Pesquisar

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Requerimento de justificativa de voto já está disponível

Os eleitores que não puderem comparecer para votar, terão que justificar a ausência. O requerimento já está disponível nos cartórios eleitorais e na Internet. A pessoa que não votar e não justificar em três eleições seguidas, tem o título cancelado.

Veja o vídeo no link :http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-nacional/t/edicoes/v/requerimento-de-justificativa-de-voto-ja-esta-disponivel/2161146/

Astrônomos medem horizonte de eventos de buraco negro

Astrônomos medem horizonte de eventos de buraco negro

Vidros resistentes demais podem se quebrar catastroficamente

Vidros resistentes demais podem se quebrar catastroficamente: Usando as últimas técnicas desenvolvidas pela microeletrônica e pela nanotecnologia, pesquisadores descobriram como produzir vidros muito mais fortes.

Casa-laboratório: rumo à autonomia energética residencial

Casa-laboratório: rumo à autonomia energética residencial: O objetivo é demonstrar que já existem tecnologias capazes de viabilizar casas energeticamente autônomas.

Vazamento de dados mostra que até engenheiros de empresas de tecnologia usam senhas fracas


Uma falha de segurança em um servidor FTP doIEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers), entidade formada por engenheiros de áreas como computação, eletrônica e telecomunicações, possibilitou uma descoberta bastante inusitada: muitos funcionários de organizações importantes como IBM, Apple, Google, Oracle e NASA usam senhas fracas em suas contas.
A constatação foi possível porque Radu Dragusin, um professor assistente recém-graduado da Universidade de Copenhague, descobriu a falha no servidor do IEEE e, ao acessá-lo, teve acesso a uma base de dados com informações de login de cerca de 100 mil membros da organização. Segundo ele, estes dados ficaram disponíveis no servidor de maneira desprotegida por aproximadamente um mês.
Com a análise dos dados, descobriu-se que muitos dos membros do IEEE usam senhas fracas, ou seja, que podem ser descobertas facilmente. Trata-se de um erro grosseiro se levarmos em conta que muitos destes engenheiros têm envolvimento rotineiro com TI e trabalham em organizações renomadas da área, como Apple, Google, IBM e Oracle, como já mencionado.
Entre as senhas fracas mais encontradas estão “123456”, que apareceu em 271 contas; “ieee2012”, encontrada 270 vezes; e “password”, identificada em 109 cadastros. Outro problema grave, desta vez do lado do IEEE, foi o fato de a base de dados acessada não estar criptografada.
A entidade informou que a falha já foi corrigida e que os usuários das contas afetadas estão sendo avisados do ocorrido.

* * *

Ainda não há um meio mais fácil e, ao mesmo tempo, seguro de proteger suas informações em serviços on-line do que o uso de senhas, por isso, é importantes utilizar combinações seguras, que misturam letras, números e outros símbolos, além de contar com uma quantidade razoável de caracteres.
Também é importante evitar o uso da mesma senha em mais de um serviço. Veja outras orientações para criar senhas seguras aqui.
Referência: Ars Technica.
Fonte e demais informações: 

Programa de Estágio Vale


Programa de Estágio Vale

 O Programa de Estágio da Vale prepara estudantes de ensinos técnico e superior de diversas áreas e cursos para responder aos desafios diários da profissão. Com experiências práticas na empresa, você vai aprender muito além da sala de aula.

Inscrições

Interessados poderão cadastrar seu currículo para o Programa de Estágio durante todo o ano e participar dos processos de recrutamento que acontecem a cada semestre.
Importante: Caso você tenha cadastrado seu currículo para o Programa de Estágio em 2012 e, ainda se enquadre em todos os pré-requisitos, não é necessário fazer novo cadastro. Apenas atualize seus dados no banco de currículos.
O estagiário na Vale desempenha atividades que estimulam a superação e o desenvolvimento de futuros talentos. Além disso, recebem acompanhamento periódico de seu desempenho. Participe!


Dinâmica do programa

A prática de estágio é de um a dois anos e a carga horária é de quatro ou seis horas diárias.

Perfil do candidato

O programa busca candidatos com os seguintes pré-requisitos:

Estudantes de Ensino Superior: com formação prevista entre dezembro de 2013 e dezembro de 2014, em curso de Ensino Superior reconhecido pelo MEC, e ter conhecimentos de inglês e de informática.

Estudantes de Ensino Técnico: com formação prevista para dezembro de 2013 ou formado na parte teórica que ainda não tenha cumprido a carga horária de estágio obrigatório. É imprescindível que o aluno esteja devidamente matriculado na instituição de Ensino Técnico reconhecida pelo MEC.

Localidades

A Vale oferece vagas de estágio para estudantes de diversos cursos e áreas nos seguintes estados. Há oportunidades para os estados: Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Pará, Maranhão e Sergipe.

Benefícios

O Programa de Estágio da Vale oferece os seguintes benefícios:
Bolsa-auxílio com valor entre R$ 600,00 e R$ 900,00, considerando-se a carga horária (4 ou 6 horas diárias) e a formação (nível Técnico ou Superior);
Vale Transporte ou transporte oferecido pela empresa;
Vale Alimentação ou refeição no local;
Assistência médica.


