Pesquisar

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Fábrica prevê vendas de 500 locomotivas em cinco anos

Fábrica prevê vendas de 500 locomotivas em cinco anos

Com modernização de 10 mil quilômetros de trilhos, governo prevê que 35% da movimentação de produtos seja por trens

Petrobras volta a bater recorde na geração termelétrica

empresa forneceu para o Sistema Interligado Nacional (SIN) 7.415 megawatts (MW) médios de energia
Da redação, com informações da Agência Brasil


A Petrobras obteve esta semana novo recorde de geração de energia termelétrica a gás natural. A empresa forneceu para o Sistema Interligado Nacional (SIN) 7.415 megawatts (MW) médios de energia. A geração demandou 39,8 milhões de metros cúbicos de gás natural.
Do total gerado, 5.404 MW médios foram provenientes de termelétricas a gás natural do Parque Gerador da estatal, cuja capacidade instalada é 5.741 MW, e 2.011 MW médios de termelétricas privadas, para as quais a estatal fornece gás natural.

As informações da Petrobras indicam que, considerando os mercados termelétrico, não termelétrico e o consumo interno da companhia, a movimentação de gás nesta segunda-feira (26/11), quando o recorde foi alcançado, foi 95 milhões de metros cúbicos por dia.
O recorde anterior de geração a gás, segundo a empresa, ocorreu no dia 23 deste mês, quando foram gerados 7.362 MW médios, sendo 5.350 MW médios de termelétricas próprias e 2.011 MW médios de termelétricas privadas, com demanda de 40,1 milhões de metros cúbicos diário de gás natural.
A Petrobras esclareceu, ainda, que os sucessivos recordes de geração de energia termelétrica no Parque Gerador da Petrobras devem-se “ao aumento do despacho termelétrico ordenado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS)”.

Messenger encontra sinais de gelo e compostos orgânicos em Mercúrio

Messenger encontra sinais de gelo e compostos orgânicos em Mercúrio: Dados da sonda Messenger revelaram sinais de água congelada e cientistas sugerem a presença de compostos orgânicos no pólo norte do planeta.

Molécula de DNA é fotografada diretamente pela primeira vez

Molécula de DNA é fotografada diretamente pela primeira vez: Acaba de ser feita a primeira imagem de uma molécula de DNA capturada diretamente por um microscópio eletrônico.

NASA apresenta novo reator nuclear espacial

NASA apresenta novo reator nuclear espacial: O novo reator nuclear espacial é mais simples, menor e mais leve do que todas as opções disponíveis até agora.

Brasil e Estados Unidos pretendem estabelecer parceria nas áreas de educação, pesquisa e inovação


A falta de conhecimento na hora de elaborar projetos tem sido uma das principais razões para a rejeição de propostas por parte das agências de fomento e instituições de apoio financeiro da área de CT&I. Dados da Finep mostram que no último edital de subvenção econômica, lançado em 2010, quase 90% dos projetos foram negados em primeira análise. 

Para tentar suprir esse problema a ABIPTI realizou, de 20 a 23 de novembro, em Brasília (DF), o curso “Elaboração de Projetos e Captação de Recursos Financeiros em Ciência, Tecnologia e Inovação: Da Teoria à Prática”. 

De acordo com o diretor de Relações Interinstitucionais da ABIPTI e instrutor do curso, Félix Silva, as dificuldades na hora de desenvolver o projeto estão em vários aspectos, desde a pouca leitura de um edital até a falta de lógica na hora de se estruturar um projeto. “Muita gente usa uma colcha de retalhos, copia a informação e aquilo fica muito evidente na hora de elaborar um projeto. As agências hoje estão muito mais criteriosas na hora da avaliação das propostas, não só no mérito, mas também no formato”, afirmou. 

A falta de refinamento na hora de elaborar um projeto pode acontecer até mesmo com instituições acostumadas com propostas selecionadas em editais. “Os conhecimentos adquiridos certamente contribuirão com o aumento da taxa de sucesso de futuros projetos”, relatou o gerente de Inovação e Transferência de Tecnologia do Centro de Apoio ao Desenolvimento Tecnológico da Universidade de Brasília (CDT), Adalberto Pinheiro.


Prática 

O curso, segundo Félix, oferece subsídios para facilitar o entendimento de como estruturar os projetos de forma mais consistente. Para isso, os organizadores dividiram os participantes em equipes de cinco pessoas para poder elaborar uma proposta. Os projetos feitos nesta fase serão avaliados por uma banca e podem até ser repassados para editais que estejam em aberto.

O gerente de Inovação e Transferência de Tecnologia do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Universidade de Brasília (CDT/UnB), Adalberto Pinheiro, foi um dos participantes que destacou a importância da capacitação. “A nossa instituição gerencia um grande número de projetos. Alguns deles já foram reprovados. Os conhecimentos adquiridos certamente contribuirão com o aumento da taxa de sucesso de futuros projetos”, afirmou. 

