desenvolvendo e expondo produtos de grande interesse para o público em geral”, diz Gérson Guariente, presidente do Sinduscon Norte/PR.
 
Na edição de 2012, a EletroMetalCon movimentou mais de R$ 20 milhões e reuniu mais de 10 mil visitantes. Em comparação com a edição de 2011, a Feira registrou um crescimento de 415% no faturamento total.
 
Em 2013, outra atração da Feira é o V Prêmio Caixa de Projetos Inovadores que será promovido em âmbito nacional, com a participação de estudantes e pesquisadores dos principais centros universitários do País. Os três melhores trabalhos selecionados serão apresentados no estande de Inovações Acadêmicas, e julgados durante a EletroMetalCon 2013.
 
Os vencedores receberão prêmios em dinheiro: 1º colocado – R$ 10 mil; 2º colocado – R$ 5 mil; e o 3º colocado – R$ 3 mil. O prazo para as inscrições vai até o dia 01/03/2013. O regulamento do V Prêmio Caixa de Projetos Inovadores pode ser consultado no site: www.eletrometalcon.com.br
 
Serviço:
9ª edição da Feira Eletromecânica e Construção Civil – EletroMetalCon 2013
Local: Londrina (PR)
Data: 23 a 26 de abril de 2013
Horário: 16h às 22h

Seminário em Busca da Excelência na Gestão (PEG)