Processo Seletivo

Recrutamento (19 de setembro a 10 de outubro de 2012)
Prova on line
Dinâmica de grupo
Painel e entrevistas
Exames médicos e entrega de documentação


Inscrição:

www.vale.com.br  – link Carreiras – link Oportunidades no Brasil  – link Programa de Estágio, em seguida Inscreva-se

C.E.S.A.R inova em tecnologias e na forma de gestão


Imagine o ambiente de um instituto de pesquisa com pouco mais de 580 funcionários que é referência em desenvolvimento de tecnologias da informação e comunicação (TICs). Engenheiros e cientistas da computação circulando de um lado para outro em um corredor vestidos com jalecos e equipamentos de segurança. Pois bem, essa cena pode ser comum em qualquer instituto de pesquisa, menos no Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (C.E.S.A.R).
Criado em 1996, por um grupo de professores do Departamento de Informática da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o instituto investe numa maneira diferente para estimular os funcionários. “Queremos que o pessoal acorde motivado para vir trabalhar. O importante é a produção e não a forma como ele se veste ou os costumes”, afirma o cientista-chefe do C.E.S.A.R, Silvio Meira.
Os pesquisadores podem ir trabalhar de bermuda e camiseta. Nos corredores há paredes próprias para serem rabiscadas e em algumas salas os papeis colados nas paredes ajudam a decorar o ambiente propício para a inovação. Mas não só a liberdade laboral e os equipamentos de ponta colocam o C.E.S.A.R em destaque no setor de TICs. O quadro de empregados é composto por especialistas nas mais diversas áreas.
“Temos músicos, jornalistas, psicólogos, engenheiros e até pessoas sem formação profissional fazendo inovação”, diz Meira. O centro desenvolve suas soluções para problemas complexos baseado numa política interna de três pilares: gente, negócios e tecnologia (GeNTe).
“Um instituto de inovação é um negocio que envolve gente que entende gente, pessoas que entendem de negócios e tecnologias para atender pessoas. Temos absolutamente todo o tipo de gente que tenta entender como fazer as coisas”, detalha o cientista-chefe do C.E.S.A.R.
Nos últimos três anos, o C.E.S.A.R executou, em média, 100 projetos anualmente em diversos setores como, telecomunicações, hardware, defesa e automoção bancária. A metodologia de trabalho do instituto de pesquisa é dividida em quatro fases: estudos e pesquisas, ideação, prototipação e avaliação.
O instituto de pesquisa possui laboratórios de designs e usabilidade, TV digital e mídias interativas e sistemas embarcados. Todos equipados com salas de observação para monitorar grupos focais.
“Pegamos projetos desde a concepção e desenvolmemos tudo para o produto final ser diferenciado de outros que já existem no mercado”, gante o superintendente do C.E.S.A.R, Sergio Cavalcante.
Gestão diferenciada
Todos os dias, às 17h30, na sede do C.E.S.A.R no Recife (PE) há um pico de de luz e os funcionários ficam pouco mais de um segundo sem luz. Imediatamente um gerador entra em ação e garante o fornecimento de energia para o prédio.
Em 2009, o instituto fez um acordo com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) para reduzir a tarifa cobrada. “Ficou acertado que pagaríamos menos desde que não fosse usada energia da Celpe nos horários de picos. Fizemos esse acordo por causa da crise econômica de 2009”, lembra o superintendente do C.E.S.A.R, Sergio Cavalcante.
Segundo ele, na época o acordo rendeu um redução mensal de R$ 8 mil reais na conta de energia. Esse corte aliado a outras ações para dimnuir a folha de gastos evitou que houvesse demissões. “A crise econômica atingiu o nosso principal cliente e as consequências poderiam ter sido maiores. Infelizmente, demitimos ainda oito funcionários”, lamenta Cavalcante.
O instituto tem um plano de carreira para os funcionários, que inclusive está sendo reformulado, para motivar ainda mais os pesquisadores. “Eles tem a opção de continuar na carreira de pesquisa ou ir para o lado gestão sabendo que podem receber o mesmo salário em qualquer uma das carreiras”, explica.
Outro diferencial do instituto de pesquisa, é a plataforma educacional C.E.S.A.R.EDU, o único curso de pós-graduação de um instituto privado reconhecido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Iniciativa do C.E.S.A.R será aberta para empresas de base tecnológica


Para aumentar o número de projetos inovadores o Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (C.E.S.A.R) planeja abrir uma ação interna para empresas de base tecnológica. Em 2007, foi criado o Cesar Labs, um programa para apoiar ideias propostas pelos funcionários do instituto de pesquisa, que fornece toda a estrutura de softwares, hardwares, laboratórios e equipe jurídica.

A iniciativa foi uma maneira de estimular os funcionários a pensar em soluções de problemas complexos. E deu certo. O C.E.S.A.R recebeu 70 projetos, desses surgiram nove negócios e três  geraram renda. Em 2011, o Cesar Labs foi remodelado e a ideia é abrir a versão 2.0 para empreendedores de fora do polo tecnológico de Pernambuco.

“A ideia é assumir o risco de se criar uma empresa com as pessoas que querem inovar e não deixar boas oportunidades passarem em branco. O C.E.S.A.R Labs 2.0 deverá ser aberto a pessoas de fora do C.E.S.A.R em 2014”, afimou o idealizdor do projeto e superintendente do instituto de pesquisa, Sergio Cavalcante. “Temos que pensar em novos negócios, novas soluções, identificar novos mercados e ali desenvolver a atuação de uma nova companhia”, disse. 