Além da estruturação das propostas, outro fator que compromete a aprovação é a falta de indicadores. O instrutor do curso ressalta que dados como esses são vitais para mensurar o quanto determinado projeto é capaz de contribuir para modificar o problema encontrado. “É importante ter um alinhamento lógico em toda essa cadeia, onde fique claro que aqueles objetivos específicos contemplem tais atividades. E para isso é necessário ter indicadores precisos. As instituições de fomento priorizam muito essa questão. Quanto mais números, mais consistente é o projeto”, analisa. 

Essa foi a segunda edição do curso. O treinamento, que teve a duração de 40 horas, capacitou 34 profissionais com aulas expositivas, trabalhos práticos, oficinas e aula a distância. 

O curso teve mais de 60 indicações de inscrição. Segundo Félix, o que impressionou foi a quantidade de participantes dos mais variados Estados. Pouco mais de 70% dos presentes vieram de fora do DF. De acordo com ele, esse é um motivo claro para que a capacitação seja  levada para o resto do país. Uma nova edição da iniciativa está prevista para a primeira quinzena de março de 2013, também em Brasília.


Novo foco

De acordo com Silva, muitas instituições são bem sucedidas na elaboração e na captação de recursos financeiros, mas depois têm dificuldades na execução.  “Existem situações que há necessidade de devolver recursos por falta de competência na hora de executar o projeto”, revela.

Durante a capacitação, foram apresentadas várias etapas de execução, destacando aspectos que restringem o desenvolvimento adequado do projeto. No entanto, Félix acredita que essa é uma faceta do processo que deveria ser mais bem explorada, podendo ser um fator motivador para um curso específico de gerenciamento de projetos.


Projetos bem-sucedidos reciclam entulhos de obra e pneus velhos

Entulho de obra quando aproveitado de forma inteligente vira material para novas obras e dinheiro no caixa das prefeituras. Pneus velhos quando descartados de forma inteligente viram combustível para indústria do cimento ou asfalto borracha.

Veja o vídeo no link: http://globotv.globo.com/globo-news/cidades-e-solucoes/t/programas/v/projetos-bem-sucedidos-reciclam-entulhos-de-obra-e-pneus-velhos/2266872/

Livros são produzidos com certificação ambiental e uso de plástico

Produção de livros certificados vem crescendo de 20% a 30% ao ano. Papel sintético leva na composição 75% de embalagens descartadas como lixo. Atualmente, são 600 títulos certificados e por volta de 200 mil exemplares certificados.

Veja o vídeo no linK:  http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-da-globo/t/edicoes/v/livros-sao-produzidos-com-certificacao-ambiental-e-uso-de-plastico/2268873/

MCTI aplicará R$ 110 milhões em nanotecnologia


O MCTI anunciou, nesta terça-feira (27), um investimento de R$ 110 milhões na área de nanotecnologia, nos próximos três anos. A divulgação foi feita pelo secretário substituto de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação, Adalberto Fazzio, durante o Seminário Regulação, Inovação e Desenvolvimento da Nanotecnologia, promovido pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (Abdi), em Brasília (DF). 

Cerca de R$ 80 milhões serão destinados ao apoio de laboratórios das unidades de pesquisa do MCTI e dos departamentos de pesquisa de universidades que integram o Sistema Nacional de Laboratórios em Nanotecnologias (SisNANO). As áreas fazem parte do Plano Brasil Maior, do governo federal, e da Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (Encti 2012-2015). Já os outros R$ 30 milhões serão aplicados em inovação nas empresas, por meio da Finep. 

De acordo com o secretário, “esse investimento representa um aumento substancial em relação aos anos anteriores”. Para ele, a área de nanotecnologia ganhou um novo impulso neste ano, após a criação do Comitê Interministerial de Nanotecnologia (CIN), formado por oito ministérios.

Quanto à necessidade de regulamentar a nanotecnologia, Fazzio afirmou que "obviamente, qualquer mudança tecnológica traz muitos benefícios à sociedade, mas precisamos saber onde estão os riscos”. O secretário ainda destacou que o conhecimento científico é essencial para a regulação desse setor tecnológico, que vem sendo debatida na Europa, nos Estados Unidos e no Japão. 

Segundo Fazzio, o ministério possui seis redes de nanotoxicologia que atuam com aproximadamente 180 pesquisadores, além de projetos desenvolvidos por institutos nacionais de ciência e tecnologia (INCTs). Para ele, aproximar a academia do setor produtivo é um dos grandes desafios da inovação. 