O objetivo do C.E.S.A.R Labs é criar empresas do tipo buyable, ou seja, feitas para serem compradas por companhias. Para o cientista-chefe do C.E.S.A.R, Silvio Meira, essa é uma maneira importante de enfrentar obstáculos criados pela legislação brasileira burocrata, como é  por ele definida. 

“Nosso problema é estrutural. A dinâmica econômica para o setor de software impõe velocidade como um todo. Abrir e fechar uma empresa no Brasil é um processo muito lento. Eu mesmo, demorei 12 anos para conseguir fechar uma empresa que criei”, lamentou Meira.

De acordo com o cientista-chefe do C.E.S.A.R, vale a pena assumir o risco de criar novas companhias inovadoras. “Em tese, para fazer inovação em softwares ou ter resultados inovativos e empreendedores é muito mais simples que montar uma indústria porque precisamos de poucas coisas: um galpão, eletricidade, ar condicionado e laptops. Não temos nenhum equipamento aqui no C.E.S.A.R que custa mais de R$ 20 mil”, destacou. 

Sobre o C.E.S.A.R

O instituto foi fundado em 1996 como iniciativa para atrair novos investimentos ao Estado de Pernambuco, que sofreu com o fluxo migratório da economia e com a crise que o Brasil enfrentou na década de 1990. Meira afirma que uma economia regional com impacto na área de informática sumiu do Recife quando o Banorte, o maior do Nordeste, foi fechado.

Um grupo de professores decidiu se unir para criar novas situações para a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) interagir com a sociedade e a ajudar na recuperação tecnológica e econômica da capital pernambucana. Hoje, o instituto tem 584 profissionais e contabilizou, em 2011, R$ 59,6 milhões em vendas para 58 clientes ativos, como Banco do Brasil, Cielo, Samsung, Caixa Econômica Federal e Siemens.

Soluções para inclusão laboral de pessoas com deficiência é tema de chamadas internacionais lançadas pelo BID


Inclusão laboral de pessoas com deficiência. Este é o foco das duas chamadas internacionais lançadas pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), por meio do Laboratório de Divisão de Competitividade e Inovação. Os interessados deverão fazer a inscrição até o dia 31 de dezembro.
A iniciativa, apoiada pelo Fundo Fiduciário Italiano de Tecnologias de Informação e Comunicação para o desenvolvimento, será desenvolvida com base em um sistema chamado crowdsourcing, um processo pelo qual um grupo de usuários, por meio de uma convocatória, participa da realização de uma tarefa, para contemplar as pessoas com deficiência na América Latina e no Caribe.
As convocatórias, denominadas I-LAB: Inclusão nas Empresas e I-LAB: Ideias Disruptivas, pretendem dar voz a todos aqueles que tenham uma solução inovadora e envolver empresas da América Latina e do Caribe. Para reduzir a exclusão econômica e social das pessoas com deficiência, especialmente as mulheres, é essencial apoiar soluções que gerem renda e contribuir para a luta contra o preconceito.

A chamada Inclusão nas Empresas está aberta a entidades públicas ou privadas. Ela tem a missão de buscar soluções inovadoras para inserir no mercado de trabalho pessoas com deficiência. A seleção das propostas se dará em duas fases. A primeira será feita por meio de votação popular. Aqueles que receberem um maior número de votos irão avançar para a próxima fase.  

Na segunda fase, um painel de especialistas selecionará as melhores propostas que poderão receber a concessão de financiamento de até US$ 50 mil. Os candidatos devem se registrar e apresentar propostas no site do Laboratório de Inovação.

Diferente da outra convocatória, a Ideias Disruptivas será aberta ao público geral. Ela tem como foco identificar projetos para quebrar as barreiras que limitam a inclusão laboral de mulheres e homens com deficiência. Todos podem oferecer não só ideias, mas também votar por outras que considerem o maior impacto inovador e potencial mais elevado. As propostas que obtiverem maior número de votos serão convidadas pelo BID para serem apresentadas e discutidas para que sejam transformadas em realidade. Os candidatos devem se registrar e enviar as suas propostas por meio do site Laboratório de Inovação ( www.bidinnovacion.org/ideas-disruptivas/ ).

(Agência Gestão CT&I de Notícias com informações do BID)

Capes abre inscrições do prêmio Vale-Capes de Ciência e Sustentabilidade


A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) inicia, hoje (25), as inscrições para o Prêmio Vale-Capes de Ciência e Sustentabilidade, que premiará teses de doutorado e dissertações de mestrado defendidas no Brasil em 2011.
A premiação firmada este ano pela Vale e a Capes, durante a Rio+20, avaliará ideias, soluções e processos inovadores para questões como redução do consumo de água e energia, redução de gases do efeito estufa (GEE), aproveitamento, reaproveitamento e reciclagem de resíduos e/ou rejeitos e tecnologia socioambiental com ênfase no combate à pobreza.
A pré-seleção dos trabalhos será feita nos programas de pós-graduação de todo o país, reconhecidos no Sistema Nacional de Pós-Graduação. Cada programa de doutorado e de mestrado deverá instituir uma comissão de avaliação, que verificará a adequação das teses e dissertações aos temas definidos. Após a indicação dos trabalhos selecionados pela comissão de avaliação, o coordenador do programa de pós-graduação será responsável por sua inscrição junto à Capes.
Os critérios de julgamento serão originalidade do trabalho e relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, social e de inovação. O vencedor do Prêmio Vale-Capes de Ciência e Sustentabilidade de Tese de Doutorado receberá R$ 15 mil e uma bolsa para realização de estágio pós-doutoral de até três anos em instituição nacional, podendo converter em um ano fora do país em uma instituição de notória excelência na área de conhecimento do premiado.
O ganhador de Dissertação de Mestrado receberá R$ 10 mil e uma bolsa para a realização de doutorado em instituição nacional de até quatro anos. Os orientadores também serão prestigiados, recebendo auxílio equivalente a uma participação em congresso nacional e internacional, relacionado à área temática da tese. No caso de mestrado, o orientador vai receber R$ 3 mil e o de doutorado, US$ 3 mil.
(Agência Gestão CT&I de Notícias com informações da Capes)

Editais em aberto


  A Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação (ABIPTI) disponibiliza um portal de notícia sobre ciência, tecnologia e inovação com os editais em aberto: 


Fonte e demais informações: http://www.agenciacti.com.br/

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

PINIweb.com.br | IABSE procura artigos de engenharia para workshop | Construção Civil, Engenharia Civil, Arquitetura

PINIweb.com.br | IABSE procura artigos de engenharia para workshop | Construção Civil, Engenharia Civil, Arquitetura


A Associação Nacional de Pontes e Engenharia Estrutural (IABSE, na sigla em inglês) abriu chamada para artigos de profissionais de engenharia e arquitetura. Os trabalhos serão expostos durante workshop promovido pela entidade e devem versar sobre o tema "Segurança, Falhas e Solidez de Grandes Estruturas".

O objetivo do workshop é fomentar a discussão sobre o fato de que as grandes estruturas normalmente são aquelas que envolvem riscos significativos de fatalidades, acidentes e perdas econômicas.

A data limite para envio do resumo dos artigos é dia 7 de outubro. Após a aprovação do resumo, os autores deverão enviar um artigo completo sobre o assunto até o dia 31 de dezembro. Outras informações estão disponíveis no site: http://www.iabse2013helsinki.org/

James Watt


James Watt nasceu na Escócia e foi responsável pelo projeto de desenvolvimento do motor de uma máquina a vapor mais eficiente do que a de Newcomen. Seu projeto teve grande importância no desencadeamento da Revolução Industrial na Inglaterra. A unidade de medida da potência levou seu nome (watt) em homenagem ao inventor.
Por Gabriela Takeda, Projeto Academia de Ciência
James Watt
19 de janeiro de 1739 – Greenock – Escócia
25 de agosto de 1819 – Heathfield Hall – Inglaterra

Nasceu em Greenock, Escócia no dia 19 de janeiro de 1739, faleceu em Heathfield Hall, Inglaterra em 25 de Agosto de 1819 aos 80 anos. Era o sexto de oito irmãos, cinco dos quais morreram na infância.
James era um menino tímido, inseguro e sofria de grandes dores de cabeça que se estenderam até a vida adulta. Aprendeu a ler e escrever em casa, assim como princípios de aritmética. Seu pai lhe dava diversos instrumentos de navegação para que brincasse com eles. Essa brincadeira permitiu que posteriormente despertasse um grande interesse pela matemática. Aos 16 anos ele partiu pra Glasgow  em busca de trabalho, e tornou-se aprendiz  em uma fábrica. Era um jovem integrado a sociedade marítima e mercantil em que vivia. Aos 19 anos foi a Londres como aprendiz de mecânico especializado em construção de instrumentos, mas retornou à Escócia por problemas de saúde. Decidiu trabalhar em sua própria loja de instrumentos, mas teve muita dificuldade, por não ter o certificado de estudo e pelo ambiente conservador e tradicionalista da comunidade inglesa da metade do século XVIII. No entanto em 1757 foi chamado para construir e reparar instrumentos matemáticos de medida na universidade de Glasgow.
Em 1763 teve a oportunidade de consertar o motor da máquina a vapor modelo Newcomen, a mais moderna da época. James identificou o problema da máquina, e percebeu que deveria aumentar a temperatura do vapor. Criou um condensador onde a temperatura do vapor deveria ser baixa e do cilindro permanecer elevada, pois o vapor devia resfriar bruscamente durante a expansão. Sendo assim procurou alcançar o máximo de vácuo no condensador e fechou o cilindro.
Seu pai estava na pobreza e James precisava cuidar da família que constituiu com sua prima, Margaret Miller com quem casou em 1764 e teve quatro filhos. Por quatro anos trabalhou como engenheiro civil em dois projetos de canal entre Forth e Clyde, e no canal pra transportar carvão a Glasgow. Posteriormente conseguiu o financiador J. Roebuck para aplicar em larga escala a produção do motor, construir o protótipo e corrigir as falhas, porém faliu em pouco tempo, assim Matthew Boulton comprou parte nos negócios sendo possível desenvolver os projetos de Watt.
Propôs que sua máquina a vapor fosse usada na drenagem da mina alagada, pois substituía o trabalho de cavalos. Determinou a força da máquina a vapor pelo número de cavalos que substitua (horsepower- HP). A máquina permitiu o aumento do rendimento da máquina Newcomen em 75%. A primeira patente foi registrada em 1769, as melhorias atribuídas a James contribuíram decisivamente para o avanço da Revolução Industrial.
Viajou para o Reino Unido de 1776 a 1781, para as melhorias, construção e instalação nas máquinas. Escreveu um artigo para a Royal Society em 1783, sugerindo que a água seria combinação de dois gases, confirmada por Lavoisier mais tarde. Descobriu também métodos de expansão do vapor. Em 1785, James Watt e Boulton tornaram-se membros da Royal Society e em 1790 completou os aperfeiçoamentos da máquina a qual recebeu seu nome. Essa então começou a ser rapidamente empregada para bombear água de minas, para o aquecimento de máquinas em moinhos de farinha, em fiações, tecelagem e na fabricação do papel. Seus últimos anos foram completamente devotados à pesquisa em sua propriedade em Heathfield Hall, perto de Birmingham, onde morreu. Suas habilidades que possibilitaram a criação dos seus inventos foram fundamentais para o desenvolvimento de máquinas no processo industrial, e seu nome foi dado a unidade de potência de energia – watt.