O secretário lembrou que o Brasil tem avançado no cenário de publicações científicas. Fazzio também sinalizou novos aspectos de desenvolvimento científico e tecnológico do país, com a criação do programa Ciência sem Fronteiras, que estimula o intercâmbio de alunos de graduação e pós-graduação com a concessão de bolsas para as melhores universidades do mundo. 

Mais de 50 especialistas e representantes de órgãos públicos e de empresas participaram do seminário da Abdi. Na programação, além de integrarem grupos de trabalho, os participantes acompanharam a apresentação de relatórios sobre o atual cenário da nanotecnologia no Brasil e no mundo e tiveram a oportunidade de debater sobre segurança e regulação. 

(Agência Gestão CT&I de Notícias com informações do MCTI)

Brasil e Alemanha planejam implantar centro de bioinovação


Terminou nesta terça-feira (27), em São Paulo, o  Encontro da Parceria Germano-Brasileira no Caminho para o Centro de Bioinovação, promovido pelo Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (Cnpem). O objetivo da iniciativa foi promover a concepção de novos produtos e processos relacionados à economia verde (bioeconomia) entre Brasil e Alemanha, além da criação de um centro de bioinovação.

Os participantes definiram uma pauta de projetos relacionados ao aperfeiçoamento da produção, do processamento e da transformação da biomassa e seus impactos socioeconômicos. A intenção é promover iniciativas para obtenção de energias renováveis de forma mais eficiente e técnicas de reaproveitamento de resíduos de produção e processamento de biomassa.

“Esperamos que a reunião seja frutífera e que os participantes se comprometam com o desenvolvimento de diferentes projetos”, disse o diretor do Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano), Fernando Galembeck.

O evento também contou com o apoio do Ministério de Educação e Pesquisa da Alemanha (Bmbf), do MCTI, do Cluster Industrielle Biotechnologie (Clib) e do Centro Alemão de Ciência e Inovação de São Paulo (Dwih-SP).

(Agência Gestão CT&I de Notícias com informações da Cnpem)

Governo lançará site voltado para o empreendedorismo


O governo federal lançará um portal que pretende facilitar o relacionamento entre o empresário brasileiro e o Estado. O anúncio oficial será feito durante o 1º Simpósio Brasileiro de Políticas Públicas para Comércio e Serviços (Simbracs), que acontece até quinta-feira (29), no Centro de Convenções Brasil 21, em Brasília (DF).


De acordo com o secretário de Comércio e Serviços do Ministério de Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Humberto Ribeiro, o site trará ferramentas simples e facilitára que o empreendedor esteja em conformidade com as leis. 

Também faz parte da programação do simpósio mais de 30 painéis e debates com temas relacionados ao setor terciário, como as relações educacional, trabalhista e de consumo, além de uma  uma rodada de apresentação de oportunidades e investimentos com 13 países. 

“São vários bilhões de reais em oportunidades de investimentos. As 50 empresas que cadastram seus projetos serão apresentadas aos investidores. É um catálogo de ofertas e daí as coisas evoluem. É a primeira vez que o governo federal faz uma chamada pública para investidores internacionais”, comentou Ribeiro. 

(Agência Gestão CT&I de Notícias com informações da Agência Brasil)

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Site de internet criado por professores ajuda alunos da rede pública

Aulas são gravadas na casa do engenheiro e da bióloga. Por dia, são mil acessos de todo o Brasil e também de países como Rússia, Portugal e Angola. O material de trabalho é uma placa digitalizadora, que custou R$ 200, e um fone de ouvido de R$ 30.

Veja o vídeo no link: http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-da-globo/t/edicoes/v/site-de-internet-criado-por-professores-ajuda-alunos-da-rede-publica/2266846/

Plásticos descartáveis são transformados em madeira plástica

Os plásticos descartáveis, peças que muitos descartam como lixo, são transformados em um tipo de madeira que está sendo comercializada. As madeiras certificadas não agridem a natureza e são ecologicamente corretas.

Fonte e demais informações: http://globotv.globo.com/globo-news/cidades-e-solucoes/t/programas/v/plasticos-descartaveis-sao-transformados-em-madeira-plastica/2254586/

Inmetro lança nova etiqueta de consumo de energia nos produtos

O Inmetro, Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia, lançou uma nova etiqueta que promove o uso inteligente de energia e ajuda a reduzir os gastos nas contas de luz. A nova etiqueta estimula também, o uso de coletores solares.

Medidores digitais melhoram o uso de eletrodomésticos e economizam energia

O Brasil já dá os primeiros passos para entrar no grupo de países com redes inteligentes de energia. Os medidores convencionais estão sendo substituídos por modernos equipamentos digitais. Veja as melhorias na vida dos consumidores com essa mudança.