Construção civil discute inovações para o setor


Profissionais e pesquisadores de diversos países mostram como a sustentabilidade ditará as regras do setor em todo o mundo
Curitiba – Para o designer italiano Vito Di Bari, no futuro, a agricultura será vertical e a luz elétrica apenas uma lembrança do passado. “O transporte vai mudar de forma dramática. Vamos dirigir debaixo da terra”, acrescenta. Ele foi uma das atrações do 4º Encontro Nacional para a Inovação na Construção Civil (Eninc), realizado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil no Norte do estado (Sinduscon Norte) e pelo Sebrae no Paraná, em Londrina.
designer é fundador do Di Bari Innovation Design, um estúdio de pesquisa e projeção, especializado em soluções para empresas e instituições públicas. Durante o Eninc, ele apontou as tendências para a construção civil e para a arquitetura nos próximos 50 anos. Entre suas previsões, ele aponta que na sustentabilidade das cidades, que se multiplicarão. “Na China, surgirão 300 cidades nos próximos 20 anos”, arrisca.
Orivaldo Barros, da Building Research Establishment, apresenta ensaios e pesquisas desenvolvidas em parques tecnológicos da Inglaterra. A organização é financiada pela indústria da construção do Reino Unido. Na opinião dele, a sustentabilidade é a palavra de ordem da inovação na construção civil. “No mundo todo, 50% da população está nas cidades. No Brasil, são 84% e a projeção é que, em 2020, sejam 90%. Para que as pessoas tenham saúde e qualidade de vida, os centros urbanos deverão diminuir a emissão de gás carbônico e lidar com as mudanças climáticas”, recomenda.
No Reino Unido, as habitações recebem certificações, como selos de baixo consumo de energia e impacto ambiental. “Tais atitudes aceleram a inovação, já que as empresas precisam investir em novas tecnologias para se adequarem ao mercado”, analisa Barros.
A customização na construção civil também foi debatida no evento. O arquiteto japonês Masa Noguchi, que tem trabalhos no Japão e no Canadá, discute o paradigma de design de massa personalizado, pré-fabricado e industrializado. Desde 2006, ele é professor de tecnologia da arquitetura, na Escócia. “A configuração das famílias está mudando e, além disso, o custo da energia também é avaliado na hora de escolher uma casa para morar. Esses serão os desafios da construção do futuro. Os lares de amanhã respeitarão o meio ambiente e serão feitos sob medida para acomodar as necessidades dos consumidores”, salienta Masa Noguchi.
O Eninc 2012 foi realizado na semana passada com cerca de 400 profissionais e empresários do setor da construção civil e arquitetura em torno do tema Construção do futuro. “As palestras mostraram as tendências, ensaios e perspectivas para os empresários da construção civil”, diz Ricardo Magno, consultor do Sebrae no Paraná. Para ele, a utilização da energia solar e de jardins suspensos são alguns aspectos que já devem ser incorporados pelas edificações nos próximos anos em todo o mundo. “O Eninc mostrou aspectos concretos que estão sendo experimentados e que em breve estarão no mercado”, acredita Ricardo Magno.
Serviço
Informações para a imprensa:
Savannah Comunicação Integrada - empresa licitada do Sebrae/PR
Jaqueline Gluck (41) 3035-5669 ou (41) 9602-7541
Assessoria de Imprensa Sebrae/PR - Regional Norte: Giovana Chiquim
(43) 9135-3040 / 3344-3403  jornalismolondrina@savannah.com.br
Leandro Donatti – Jornalista do Sebrae/PR –  (41) 3330-5895 ou (41) 9962-1754
Os textos veiculados pela Agência Sebrae de Notícias podem ser reproduzidos gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da agência. Para mais informações, os jornalistas devem telefonar para (61) 3243-7851 ou 3243-7852, no horário das 10h às 19h.
Fonte e demais informações: 

Estudo mostra que área de tecnologia da informação teve maior aumento salarial

De acordo com o levantamento, a área que teve o maior aumento salarial foi a de tecnologia da informação. Em São Paulo, um administrador de banco de dados júnior ganhava no ano passado, R$ 2,5 mil. Esse ano passou a receber R$ 4,6 mil.

Veja o link no vídeo: http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-da-globo/t/edicoes/v/estudo-mostra-que-area-de-tecnologia-da-informacao-teve-maior-aumento-salarial/2159446/

Usuários de internet devem ficar atentos para evitar golpes

A editora de tecnologia do G1, Daniela Braun, ressalta que devemos desconfiar de mensagens recebidas por e-mails ou nas redes sociais, evitando clicar em links. Ela alerta que o sistema e os programas antivírus devem estar atualizados.

Veja o vídeo no link: http://globotv.globo.com/rede-globo/bom-dia-brasil/t/edicoes/v/usuarios-de-internet-devem-ficar-atentos-para-evitar-golpes/2159680/

Proposta de mudança no Código Penal incluiria crimes cibernéticos

A fraude bancária, geralmente através de e-mails falsos, tem sido a investigação mais comum da Polícia Federal. A pedofilia também está no topo das investigações.No Brasil, a grande dificuldade continua sendo a falta de leis específicas.

Veja o vídeo no link: http://globotv.globo.com/rede-globo/bom-dia-brasil/t/edicoes/v/proposta-de-mudanca-no-codigo-penal-incluiria-crimes-ciberneticos/2159658/

Regra para quem trabalha nas alturas começa a valer a partir desta quinta-feira (27)

Cinto de segurança se torna obrigatório para qualquer empresa que mantenha o trabalhador numa altura acima de 2 metros. Multa pode chegar a R$ 6 mil caso a regra não seja cumprida.

Veja o vídeo no link:http://globotv.globo.com/rede-globo/bom-dia-brasil/t/edicoes/v/regra-para-quem-trabalha-nas-alturas-comeca-a-valer-a-partir-desta-quinta-feira-27/2159585/

Circuitos eletrônicos biodegradáveis dissolvem no corpo

Circuitos eletrônicos biodegradáveis dissolvem no corpo: Uma nova classe de circuitos eletrônicos projetada para ser implantada no corpo humano degrada-se por completo depois de cumprir sua tarefa.

Inteligência Artificial: robôs passam no Teste de Turing dos games

Inteligência Artificial: robôs passam no Teste de Turing dos games: Dois jogadores virtuais ganharam o desafio BotPrize, convencendo um painel de especialistas de que estavam sendo controlados por humanos.

Falha no Java pode colocar em risco cerca de 1 bilhão de computadores


postado em segurança por  às 16:25
Computadores das plataformas Windows e OS X que estiverem rodando Java SE nas versões 5, 6 ou 7 estão sujeitos a uma vulnerabilidade grave. O alerta foi dado em uma lista de discussão por Adam Gowdiak, especialista em segurança da empresa Security Explorations.
A falha em questão permite que um applet Java burle as restrições de proteção do Java em um navegador e, com isso, instale um malware no computador com a simples visita a uma página Web contaminada com código malicioso. Nos testes realizados para comprovar o bug, a falha foi explorada com sucesso nos principais navegadores do mercado: Chrome, Firefox, Internet Explorer, Opera e Safari.
Uma vulnerabilidade semelhante já havia sido reportada em relação ao Java 7 em agosto (2012), sendo que a Oracle, empresa responsável pelo software, liberou uma correção no final do referido mês. Em relação ao bug atual, no entanto, a companhia teria comunicado a Adam Gowdiak que o problema será sanado, mas não soube explicar quando.
Como a atualização poderá ocorrer apenas no próximo ciclo de atualizações do Java SE, previsto para meados de outubro, o especialista decidiu divulgar o problema publicamente como forma de alerta. No entanto, Gowdiak o fez sem liberar detalhes técnicos, de maneira a evitar que a vulnerabilidade seja explorada indevidamente. Felizmente, não há registros de que isto esteja ocorrendo.
De qualquer forma, a estimativa é a de que cerca de 1 bilhão de computadores em todo o mundo estejam vulneráveis graças a este bug.
Referência: Computerworld.

Seminario Internacional sobre Educação Superior nos BRICS




Fonte e demais informações: http://www.schwartzman.org.br/sitesimon/?p=4013&lang=pt-br&utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+SimonsSite+%28Simon%27s+Site%29

http://www.gr.unicamp.br/ceav/brics/index.html


Capes Web Tv

A Capes WebTV é uma mídia exclusiva criada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) direcionada para instituições e membros da comunidade acadêmico-cientifica brasileira. 

Constitui-se num sistema de comunicação e capacitação abrangente, que veicula conteúdo noticioso dentro dos campi universitários e promove o treinamento de usuários do Portal Periódicos Capes.

A Capes WebTV tem por objetivo difundir notícias e informações próprias da CAPES, com destaque para tópicos sobre a avaliação de cursos, editais de fomento à pesquisa, bolsas no país e no exterior, cooperação internacional, treinamento de usuários, além de reservar um espaço para a própria instituição publicar notícias para a sua comunidade local.

Para fazer parte da rede Capes WebTV, basta a instituição fazer contato através do endereço periodicos@capes.gov.br ou pelo telefone (61) 2022-6205 a fim de solicitar o formulário de adesão e receber mais informações.

Para a implementação da Capes WebTVé necessário que a instituição disponibilize monitores e computadores com acesso à internet de forma a receber e transmitir os conteúdos dos players. O gráfico ao lado ilustra de forma simplificada os modos de operação da Capes WebTV.