Veja o vídeo no link: http://globotv.globo.com/globo-news/cidades-e-solucoes/t/programas/v/medidores-digitais-melhoram-o-uso-de-eletrodomesticos-e-economizam-energia/2219141/

Energia de única molécula move oscilador mecânico

Energia de única molécula move oscilador mecânico: A nanotecnologia está prestes a permitir a exploração prática do movimento caótico das moléculas.

Maior buraco negro já encontrado engoliria Sistema Solar

Maior buraco negro já encontrado engoliria Sistema Solar

Descoberta maior ejeção de matéria de um buraco negro

Descoberta maior ejeção de matéria de um buraco negro: Embora os buracos negros sejam conhecidos por atraírem material, a maioria dos quasares também condensa uma parte desta matéria em torno de si mesmo.

Nanotecnologia brasileira precisa chegar à indústria

Nanotecnologia brasileira precisa chegar à indústria: O Brasil deu um grande salto na produção de nanociência e nanotecnologia de qualidade, nos últimos dez anos, mas isso não se traduziu em produção industrial de porte expressivo.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Brasil fica em penúltimo lugar em ranking de qualidade de educação

Foi avaliada a educação de quarenta países. O estudo verificou o desempenho de crianças e adolescentes em testes interacionais, com provas de matemática, ciências e compreensão de texto. Finlândia e Coreia ocupam o topo da classificação.

Veja o vídeo no link: http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-da-globo/t/edicoes/v/brasil-fica-em-penultimo-lugar-em-ranking-de-qualidade-de-educacao/2264833/

Universidades renomadas oferecem cursos online grátis

MOOCs (Massive Open Online Courses) são cursos abertos, via web e para todo mundo. Insituições como Princeton, Columbia, Stanford e a brasileira USP abrem salas virtuais. Os cursos são em inglês, mas muitos já são traduzidos para outros idiomas.

Veja o vídeo no link: http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-da-globo/t/edicoes/v/universidades-renomadas-oferecem-cursos-online-gratis/2264831/

Molécula armazena energia solar durante anos

Molécula armazena energia solar durante anos: O líquido - constituído por essa molécula - pode ser transportado, armazenado e gerar calor quando for necessário.

Processador neuromórfico supera processadores digitais

Processador neuromórfico supera processadores digitais: Processadores de computador que imitam o cérebro estão se mostrando capazes de superar os chips convencionais em aspectos cruciais.

Descoberto petróleo no espaço

Descoberto petróleo no espaço: Para quem acreditava que o pré-sal era a fronteira final do petróleo, os astrônomos têm uma surpresa: uma verdadeira refinaria cósmica.

Análise de dados: a grande fronteira da tecnologia

Numa entrevista exclusiva, a diretora da IBM para Smarter Analytics explica a importância da inteligência na análise de grandes quantidades de dados



Fonte e demais informações: http://olhardigital.uol.com.br/negocios/central_de_videos/analise-de-dados-a-grande-fronteira-da-tecnologia#|0|0|1|99

ENCONTRO PARA O SETOR DE AGREGADOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL


A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e o Ministério do
Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) realizarão no próximo dia 04 de dezembro, das 14 às 17hs o Seminário Nacional de Agregados da Construção Civil.

O principal objetivo do evento é divulgar os resultados do estudo setorial, que foi realizado recentemente pela ABDI-MDIC. Foram identificadas e analisadas questões sobre os desafios e oportunidades para o desenvolvimento do setor.
SEMINÁRIO NACIONAL DE AGREGADOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL
Data: 04/12/2012
Hora: das 14h às 17h
Local: Auditório FIESP – Av. Paulista, nº 1313, 10º Andar – São Paulo/ SP
Contato: (61) 3962-8607

27 de novembro de 2012

Fonte e demais informações: http://www.inthemine.com.br/mineblog/?p=1052

Brasil tem 2ª pior educação em ranking global da Economist


País fica em penúltimo em estudo que avaliou 40 nações e só ganha da Indonésia. Países que conquistaram o topo, Coreia do Sul e Finlândia, têm educação como "valor moral"


São Paulo – O Brasil voltou a fazer feio em avaliações internacionais de educação. Emrelatório encomendado pela empresa Pearson à Economist Intelligence Unit, braço de pesquisas do grupo Economist, o país ficou em 39º lugar de um total de 40 nações avaliadas. Sem surpresas, Finlândia e Coreia do Sul conquistaram os primeiros lugares (veja lista abaixo)
O Brasil só ficou a frente de Indonésia, mas atrás de México e Argentina.
O relatório encomendado pela Pearson faz parte do projeto “A curva do aprendizado” e considera os resultados de três testes comparativos: o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, o mais famosos deles), o Progresso no Estudo Internacional de Alfabetização (PIRLS) e ainda o Tendências no Estudo Internacional de Matemática e Ciência (TIMSS).
A pesquisa chega a algumas conclusões a respeito dos bem sucedidos sistemas educacionais finlandês e sul-coreano.
Embora extremamente diferentes – Coreia do Sul tem currículo rígido com alta carga horária, enquanto Finlândia é conhecida pela liberdade dada ao aluno – há pontos em comum.
“Um elemento é a importância dada ao ensinar e os esforços colocados no treinamento e recrutamento de professores”, diz o relatório. Além disso, o estudo assinala que o alto desempenho está ligado a uma alta cultura educacional, em que a educação chega a ter valor moral.
PosiçãoPaísNota (distância da média do grupo)
1Finlândia1,26
2Coreia do Sul1,23
3Hong Kong0,9
4Japão0,89
5Cingapura0,84
6Grã-Bretanha0,6
7Holanda0,59
8Nova Zelândia0,56
9Suíça0,55
10Canadá0,54
11Irlanda0,53
12Dinamarca0,5
13Austrália0,46
14Polônia0,43
15Alemanha0,41
16Bélgica0,35
17Estados Unidos0,35
18Hungria0,33
19Eslováquia0,32
20Rússia0,26
PosiçãoPaísNota (distândia da média do grupo)
21Suécia0,24
22República Tcheca0,2
23Áustria0,15
24Itália0,14
25França0,13
26Noruega0,11
27Portugal0,01
28Espanha-0,08
29Israel-0,15
30Bulgária-0,23
31Grécia-0,31
32Romênia-0,6
33Chile-0,66
34Turquia-1,24
35Argentina-1,41
36Colômbia-1,46
37Tailândia-1,46
38México-1,6
39Brasil-1,65
40Indonésia-2,03

Super Muffato lança 1º sistema de autoatendimento no país

Tatiana Vaz, de exame.com

Segundo a rede, sistema é o primeiro do país a permitir que clientes paguem suas compras e economizem 20% de tempo com isso


São Paulo – Os clientes de um supermercado da zona sul de Londrina da paranaense Super Muffato estão, desde a semana passada, fazendo compras sem precisar da ajuda de caixas. A rede inaugurou no endereço, segundo a própria empresa, o primeiro sistema de autoatendimento de supermercados do país com a intenção de tornar mais ágil em 20% o tempo gasto pelos clientes nos pagamentos.

Por meio do sistema, os clientes da varejista podem, além de escolher os produtos nas gôndolas, pesar, conferir o preço, pagar e tirar o recibo das mercadorias compradas sem precisar da ajuda de um caixa. Comum fora do país, o sistema de self checkout tem a função de evitar ou pelo menos diminuir as filas de atendimento nos supermercados em horários de pico – e, claro, incentivar as pessoas a comprar mais.

“Não se trata apenas da oferta de mais um benefício ao cliente, mas sim de uma mudança na forma com que ele se comporta na hora de concluir uma compra, passando de expectador para agente de todo o processo”, diz Everton Muffato, diretor da companhia.
O sistema foi testado por dois anos, com ajuda da fornecedora de tecnologia RMS, antes de ser implantado no endereço escolhido no último dia 21. A expectativa da empresa é implantar no primeiro trimestre do ano que vem novas unidades do self checkout em Londrina.
De acordo com a empresa, a adoção da novidade fez com que seis funcionários que trabalhavam no caixa fossem treinados para ajudar os consumidores a comprar pelos novos quatro caixas instalados na loja. Com isso, outras seis pessoas foram contratadas para ocupar os seis caixas tradicionais, que foram mantidos.
Com mais de nove mil colaboradores diretos, o grupo paranaense conta hoje com 40 operações de negócio, espalhadas em 13 cidades do Estado e em Presidente Prudente, no interior de São Paulo.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Etanol: projeto oferece bolsas em Engenharia Química


Estão sendo oferecidas bolsas de mestrado e de doutorado em Engenharia Química no âmbito do projeto de pesquisa Estudo de Processos Integrados de Produção e Recuperação de Etanol 1G, que tem o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e da ETH Bionergia.
Os candidatos devem ter, preferencialmente, formação em Engenharia Química. Devem se inscrever no processo seletivo do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química da Universidade Federal de São Carlos (PPG-EQ/UFSCar) até o dia 30 de novembro de 2012 para ingresso no primeiro semestre de 2013.

Os temas são: 1) Estudo da recuperação de solvente por destilação instantânea de equilíbrio (mestrado); 2) Estudo de absorção de etanol de gás carbônico em diferentes solventes (mestrado); 3) Integração dos processos de produção e recuperação de etanol 1G (doutorado); 4) Fermentação extrativa utilizando solventes orgânicos (doutorado).

Mais informações: temas 1, 2 e 3, com Marco Giulietti (giulietti@ufscar.br), Luiz Fernando de Moura (mouralf@ufscar.br), André Bernardo (abernardo@ufscar.br), e tema 4, com Alberto Colli Badino Junior (badinojr@ufscar.br) ou Antonio José Gonçalves da Cruz (ajgcruz@ufscar.br).

Consultor tira dúvidas sobre entrevista de emprego e preparação de currículos

Em chat ao vivo na internet, Marcelo Lefèvre falou sobre a importância de ter um bom currículo e de saber como se portar em seleções para uma vaga de emprego.

Fonte e demais informações: http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-hoje/t/edicoes/v/consultor-tira-duvidas-sobre-entrevista-de-emprego-e-preparacao-de-curriculos/2262182/

Apenas 29% dos candidatos se preparam para a seleção de emprego

Brasileiros se preparam pouco para um momento importante na hora de conseguir uma vaga. Consultor dá dicas para fazer um bom currículo e se preparar para a seleção.

Veja o vídeo no link: http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-hoje/t/edicoes/v/apenas-29-dos-candidatos-se-preparam-para-a-selecao-de-emprego/2261965/

Consultores dão dicas sobre a escolha da profissão

No Jovens do Brasil sobre profissão, Evaristo Costa conversou com Renato Grinberg, especialista em desenvolvimento profissional e Sidnei Oliveira, especialista em gerações.

Veja o vídeo no linKhttp://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-hoje/t/edicoes/v/consultores-dao-dicas-sobre-a-escolha-da-profissao/2263345/

Engenharia de Segurança do Trabalho


       O engenheiro de segurança do trabalho é responsável pela prevenção de  riscos à saúde e à vida do trabalhador.   Esse engenheiro tem a função de assegurar que o trabalhador não corra risco de acidentes em sua atividade profissional, no que diz respeito a danos físicos e psicológicos.   
          Tem como objetivo administrar e fiscalizar a segurança no meio industrial, organiza programas de prevenção de acidentes, elabora planos de prevenção de riscos ambientais, faz inspeções e emite laudos técnicos.
           Esse profissional assessora empresas em assuntos relativos à segurança e higiene do trabalho, examinando instalações e os materiais e processos de fabricação utilizados pelo trabalhador. Orienta a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, denominada CIPA das companhias e dá instruções aos funcionários sobre o uso de equipamentos de proteção individual. Podendo ainda ministrar palestras, treinamentos e implementar programas de cunho ambiental.
Graduação: 
        A grade curricular do curso de engenharia de segurança do trabalho apresenta um portfólio variado de disciplinas.    O aluno estuda muita física, química e matemática - matérias relacionadas à engenharia e à arquitetura, que dão conhecimento para os projetos de segurança e diagnósticos de riscos no trabalho.   A grade abrange também filosofia, cidadania, antropologia e psicologia, fundamentais para que o estudante entenda os aspectos culturais e sociais relacionados à profissão. Além das disciplinas específicas, como, ergonomia, higiene do trabalho, primeiros socorros, toxicologia e uso correto de máquinas, equipamentos e ferramentas.
 Possíveis especializações: 
            O engenheiro de segurança do trabalho pode se especializar nas mais diversas áreas, como, por exemplo, segurança e saúde ocupacionais, controles ambientais, segurança em transportes, segurança de produtos, proteção do consumidor, entre outras.
 Mercado de trabalho:
           Dados do Ministério da Previdência mostram que o número de acidentes de trabalho no Brasil cresceu nos últimos anos. Para completar o cenário, a economia brasileira encontra-se em um momento de expansão, com produção industrial sólida em diversos setores. Mais companhias produzindo mais significa mais trabalhadores em atividade - o que, em princípio, pode aumentar o número de acidentes. Qualquer tipo de empresa precisa do engenheiro de segurança no trabalho, especialmente aquelas que concentram maior risco à saúde dos funcionários.   Assim, companhias de áreas como siderurgia, mineração e metalurgia aquecem o mercado para esse profissional. O engenheiro encontra com facilidade emprego em empresas de médio e grande porte, que mantêm equipes para cuidar de assuntos relacionados à segurança.
       Como autônomo, pode prestar consultoria a empresas, elaborando laudos ergonômicos e avaliações de riscos físicos. 

Impressora híbrida fabrica cartilagem viva para implante

Impressora híbrida fabrica cartilagem viva para implante: A combinação de duas técnicas permitiu que os pesquisadores fabricassem estruturas compostas de materiais naturais e materiais sintéticos.

Biorrobô é movido por células do coração

Biorrobô é movido por células do coração

Carro sem motorista: e se o computador travar?

Carro sem motorista: e se o computador travar?: Apesar dos investimentos maciços nos carros autônomos, a adoção da tecnologia poderá não depender dela própria.

Polêmicas em Debate.: O valor do bom docente.

Polêmicas em Debate.: O valor do bom docente.: Em VEJA de 28/11, pp. 168-72, podereis ler reportagem intitulada Famosos, Milionários e ... Professores . Um ambiente onde os melhores doc...

França estimula entrada de empresas estrangeiras no País


Crédito para inovação pode reduzir a partir de 30% dos custos de pesquisas desenvolvidas por companhias. Empresas brasileiras podem ser beneficiadas

São Paulo

Mesmo com a crise internacional, a França quer atrair empresas estrangeiras, inclusive brasileiras, para investir no país. O incentivo á companhias que desenvolvem pesquisa e inovação é bastante vantajoso devido ao programa “crédito fiscal para pesquisa” (Crédit Dímpôt Recherche- CIR) que dá no mínimo isenção de 30% de custos dos projetos em desenvolvimento que visam novas descobertas.

Segundo o Embaixador  David Appia, presidente da Agência de Francesa para Investimentos Internacionais (Afii), todas as empresas que atuam na França podem participar dessas vantagens, “se a empresa gasta dinheiro em atividades de pesquisa eles [governo] vão pegar o benefício de redução dos custos, isso é um empurrão e um suporte muito forte para a inovação “, explicou durante seminário para divulgação da campanha “Diga oui a França diga oui a inovação” que ocorreu na última semana na sede da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Na opinião da advogada Ariane Chateux, que também esteve presente no evento, o CIR “ é a melhor parte da legislação que existe na Europa pois é flexível e generosa”. Além do Brasil, Canadá, China, Estados Unidos e Índia são foco  da campanha que para incentivar empresas que pretendem se internacionalizar a escolherem o país europeu. “Empresas brasileiras que forem para a França podem ter vantagens com um ambiente bom, suporte para pesquisa e desenvolvimento e inovação. Se você quer desenvolver a inovação a França é o País que  você deve escolher pois temos muito a oferecer”, disse.

Segundo ele, além dos incentivos fiscais a localização geográfica do país é vantajosa pois uma empresa instalada ali pode se expandir para outros países da Europa. “Se essas empresas  quiserem ir para o Norte da África, elas terão uma forte base na França, muito bem localizada, no coração do mercado Europeu e muito próxima do mercado africano e do oriente médio.  Graças a uma boa infraestrutura é muito fácil ir da França para outros países, os empresários brasileiros irão encontrar um mercado muito dinâmico em diferentes setores”, completou.

O Embaixador Philippe Lecourtier, Diretor Geral da Câmara de Comércio do Brasil na França, chama a atenção para o esforço que o novo governo francês, do presidente François Holand, tem feito para estimular a economia do país e superar a crise. “A França tem promovido medidas rigorosas para reduzir os encargos trabalhistas e aumentar a competitividade das empresas. Nos primeiros anos, são previstos gastos de 20 bilhões de euros com essas desonerações trabalhistas”, disse.

Sobre o sistema CIR, Lecortier afirmou que Holand se comprometeu a mantê- lo durante os anos de sua gestão, que segundo o embaixador, custa ás contas públicas cerca de 5 bilhões de euros por ano.

Ainda sobre a crise, o Diretor da Câmara de Comércio do Brasil na França disse que os ativos das empresas francesas perderam valor devido a situação econômica “por outro lado, o real nunca esteve tão valorizado em relação ao euro, o que trás oportunidades para as empresas brasileiras”, afirmou.

Competitividade

Segundo o presidente da Afii, o governo francês pretende dobrar nos próximos quatro ou cinco anos o número de investimentos em inovação na França e que também pretende reestabelecer o equilíbrio das contas públicas do país até o ano de 2017.

“Muitas das empresas que encontrei no Brasil estão interessadas em ir para a Europa, em ir para a França pois nós pensamos que podemos oferecer oportunidade para acessar novas tecnologias e ganhar mais competitividade no mercado global”, completou.

Os principais setores da economia francesa, destacados por ele, são agronegócio, energia renovável, tecnologia da informação e biotecnologia, entre outros.  O embaixador Lecourtier chama atenção para o fato de que o aumento da competitividade é uma questão que envolve ambas economias. “O problema principal da França também é a competitividade, principalmente com os países asiáticos e da América Latina, temos uma necessidade de incrementar nossa competitividade na concorrência internacional pois o protecionismo não é um bom sistema”.

Ele completa a idéia de similaridade dizendo que  as duas economias são altamente complementares e possuem montantes de Produto Interno Bruto (PIB) parecidos com o quinto e sexto lugar no mundo.

Segundo Devanildo Damião, do Centro de Política e Gestão Tecnológica da Universidade de São Paulo “ as empresas inovadoras foram as que tiveram mais chances de sair da crise e se internacionalizar”. 

Para André Palma, Diretor Executivo da Global Approach Consulting (GAC), “ a inovação representa competitividade e perenidade para uma empresa”.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Fonte de luz 3D para o cérebro

Fonte de luz 3D para o cérebro: Interruptores de luz prometem substituir os chips neurais por sensores ópticos.

Seta do tempo é confirmada: Universo não dá marcha-a-ré

Seta do tempo é confirmada: Universo não dá marcha-a-ré: A seta quântica do tempo também é inexorável, o que derruba a hipótese da física de partículas conhecida como simetria do tempo.

A2RAM: memória revolucionária promete ultraminiaturização

A2RAM: memória revolucionária promete ultraminiaturização: Cientistas espanhóis apresentaram o que alegam ser a maior inovação na área de memórias desde o advento dos computadores.

Brasil e Holanda assinam acordos para bioeconomia

Brasil e Holanda assinam acordos para bioeconomia: Brasil e Holanda assinaram uma série de acordos que visam a colaboração científica em ciência, tecnologia e inovação.

ENCONTRO DE LIDERANÇAS DA ENGENHARIA AMBIENTAL NACIONAL MARCA PRESENÇA NA 69ª SOEA
O lançamento da 69ª Semana Oficial da Engenharia e Agronomia – SOEA ocorrido nesta terça-feira, dia 20 de novembro, foi marcado pelo encontro de algumas lideranças da Engenharia Ambiental a nível nacional.
A diretoria da ANEAM e as lideranças reuniram-se no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Distrito Federal – CREA DF, para discutir a situação da Engenharia Ambiental brasileira, a fim de se firmar compromissos para o fortalecimento da categoria, que atualmente conta com mais de 13.000 profissionais registrados e em dia no Sistema Confea/Crea, representados pela ANEAM, formados nos quase 300 cursos superiores no país.
Durante a reunião, foram debatidos temas como: Andamento das atividades da ANEAM; Dificuldade da atuação dos Engenheiros Ambientais em alguns estados; Projeto de lei de regulamentação da profissão de Gestor Ambiental; aniversário da Engenharia Ambiental, comemorado dia 31 de janeiro; Concurso público para Analista Ambiental com participação de profissionais com formação em qualquer nível superior, a integração da Engenharia Ambiental e Sanitária, dentro outros temas pertinentes.
A nível estratégico, foram discutidas as metas da ANEAM (2013-2015) e aprovado a criação do Marco Regulatório da Engenharia Ambiental para a próxima década, que definirá os rumos da categoria no país.
Dentre os temas que farão parte do referido documento estão: a criação da Associação mundial da Engenharia Ambiental, com sede no Brasil e âncoras nos Estados Unidos e Portugal, a criação de associações de Engenharia Ambiental em todos os estados brasileiros, a representação da categoria com conselheiros e diretores nos CREAs e orientação para ocupação de cargos públicos de gestão e tomada de decisão nos governos.
Na ocasião da reunião foi lançado o Relatório da Pós Rio+20, com resultados da atuação da ANEAM no evento, considerando que a Associação foi a única Entidade representativa de classe brasileira a ser aprovada para participar da Cúpula da ONU, e uma das 5 ( cinco) do mundo representando a categoria da Engenharia.
Também foi lançado o Manual de Criação de Associações de Engenharia Ambiental nos estados, organizado pela ANEAM com contribuições das Associações estaduais e lideranças a nível nacional, a fim de orientar passo-a-passo como se criar uma associação para fortalecimento e valorização da categoria da Engenharia Ambiental.

Além da Diretoria Executiva da ANEAM, participaram da reunião as seguintes autoridades:
Eng. Amb. Ingo Eugênio Werncke – Diretor Regional da Inspetoria de Criciúma (SC)
Eng. Amb. Fabiano Garcia - Vereador da Câmara Municipal de Araquari (SC)
Eng. Amb. Rafael Antonio Volter – Presidente da Associação dos Engenheiros Ambientais do Norte Nordeste e Vale do Itajaí – AEANVI/SC
Eng Amb. Euzébio Beli – Conselheiro no CREA SP
Eng Francisco Machado – Presidente do Fórum de Desenvolvimento Econômico e Social, Fundador da ANEST e Ex- Presidente do CREA DF.
Eng. Elizabeth Cox – Presidente da Associação Nacional de Engenharia de Segurança do Trabalho – ANEST
Eng. José Delfino Limas – Diretor de Eventos da ANEST e Presidente da ABRAEST
Eng. Nelson Burille –  Advogado e Conselheiro Consultivo da ANEST
Diretoria de Comunicação - ANEAM