Manual Capes Web TV

Suporte Online ou envie email para:suporte@capeswebtv.com.br

Fonte e demais informações: http://www.capeswebtv.com.br/



Concurso sobre inovação e sustentabilidade têm inscrições abertas até 31/10 Fonte: Boainformacao.com.br http://www.boainformacao.com.br/2012/09/concurso-sobre-inovacao-e-sustentabilidade-tem-inscricoes-abertas-ate-3110/


Empresas, pesquisadores e trabalhadores da construção civil podem participar do Prêmio Cbic (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) de Inovação e Sustentabilidade, que está com inscrições abertas até 31/10.

Segundo a organização do prêmio, que está na 19ª edição, serão premiados trabalhos de pesquisa que envolvam produtos e sistemas inovadores  e cujo resultado tenha impacto potencial significativo na modernização dos processos construtivos. Os trabalhos serão divididos em três áreas: pesquisa, novos materiais e sistemas construtivos.

O vencedor ganhará uma viagem de cinco dias a Londres com visitas técnicas e divulgação em revistas especializadas. O segundo colocado terá consultoria de gestão de viabilidade da inovação como negócio. Quem ficar na terceira posição terá, assim como ocorrerá aos dois primeiros colocados, divulgação em sites, revistas técnicas e eventos da Cbic.

Mais informações podem ser obtidas no site do prêmio.

Área de gestão ganha revolução com o Congresso Virtual Six Sigma Brasil 2012 - Eliana Zani

Área de gestão ganha revolução com o Congresso Virtual Six Sigma Brasil 2012 - Eliana Zani


Trata-se de uma ferramenta de acesso fácil, que viabiliza e disponibiliza todo o conteúdo que foi realizado no Congresso presencial ocorrido em maio deste ano, frequentado por executivos, gerentes de projetos, líderes...

Anatel quer combinar regulamentos de compras nacionais e P&D


O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Rezende, vai avaliar por mais 90 dias o direito de preferência a equipamentos e software nacionais nas compras das concessionárias de telefonia, com o objetivo de costurar as propostas com outro regulamento em discussão, que trata de investimentos em pesquisa e desenvolvimento. A Anatel quer compatibilizar o regulamento de compras com o regulamento de P&D, que prevê para as teles uma contribuição de 3% da receita líquida anual para P&D.

O direito de preferência, segundo a proposta que Rezende está analisando, valeria para compras em valores a partir de R$ 620 mil. Nesses casos, as teles devem dar ampla divulgação das compras e a consideração da nacionalidade dos equipamentos e serviços, inclusive softwares, servirá como critério de desempate.

Segundo Rezende, a ideia é “compatibilizar” esse regulamento com outro, relacionado a investimentos das empresas de telecomunicações em pesquisa e desenvolvimento.

O regulamento que prevê contribuição de 3% da receita líquida em P&D não seria compulsório, mas em troca dos investimentos as empresas receberiam uma espécie de “certificado de excelência”, com o qual poderiam ter direito de preferência na aquisição de faixas de frequência e financiamentos públicos, entre outros benefícios.

Pouco depois de assumir a presidência da Anatel, no fim do ano passado, o próprio Rezende sugeriu que a proposta poderia ser abandonada pela agência. O principal entusiasta do regulamento de P&D é o ex-presidente da Anatel, Ronaldo Sardenberg, que foi ministro da Ciência e Tecnologia no governo Fernando Henrique Cardoso.

(Com informações do Convergência Digital)

Fonte e demais informações: http://www.anpei.org.br/imprensa/noticias/anatel-quer-combinar-regulamentos-de-compras-nacionais-e-pd/

Lei que cria o novo regime automotivo é publicada


Sancionada pela presidenta Dilma Rousseff e publicada no dia 18 de setembro no Diário Oficial da União, a Lei 12.715 – que amplia o Plano Brasil Maior – traz detalhes sobre a operação do novo regime automotivo, que ficará em vigor de 2013 a 2017.

O Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores (Inovar Auto) tem o objetivo de estimular o investimento em pesquisa e inovação na fabricação de caminhões, ônibus e automóveis, por meio da concessão de crédito sobre o recolhimento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

A habilitação para as empresas que desejarem participar será concedida em ato conjunto dos ministérios do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e da Ciência, Tecnologia e Inovação.

O desconto no IPI será concedido sob a forma de créditos bimestrais, com base nos gastos das empresas com pesquisa, desenvolvimento, tecnologia, insumos, ferramentas e capacitação de fornecedores, entre outros. Podem se habilitar as empresas que estiverem em dia com os tributos federais e que trabalhem dentro de níveis mínimos de eficiência energética.

O crédito concedido sobre o IPI não estará sujeito a desconto da contribuição para o Pis/Pasep e para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins). Também não incidirão sobre ele o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

(Com informações da Agência Brasil)

Recursos aplicados em P&D viram investimento no cálculo do PIB


Assim como a aquisição de software, os gastos com pesquisa e desenvolvimento (P&D) passarão a ser computados como investimentos, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O órgão está alterando a metodologia de cálculo do Produto Interno Bruto (PIB).

O objetivo da mudança é adequar o cálculo às recomendações internacionais. O resultado será um aumento da participação do investimento no PIB, no momento em que o País encontra dificuldades para investir mais. Segundo apurou a reportagem, o aumento pode ser de 1% a 1,5%. Em junho, a taxa de investimentos estava em 18,8% do PIB.

“Tanto software quanto pesquisa e desenvolvimento vão ser considerados investimentos. O saldo final da mudança eu não sei”, declarou a presidente do IBGE, Wasmália Bivar. “É uma mudança metodológica, não significa que vai alterar a taxa de investimento.”

O PIB do terceiro trimestre de 2014 já pode ser divulgado sob a nova metodologia, dependendo da capacidade do IBGE de concluir o estudo. Caso contrário, o novo cálculo sairá no início de 2015, quando forem divulgados os resultados do PIB referentes ao quarto trimestre de 2014. Mas a série deve ser reajustada de 1996 em diante.

Outra alteração prevista é na atividade de edição e impressão, que sai da indústria e passa a integrar o setor de serviços. O IBGE informou ainda que estão em estudo mudanças nas delimitações do setor público, na contabilização das atividades nacionais em território estrangeiro e das operações transacionais, como Itaipu, mas não deu detalhes.

(Com informações de O Estado de S. Paulo)

Fonte e demais informações: http://www.anpei.org.br/imprensa/noticias/recursos-aplicados-em-pd-viram-investimento-no-calculo-do-pib/

Anprotec discute o futuro do empreendedorismo


A última sessão plenária do Seminário Nacional da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), realizada no dia 20 de setembro, em Foz do Iguaçu (PR), discutiu o futuro do empreendedorismo nos próximos 25 anos. O debate mostrou quatro visões diferentes que integram o movimento: a dos gestores dos ambientes de inovação, a dos empresários, a das universidades e a do governo. A presidente da Anprotec, Francilene Garcia, atuou como mediadora da discussão. “Precisamos ver o que está por vir em termos de modelo e sustentabilidade para os ambientes de inovação. Além disso, temos que ver o panorama mundial: que avanços as incubadoras e parques de fora têm alcançado”, disse.

O diretor do Sapiens Parque, José Eduardo Fiates, afirmou que os parques do futuro terão que possuir “laboratórios vivos”, desenvolver suas próprias marcas, servir como hotel de laboratórios e oferecer facilidades à população das cidades, dentre outros aspectos. “O movimento de empreendedorismo inovador se desenvolveu no Brasil de maneira diferente da Europa. Aqui, desde o início começamos a atuar com incubação e promoção do empreendedorismo. Lá, o foco inicial foram os parques tecnológicos e a incubação é um desafio para eles, enquanto para nós isso é natural”, disse.

O reitor da Universidade Federal de Itajubá (Unifei), Renato Nunes, destacou a necessidade de mudar a cultura universitária, que, segundo ele, ainda não percebe a importância do empreendedorismo e dos ambientes de inovação. “Se a nossa universidade [Unifei] sai do parque que está sendo construído, ele fecha. Precisamos da cultura da inovação. Isso não é natural nos líderes acadêmicos”, comentou.

Partindo da visão dos empreendedores do movimento, Fernando Kreutz, presidente da FK Biotecnologia, apontou outros desafios. Dentre eles, o executivo destacou a importância da internacionalização das empresas e da criação de um marco legal para dar base à atuação dos investidores-anjo no país. “Temos muita expectativa da sociedade, enfrentamos uma competição tecnológica global, temos um novo modelo de interação entre países. São muitos desafios”, disse.

O coordenador de Serviços Tecnológicos da Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Setec), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Jorge Mario Campagnolo, ressaltou que os recursos para investimento em parques e incubadoras são limitados e que o governo precisa ser seletivo na hora de alocá-los. Ele citou como desafios a questão da segurança jurídica para atração de capital privado para os parques, a necessidade de mudança da cultura universitária e do engajamento de lideranças acadêmicas, e a importância de que os parques estejam sintonizados com as estratégicas locais, regionais e nacionais.

Campagnolo disse, ainda, que o MCTI está estruturando um programa de apoio direto a empreendedores, tendo como base os Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs), financiando empresas e projetos ainda na fase de pré-incubação.

(Com informações da Anprotec)


Eletrobras assina acordos de cooperação em P,D&I com setor público


A Eletrobras assinou, no dia 21 de setembro, um acordo com os ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e da Educação (MEC) para doação de bolsas de estudo no âmbito do Programa Ciência sem Fronteiras (CsF). No dia 19, a Eletrobras/Eletronorte assinou outro termo de cooperação, dessa vez com o governo de Tocantins, para financiamento de projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação no Estado.

A Eletrobras custeará 2.500 bolsas do Ciência sem Fronteiras. O programa busca promover a consolidação, a expansão e a internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileiras por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional. Até 3 de setembro, o programa recebeu 72.269 inscrições e concedeu 16.788 bolsas.

Já no caso da cooperação com o Tocantins, a empresa vai financiar projetos de inovação com foco em geração e transmissão de energia elétrica, e relacionados ao meio ambiente e biodiversidade.

O termo também prevê a implantação de laboratórios e sistemas voltados para o setor de energia e impactos ambientais, além de suporte para implantação e expansão do programa Tocantins Digital, lançado pelo governo em parceria com a Eletronorte no ano passado. Segundo a presidente da Fundação de Amparo a Pesquisas do Tocantins, Andrea Stival, o edital deve ser lançado ainda este ano.

(Com informações do MCTI e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins)