Pesquisar

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Estudantes mostram como o investimento em educação dá resultado



ESPECIAL PROJETO DE LEI 1992



Fonte e demais informações: http://www.youtube.com/user/sindicatosindilegis#p/u/15/DEd2i_aeAg8

Novas tecnologias mudam o visual de casas noturnas de São Paulo e Rio



Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/jornal-da-globo/t/edicoes/v/novas-tecnologias-mudam-o-visual-de-casas-noturnas-de-sao-paulo-e-rio/1713648/

Governo quer a aprovação de um fundo de previdência do servidor público



Fonte e demais informações:http://g1.globo.com/videos/jornal-da-globo/t/edicoes/v/governo-quer-a-aprovacao-de-um-fundo-de-previdencia-do-servidor-publico/1713755/

Welle Laser desenvolve novo processo de soldagem | Notícias | CIMM

Welle Laser desenvolve novo processo de soldagem | Notícias | CIMM

Cartas de Tsuji

Alunos da USP criam controle remoto sensorial

Alunos da USP criam controle remoto sensorial: O controle remoto sensorial permite controlar uma TV apenas com gestos.

"Ouro de tolo" ilumina caminho para nova geração de células solares

"Ouro de tolo" ilumina caminho para nova geração de células solares

Cientistas constroem a espuma perfeita

Cientistas constroem a espuma perfeita: A espuma tem um meio-termo perfeito entre a área superficial dos poros e a estabilidade das faces desses poros interconectados.

Vale investirá US$ 563 milhões na siderúrgica

Orçamento do ano que vem para a usina que será instalada no Pecém foi divulgado, ontem, pela companhia brasileira
A Vale prevê investir, no próximo ano, um montante de US$ 563 milhões na CSP (Companhia Siderúrgica de Pecém), a ser instalada em São Gonçalo do Amarante. O valor corresponde apenas ao aporte que será disponibilizado pela mineradora. Como a CSP é uma joint-venture da Vale (que tem participação de 50%), em parceria com a Dongkuk (30%) e a Posco (20%), o investimento total será, naturalmente, maior. A informação está presente no orçamento da Vale para o ano que vem, divulgado ontem. Atualmente, a CSP, que é a primeira indústria incluída na Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Pecém, está em fase de terraplanagem.

O empreendimento já conta com a Licença de Instalação (LI) para a construção da usina, tanto da primeira fase, quanto da segunda, na qual a capacidade de produção irá dobrar. Com a expansão concluída, a planta se tornará a maior usina siderúrgica do Brasil.

Produção
Como ficará instalada na ZPE, a CSP poderá destinar 20% de sua produção ao mercado interno. Este percentual representa, exatamente, a participação acionária que a brasileira Vale terá sobre a produção da usina. Essa parcela representa 600 mil toneladas de placas anuais na primeira fase e 1,2 milhão na segunda, quando será ampliada.

Já o restante da produção está dividido entre as sócias sul-coreanas do empreendimento, Posco (30%) Dongkuk (50%). No total, serão 12 milhões de placas de aço por ano, após o incremento. A Dongkuk levará sua parcela à laminação em suas usinas da Coreia do Sul e a Posco pretende vender as placas para o México, segundo adiantou o governador.

PIB
A siderúrgica cearense envolve um investimento de US$ 4,4 bilhões, em sua primeira fase. Quando concluída a segunda fase, a usina será responsável pela ampliação do atual PIB (Produto Interno Bruto) da indústria cearense em 48%, elevando a atual economia no Ceará em 12%. A CSP e a refinaria da Petrobras, Premium II, juntas, poderão responder por 60% do PIB cearense.

Laminadoras
Para fortalecer o futuro polo metal-mecânico, o Estado espera atrair duas indústrias laminadoras, que fazem o trabalho final da cadeia siderúrgica, transformando placas de aço em chapas de aço, utilizadas em montadoras de veículos, indústrias de eletrodomésticos de linha branca, estaleiros, entre outros. A informação foi divulgada, com exclusividade, pelo Diário do Nordeste, no mês passado. Um dos possíveis investidores, o grupo espanhol Añon, já assinou, inclusive, um protocolo de intenções com o governo cearense. A planta, avaliada em R$ 200 milhões, contaria com 10% do investimento por parte do governo estadual, que seria sócio do empreendimento.

ESTRATÉGIA DA MINERADORAExpansão orgânica será foco em 2012
Investimento total previsto pela Vale para 2012 é quase 11% menor do que o efetuado neste ano
São Paulo Do orçamento total previsto para 2012 no País, a Vale pretende alocar 71,5% em crescimento orgânico e a outra parte em manutenção das operações existentes. O crescimento orgânico se dará principalmente por projetos, que responderão por US$ 12,9 bilhões - ou 60,5% do total de US$ 21,4 bilhões previstos para o ano que vem; e também via pesquisa e desenvolvimento (P&D), com US$ 2,4 bilhões, ou 11%.

O aporte total para o próximo ano é 10,8% inferior ao que foi investido em 2011.

Por negócio
Por área de negócio, os investimentos priorizarão minerais ferrosos, com 46,7%; seguidos por metais básicos, com 21,6% do total; fertilizantes, com 9,6%; e carvão, com 8,9%. O segmento de energia vem na sequência, com 3,6% dos gastos. Por sua vez, os investimentos em siderurgia para 2012 responderão por uma fatia de 2,9%. Já a área de logística para carga geral receberá 2,4% dos recursos.

Projetos internacionais
Na divisão geográfica, o Brasil responde por 63,7% do orçamento, seguido por Canadá, com 11,7%; África, com 9,1%; demais países da América do Sul, 6,0%; Ásia, 5,7%; Australásia, 3,3%; e "outros", 0,5%.

A Vale anunciou em seu plano de investimentos para 2012 que a produção esperada de minério de ferro é de 312 milhões de toneladas métricas.

O dado é ligeiramente superior à meta para 2011, de atingir produção de 310 milhões de toneladas. No ano passado, a produção da Vale foi de 307,795 milhões de toneladas.

A marca de 312 milhões de toneladas confirma a projeção dada pelo diretor executivo de Marketing, Vendas e Estratégia, José Carlos Martins, em teleconferência sobre os resultados da companhia no terceiro trimestre.

Para os demais produtos, a expectativa da Vale de produção em 2012 para pelotas é de 50 milhões de toneladas; carvão, 16,6 milhões; níquel, 300 mil; cobre, 340 mil; potássio, 650 mil; e rocha fosfática, 8 milhões de toneladas.

Recorde
No terceiro trimestre, a Vale bateu recorde na produção de minério de ferro e pelotas. Em seu relatório de produção, a companhia informou ter alcançado a marca de 87,9 milhões de toneladas de minério, crescimento de 6,4% em relação à produção em igual período de 2010.

Fonte e demais informações:  http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1076274

Taipei 101. Poderá um edifício cinzento ficar verde? | iOnline

Taipei 101. Poderá um edifício cinzento ficar verde? | iOnline

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Saiba o que o universitário deve fazer para administrar o orçamento doméstico



Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/jornal-da-globo/t/edicoes/v/saiba-o-que-o-universitario-deve-fazer-para-administrar-o-orcamento-domestico/1712469/

Líquido vira sólido sob ação de um campo elétrico

Líquido vira sólido sob ação de um campo elétrico: Esta é a primeira vez que se demonstra que um material pode passar de líquido para sólido sem alteração da temperatura ou da pressão.

Luz é ligada e desligada por 20 fótons

Luz é ligada e desligada por 20 fótons: É mais ou menos como se o fluxo de um rio pudesse ser controlado com a água de uma mangueira de jardim.

Em busca de um motor multicombustível eficiente

Em busca de um motor multicombustível eficiente: A indústria brasileira apenas adaptou o motor movido a gasolina para uso com etanol, sem um esforço de pesquisa e desenvolvimento mais aprofundado.

Cúpula de Durban começa com poucas esperanças de salvar Protocolo de Quioto

Cúpula de Durban começa com poucas esperanças de salvar Protocolo de Quioto: O acordo, que obriga os países desenvolvidos a reduzir suas emissões de gases poluentes, expira em 2012, e até agora não há nenhum outro tratado para substituí-lo.

Conferência das Cidades vai debater política de resíduos sólidos | Jornal Correio do Brasil

Conferência das Cidades vai debater política de resíduos sólidos | Jornal Correio do Brasil

Conferência para mudanças climáticas começa em Durban | Jornal Correio do Brasil

Conferência para mudanças climáticas começa em Durban | Jornal Correio do Brasil

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Nasa lança veículo-robô para procurar sinais de vida em Marte

 
Protótipo do robô-carcereiroParece coisa de filme de ficção científica, mas é real: a partir de março de 2012, a prisão da cidade de Pohang, localizada a sudeste de Seul, na Coreia do Sul, testará “robôs-carcereiros” durante um mês. Trata-se de um projeto desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Kyonggi com apoio do Ministério da Justiça do país.
Dotados de rodas e possuindo 1,5 metro de altura, os robôs serão utilizados principalmente em rondas noturnas. Mas não se trata apenas de um projeto de “câmeras ambulantes”: por meio de sensores, os robôs poderão analisar a movimentação dos detentos para determinar comportamentos preocupantes, como atos violentos e até mesmo tentativas de suicídio.
Até o momento, o desenvolvimento do projeto custou cerca de 850 mil dólares. De acordo com o governo da Coreia do Sul, se os testes forem bem-sucedidos, o uso dos robôs poderá ser ampliado, de forma que os “funcionários humanos” possam direcionar seus esforços à reeducação dos detentos.
Vale frisar que, ao identificar algum comportamento anormal, a única reação do robô será a de emitir avisos imediatos a uma central. Para o alívio dos presos – e, talvez, para a decepção dos fãs de ficção científica –, os robôs não serão equipados com qualquer tipo de arma.

Fonte e demais informações: http://www.infowester.com/noticias/coreia-do-sul-testara-%E2%80%9Crobos-carcereiros%E2%80%9D/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+InfowesterNoticias+%28InfoWester+Not%C3%ADcias%29&utm_content=Google+Reader

Robô movido a biocombustível é destaque em Congresso

gustavo_morita
Desarmamento de bombas, sondagens e roçagem de gramado, são apenas algumas das aplicações que impressionam no Projeto Rover Eco Roubst, um robô móvel e autônomo movido a biodiesel, com capacidade para desempenhar atividades agrícolas, industriais ou domésticas, em seus diferentes usos.
 
Desenvolvido pelos alunos do terceiro ano de Engenharia de Controle e Automação da Faculdade de Jaguariuna (FAJ), o projeto foi destaque do 11º Congresso Nacional de Iniciação Científica (Conic), realizado nos dias 18 e 19 de novembro, na Universidade Santa Cecília (Unisanta), em Santos. O evento é considerado o maior do gênero no Brasil.
 
Por meio da técnica de controle remoto, com apenas dois litros de combustível, o Eco Roubst tem autonomia para funcionar por nove horas ininterruptas em sua capacidade máxima e segundo Fernando Gabriel Pavan, integrante do grupo responsável pelo projeto, um dos principais diferenciais é o uso do combustível alternativo na área da robótica. “Foram seis meses de trabalho, unimos tecnologia e sustentabilidade neste projeto para o desenvolvimento de um motor de maior autonomia e menor impacto ambiental. É uma contribuição para a melhoria da vida como um todo”, considera.
 
Aplicações
 
Segundo o coordenador do curso de Engenharia de Controle e Automação da FAJ, André Mendeleck - doutor em Engenharia Mecânica com foco em Robótica, Inteligência Artificial e Automação -, o Rover é um dispositivo autônomo que permite o transporte sem a necessidade de intervenção humana, o que reduz os custos de mão de obra e aumenta a segurança e confiabilidade.
 
O Eco Roubst tem navegação autônoma, capacidade de autolocalização e desvio de obstáculos, transporte de câmeras para monitoramento, interação com os membros da comunidade acadêmica e transporte de materiais, além da capacidade de carga para 100 quilos.
 
Em geral, a referência a um Rover representa características como capacidade de navegação em ambientes desconhecidos, desestruturado e dinâmico, e de tomada de decisão e autoaprendizado. 
 
Conforto, indústria e segurança
 
“Sobre a plataforma, pode-se agregar elementos funcionais, tais como: um cesto - transformando o Rover em um veículo para transporte de alimentos em supermercado; uma plataforma de madeira - transformada em um skate autônomo; agregar uma cadeira -transformada em uma cadeira com rodas autônoma para  o transporte de pessoas”, explica o coordenador.
 
Na indústria, o Rover é utilizado para transportar peças e componentes na linha de montagem; em almoxarifado são utilizados como elemento de transporte e armazenamento automatizado; em portos e aeroportos são utilizados no transporte autônomo de container e bagagens; em hospitais são utilizados para o transporte de lixo, entrega de refeição e de medicamentos. “Na área de segurança é utilizado como plataforma para o transporte de elementos para monitoramento, como câmeras, sensores térmicos, escâner ultra-som e armamento”, detalha André.
 
Dinâmica multidisciplinar
 
O aspecto multidisciplinar valoriza a realização do Projeto e a expectativa do grupo de alunos, segundo Fernando, é abrir o leque de oportunidades e aperfeiçoar o Eco Roubst. Para desenvolver um Rover, Andre Mendeleck destaca que é preciso conhecer as áreas de mecânica (para construção da estrutura), eletrônica (para o desenvolvimento e integração dos dispositivos eletrônicos e computacionais), computação (para o desenvolvimento dos programas de controle dos dispositivos), controle e automação (para o desenvolvimento dos sistemas para controle de posicionamento, velocidade, trajetória, e outros). 
 
No trabalho em equipe, Fernando diz que uma vivência prática já iniciada no ambiente acadêmico é o trabalho em equipe, assim como em um ambiente empresarial, onde também se preza a relação humana e o conhecimento para se chegar ao produto final. “A elaboração dos projetos práticos é importante para enaltecer o conhecimento”.
 
Sobre o Conic
 
O Conic foi promovido pelo Sindicato das Entidades Mantenedoras e Estabelecimentos de Ensino Superior do Estado de São Paulo (Semesp) e considerado o maior evento do gênero no Brasil e um estímulo ao engajamento dos estudantes de graduação no processo de investigação científica. Neste ano foram 1,8 mil trabalhos inscritos por 2.641 alunos pesquisadores de todas as regiões do Brasil, dos quais 1.489 foram aprovados. 
 
Este ano, em sua 11ª edição, o Congresso homenageou a física e química Marie Curie (1867 - 1934), ganhadora de dois Prêmios Nobel (1903 e 1911), adotando como slogan uma de suas citações: “Nada na vida deve ser temido, apenas compreendido”. 
 
Sobre o Projeto
 
Participaram do desenvolvimento do projeto Rover Eco Roubst os alunos Fernando Gabriel Pavan, Ailton José Cordeiro, Maurindo Miliorini Jr, Leandro Bressiani Santos, Guilherme Ferreira da Silva, Renan Filipe Moreira da Costa, André José Canina Biotto, Maykon Douglas Magalhães de Morais. Comando de voz por Márcio Alessandro Castiglioni.
- Ambiente Operacional: Off Road de longa autonomia
- Dimensões: Largura = 0,50m; Comprimento = 0,80m; Altura = 0,50m
- Motor: Motor Diesel - Combustível: biodiesel
- Capacidade de Carga: 100 Kg
- Tração: Esteiras
- Controle: CLP – Controlador Lógico Programável
- Acionamento: Rádio Controle – servo motores
 

Congresso Mineiro de Ensino premia entidades de ensino superior - Barbacenaonline

Congresso Mineiro de Ensino premia entidades de ensino superior - Barbacenaonline

Acontece nesta segunda-feira (28) e terça-feira (29), na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, em Belo Horizonte, o I Congresso Mineiro de Ensino Superior. Participam do encontro o Ministro da Educação, Fernando Haddad, o secretário de Educação Superior do MEC, Luiz Cláudio Costa, secretários de Estado, reitores, professores e presidentes de instituições de fomento à pesquisa para debater as perspectivas e desafios para a educação superior em Minas Gerais.

Na terça-feira, a mesa redonda “Pesquisa, Extensão e Inovação”, tendo como palestrantes o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), Mário Neto Borges; o reitor da Universidade Federal de Itajubá (Unifei), Renato de Aquino Faria Nunes; e o ex-reitor da Unimontes, Paulo César Gonçalves de Almeida. O mediador será o secretário-adjunto de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Evaldo Vilela.

Robôs partem em jornada épica através do Oceano Pacífico

Robôs partem em jornada épica através do Oceano Pacífico: O objetivo é quebrar o recorde de maior distância já percorrida no mar por embarcações não-tripuladas.

Presidente defende investimento em tecnologia e inovação

Presidente defende investimento em tecnologia e inovação: A presidente Dilma Rousseff defendeu mais investimentos em conhecimento, tecnologia e inovação.

Tecnologia brasileira elimina poluentes industriais com energia solar

Tecnologia brasileira elimina poluentes industriais com energia solar: Pesquisadores da Unicamp criaram uma alternativa sustentável, viável economicamente, e altamente eficiente, para eliminar poluentes orgânicos da água.

Publicada definição final de Computação em Nuvem

Publicada definição final de Computação em Nuvem

Minas de Oportunidades capacita para gestão de negócios - TôSabendo.com Noticias


O evento, promovido pelo Sebrae em Minas Gerais, será realizado de 5 a 7 de dezembro, no Minascentro. Podem participar empresas formalizadas, empresários participantes do Negócio a Negócio, empreendedores individuais ou interessados em formalizar a empresa. O evento oferecerá 66 atividades, entre elas as consultorias Soluções em Negócios. Os participantes receberão orientações sobre as 24 ferramentas de gestão empresarial, estratégias de inovação, acesso a mercados e orientação ao crédito que podem ser usadas na melhoria das empresas.

Minas de Oportunidade – Encontro Gestão de Negócios
De 5 a 7 de dezembro, das 13h às 21h
Minascentro – Entrada pela rua dos Guajajaras, 1.022 – Centro
Belo Horizonte/MG
Inscrições: www.sebraemg.com.br
Entrada gratuita


Assessoria de Imprensa do Sebrae-MG
(31) 3379-9275 / 9276

Portal Caparaó

A Samarco está com inscrições abertas para o processo seletivo que vai contratar novos estagiários para 2012. Há vagas para alunos de ensino superior e nível técnico nas unidades de Germano (MG), Ubu (ES), Matipó (MG) e nos escritórios de Belo Horizonte.

Para estágio de nível superior, as vagas são para os cursos de Administração; Economia; Ciências Contábeis; Engenharia Mecânica; Psicologia; Sistema de Informação; Ciência da Computação; Tecnologia da Informação; Tecnólogo em Informática; Pedagogia; Biologia; Comércio Exterior; Relações Internacionais; Comunicação Social; Direito; Enfermagem; Nutrição e diversas Engenharias.

Projeto de alunos resulta em controle remoto sensorial - Educação | O Repórter

Projeto de alunos resulta em controle remoto sensorial - Educação | O Repórter

Curso de Engenharia Elétrica da Univale promove “5º Feira Acadêmica de Engenharia”

A Universidade Vale do Rio Doce – Univale realiza nos dias 28 e 29 de novembro a “5º Feira Acadêmica de Engenharia”. O evento tem como principal objetivo expor trabalhos feitos por estudantes do curso. Este ano, a Feira acontece em parceria com os alunos do curso de Ciência da Computação.
A Feira de Engenharia visa incentivar a pesquisa através do ensino adquirido nos cursos de Engenharia Elétrica e promover a integração entre alunos do curso e de áreas afins.
Durante o evento serão apresentados trabalhos de todos os alunos de Engenharia Elétrica. Quem passar pela feira para visitar, poderá conferir de perto: robôs, projetos em 3D, sistema de controle de braço mecânico e a máquina de preparo de sucos. Além de vários outros projetos. Até hoje já estão inscritos para participar da mostra 22 trabalhos.
De acordo com o coordenador do curso de Engenharia Elétrica, Robson Soares Ferreira, o evento é importante para os alunos, pois eles usam o conhecimento adquirido e desenvolvem trabalhos em conjunto com outros períodos. “Além disso o envolvimento dos alunos não é somente na elaboração de  projetos, eles atuam também na organização do evento fazendo a montagem das bancadas e tomadas.
O evento acontece no Hall do Edifício Pioneiros, localizado no campus Antônio Rodrigues Coelho. No horário de 19h ás 22h.

Workshop e mobilização em CG alertam sobre acessibilidade

O Crea-MS e a Sociedade em Prol da Acessibilidade, Mobilidade Urbana e Qualidade de vida (ASP-MS) promovem no dia 2 de dezembro, das 8h às 18h, no auditório do Conselho, o workshop Acessibilidade é um bom negócio, que tem como objetivo debater questões ligadas à melhoria da qualidade de vida das pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

Profissionais das mais diversas áreas de atuação envolvidos com a acessibilidade, como engenheiros, arquitetos, psicólogo, fisioterapeutas ministrarão palestras que tratarão de temas como calçadas, acessibilidade funcional e desenho universal.

As inscrições podem ser feitas gratuitamente no site do Crea-MS, no link Cursos e Eventos, onde também pode ser conferida a programação do evento. No dia do evento serão recolhidas doações de 1kg de alimento não perecível para a Campanha Natal Solidário do Crea-MS. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone 67 3368-1026.

No dia 3, sábado, Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, será realizada como parte da campanha pelo respeito ao direito das pessoas com deficiência “Esta vaga não é sua nem por um minuto”, a caminhada da inclusão. O ponto de partida será às 9h, na Praça do Rádio. A concentração, às 10h, será na Avenida Afonso Pena, entre as ruas 13 de maio e 14 de junho.

Os eventos contam com o apoio do Crea Júnior MS, Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-MS), Instituto de Engenharia de MS (IEMS).

Fonte e demais informações: http://www.msnoticias.com.br/?p=ler&id=76429
 
 

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Ambientalistas denunciam aceleração do desmatamento em Mato Grosso



Fonte e demais informações:  http://g1.globo.com/videos/jornal-nacional/t/edicoes/v/ambientalistas-denunciam-aceleracao-do-desmatamento-em-mato-grosso/1708080/

Selamento de poço na Bacia de Campos vai levar mais 20 dias



Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/jornal-nacional/t/edicoes/v/selamento-de-poco-na-bacia-de-campos-vai-levar-mais-20-dias/1708083/

Código Florestal reduz o tamanho da área devastada a ser recuperada



Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/jornal-nacional/t/edicoes/v/codigo-florestal-reduz-o-tamanho-da-area-devastada-a-ser-recuperada/1708065/

XIX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos

O XIX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos,  começa domingo (27), no Centro de Exposições Ruth Cardoso, em Maceió, Alagoas. O tema principal  deste ano do encontro será a "Água no Mundo em Transformação". 

Durante o evento, pesquisadores, representantes da sociedade civil, empreendedores e autoridades do governo, discutirão ações estruturantes para o enfrentamento das questões técnicas, científicas, econômicas, sociais e ambientais ligadas aos recursos hídricos para a próxima década. 

O simpósio acontece até 1º de dezembro e terá na programação painéis, mesas
redondas, apresentação de trabalhos científicos, feira, além de visitas técnicas  nas Usinas de Coruruipe e Camaragibe. 

Mais informações: http://www.acquacon.com.br 
25 de novembro de 2011 

Fonte e demais informações:  http://www.inthemine.com.br/mineblog/?p=750

Nanotubos separados mostram todo seu potencial

Nanotubos separados mostram todo seu potencial: Quando os nanotubos de carbono são fabricados, tudo o que se vê é um pó preto que não é ideal para nenhuma aplicação. Agora há uma técnica eficiente para separá-los.

Microlâmpadas de plasma superam eficiência dos LEDs

Microlâmpadas de plasma superam eficiência dos LEDs: A ideia quase ingênua de um aluno parece ter sido o suficiente para que engenheiros inventassem um novo sistema de iluminação.

Transístor quântico estará nos computadores em 2017

Transístor quântico estará nos computadores em 2017: Os fenômenos quânticos ajudarão a diminuir o consumo de energia dos computadores por um fator de 100 já em 2017.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Recuperação de áreas de preservação permanente divide opiniões



Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/jornal-nacional/t/edicoes/v/recuperacao-de-areas-de-preservacao-permanente-divide-opinioes/1705441/

Código Florestal permite que agricultores troquem multas por recuperação de terras

 

Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/jornal-nacional/t/edicoes/v/codigo-florestal-permite-que-agricultores-troquem-multas-por-recuperacao-de-terras/1706585/

Nova estrutura de tarifas pode ajudar na economia do consumo de luz



Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/jornal-nacional/t/edicoes/v/nova-estrutura-de-tarifas-pode-ajudar-na-economia-do-consumo-de-luz/1706728/

Lixo eletrônico vira terra-rara | Notícias | CIMM

Lixo eletrônico vira terra-rara | Notícias | CIMM

A corrida pela excelência

 Edição Impressa 189 - Novembro 2011

Os países em desenvolvimento devem investir em universidades de pesquisa de classe mundial apenas depois de criarem um sistema de educação superior consistente, recomenda um relatório do Banco Mundial. O documento examina a experiência de 11 universidades públicas e privadas em nove países da África, Ásia, América Latina e Leste Europeu. As instituições de melhor desempenho exibem características como elevada concentração de professores e alunos talentosos, recursos em abundância e visão estratégica. “Dinheiro é importante, mas o quadro regulatório e os mecanismos de governança são fundamentais”, disse à agência SciDev.Net Jamil Salmi, coordenador para educação superior do Banco Mundial. Circunstâncias políticas e econômicas também podem ser decisivas. A Universidade de Ibadan, na Nigéria, perdeu seus pesquisadores mais talentosos durante sucessivas ditaduras militares, enquanto o crescimento econômico da Índia tem atraído muitos pesquisadores que haviam migrado. Salmi atribui o rápido crescimento da Universidade Hong Kong de Ciência e Tecnologia “à política sistemática de atrair pesquisadores chineses que haviam migrado”. José Joaquín Brunner, ex-ministro da Educação do Chile, criticou a corrida para criar instituições desse tipo. “Os países devem buscar sistemas de ensino superior que respondam às suas necessidades, com foco na formação de capital humano e na produção de conhecimento relevante”, avaliou. 

Xerox trabalha em algoritmo para identificar fotos de boa qualidade

Pesquisadores dos laboratórios de pesquisa e desenvolvimento da Xerox estão trabalhando no desenvolvimento de um algoritmo capaz de determinar se uma foto é de má ou boa qualidade estética, de acordo com critérios utilizados no ramo da fotografia profissional. 

A novidade pode ter várias utilidades, como indicar qual a melhor imagem de uma sequência de fotos tiradas do mesmo objeto, refinar buscas de figuras na internet ou até mesmo indicar a um usuário doméstico quais fotografias divulgar no Facebook, por exemplo.

Aesthetic Image Search
Xerox Aesthetic Image Search
 
Para decidir quais imagens são boas ou não, o algoritmo considera aspectos técnicos, como “tremores” ou falta de foco, mas também tenta identificar características que estão presentes em imagens selecionadas por pessoas, ou seja, faz uso de um esquema de aprendizagem.

De nome Aesthetic Image Search, o referido algoritmo ainda está em fase inicial de desenvolvimento, mas pode ser testado no seguinte link: https://services.open.xerox.com/WebApp2.svc/aesthetic-search/ (basta selecionar uma categoria na coluna da esquerda e clicar em “Search”).

Referência: TechRadar.

Fonte e demais informações:  http://www.infowester.com/noticias/xerox-trabalha-em-algoritmo-para-identificar-fotos-de-boa-qualidade/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+InfowesterNoticias+%28InfoWester+Not%C3%ADcias%29&utm_content=Google+Reader

Conteúdos - A ecomobilidade ganha terreno

Conteúdos - A ecomobilidade ganha terreno

“A ecomobilidade não é apenas caminhar, pedalar ou usar o transporte público. Trata-se de esses sistemas funcionarem juntos: a chave é conectividade”, explicou o colombiano Guillermo Peñalosa, ex-diretor de parques e recreação de Bogotá, aos presentes no congresso EcoMobility Changwon 2011, realizado este mês nesta cidade da costa sudeste da Coreia do Sul.

Conteúdos - Inmetro firma convênio para desenvolver carro...

Conteúdos - Inmetro firma convênio para desenvolver carro...movido a biodiesel

Consuma sem consumir o mundo que vive

Inseto ciborgue terá gerador de energia e mochila

Inseto ciborgue terá gerador de energia e mochila: As equipes de pronto-atendimento poderão ser substituídas por robôs voadores, mais especificamente, por insetos ciborgues.

Teorema abala fundações da mecânica quântica

Teorema abala fundações da mecânica quântica: Um trio de físicos ingleses está defendendo a ideia quase chocante de que a função de onda na verdade é algo real, fisicamente real, e não uma probabilidade estatística.

Cerâmica armazena luz para criar iluminação secreta

Cerâmica armazena luz para criar iluminação secreta: Basta expor o material à luz do Sol por um minuto para que ele emita luz infravermelha continuamente por até 360 horas.

Cientistas querem criar sistema operacional para células

Cientistas querem criar sistema operacional para células: O objetivo é programar células bacterianas no computador, compilar e armazenar o programa em novas células, para que elas possam executar o programa prontamente.

Jipe-robô Curiosidade pronto para partir rumo a Marte

Jipe-robô Curiosidade pronto para partir rumo a Marte: Alimentado por plutônio, do tamanho de um SUV, o robô Curiosidade está pronto para procurar sinais de vida em Marte.

São Paulo terá centro de pesquisas em energia sustentável

São Paulo terá centro de pesquisas em energia sustentável

Interação com empresas estimula produção científica em universidades

Interação com empresas estimula produção científica em universidades: O estudo mostra que a aproximação entre universidade e empresa beneficia também a universidade, com produção de mais conhecimento.

Aplicativo permite avaliar diferentes usos do solo

Aplicativo permite avaliar diferentes usos do solo: Uma das aplicações desse tipo de modelo é a construção de cenários de futuros alternativos para o solo.

Brasil prepara-se para boom da iluminação a LED

Brasil prepara-se para boom da iluminação a LED: O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) de São Paulo está se preparando para participar daquilo que se espera ser uma verdadeira revolução na tecnologia da iluminação: as lâmpadas a LED.

Existem sondas alienígenas no Sistema Solar?

Existem sondas alienígenas no Sistema Solar?: Cientistas afirmam que podem existir sondas extraterrestres nos observando, e só não as encontramos porque não procuramos o suficiente.

Aço superforte surpreende indústria e cientistas

Aço superforte surpreende indústria e cientistas: Um inventor surpreendeu a indústria e a comunidade científica ao apresentar um novo tratamento térmico que cria um aço superforte em poucos segundos.

Nanotubos viabilizam fabricação de microcomponentes mecânicos

Nanotubos viabilizam fabricação de microcomponentes mecânicos: Enquanto a indústria eletrônica tem-se destacado pela miniaturização de componentes, reduzir o tamanho de sistemas mecânicos é muito mais problemático.

Ministério Público pode contestar na Justiça novo texto do Código Florestal | Jornal Correio do Brasil

Ministério Público pode contestar na Justiça novo texto do Código Florestal | Jornal Correio do Brasil

Siemens apresenta soluções para megaeventos esportivos e cidades sustentáveis no Rio de Janeiro e em São Paulo

A Siemens estará presente de 26 a 30 de novembro na segunda edição da Soccerex, realizada no Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro, para apresentar variadas soluções focadas no desenvolvimento e crescimento sustentável dos grandes centros urbanos. Durante a convenção global, direcionada a megaeventos como a Copa do Mundo 2014 no Brasil e as Olimpíadas 2016 no Rio de Janeiro, a companhia, referência mundial em infraestrutura para grandes eventos, apresentará seu portfólio completo de tecnologias integradas capazes de atender as demandas existentes e potenciais por infraestrutura geradas pelo grande fluxo de visitantes, como a distribuição e gerenciamento eficiente de energia, melhoria da mobilidade urbana, sistemas para portos e aeroportos, além da segurança de bens e pessoas. 

Durante a Soccerex, a empresa também terá um espaço aos visitantes que, por meio de iPads, poderão conhecer e explorar de forma dinâmica a cidade virtual Siemens e todas as suas soluções voltadas aos centros urbanos em prol do desenvolvimento sustentável. Este portfólio abrange a infraestrutura aeroportuária, hoteleira e de telecomunicação; tratamento de água, segurança, saúde, transporte ferroviário e rodoviário, a gestão inteligente de estádios e arenas, bem como sua construção, iluminação e controle de fluxo de visitantes. 

Responsáveis, hoje, por 30 bilhões de euros do faturamento global da empresa, as soluções ambientais da Siemens correspondem a mais de um terço do total de 76 bilhões de euros arrecadados em 2010. Já no Brasil, um terço do faturamento está ligado também ao portfólio ambiental, com destaque para mobilidade, energias renováveis e soluções industriais para eficiência energética e de tratamento de água. 

Na Soccerex 2011 será apresentada ainda a experiência da Siemens em grandes eventos esportivos, como a Copa da Alemanha em 2006, e seu trabalho na estruturação da África do Sul para os jogos de 2010, com intervenções na construção de oito dos nove estádios, além de ter fornecido tecnologia para mais de 150 arenas esportivas em todo o mundo. 

Entre os demais destaques da empresa na convenção está a apresentação de animações mostrando soluções da companhia, como o suporte à Olimpíada de Pequim e à Copa do Mundo de 2006, além de tecnologias relacionadas à mobilidade urbana e sinalização de trânsito em Londres e Viena. 

Expo Estádio 2011- Com o mesmo objetivo de apresentar suas tecnologias e soluções para grandes eventos, a Siemens também participa da Expo Estádio 2011, que acontece de 22 a 24 de novembro, no Expo Center Norte, em São Paulo. A empresa estará presente no estande da Osram, empresa parceira do Grupo Siemens no Brasil, em que serão apresentados filmes e animações, além da presença de especialistas da Siemens à disposição dos visitantes para discutir a resolução de questões estruturais do País e das grandes cidades, no intuito de contribuir para o transporte, saneamento, segurança, energia, meio ambiente e infraestrutura para estádios e aumentar o conforto e a segurança de visitantes, torcedores e imprensa, além de melhorar a gestão dos locais que sediarão eventos esportivos. 

.[16ª edição do Global Soccerex Convenção, de 26 a 30 de novembro,no Rio de Janeiro - cidade sede da Copa do Mundo 2014 Final e das Olimpíadas de 2016. 

.[Expo Estádio, de 22 a 24 de novembro 2011, São Paulo (Expo Center Norte)| www.expoestadio.com.br].

 Fonte e demais informações: http://www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=181764

Cientistas criam lentes de contato que podem substituir telas de computador




Washington, 22 nov (EFE).- A visão dos super-heróis dos filmes de ficção científica é uma realidade mais próxima depois que uma equipe de cientistas conseguiu criar lentes de contato nas quais é possível projetar imagens por uma espécie de tela, segundo uma pesquisa publicada nesta terça-feira.

Por enquanto, o dispositivo só possui um pixel, mas seus criadores o veem como um passo para a produção de lentes com vários pixels que permitam ver informação - como mensagens de e-mail - em tempo real sem ter uma tela diante da pessoa.

A lente, criada por pesquisadores da Universidade de Washington (Estados Unidos) e da Universidade Aalto (Finlândia), está composta por uma antena que fornece a energia enviada por uma fonte externa e um circuito integrado para armazená-la e transferi-la a um chip transparente de safira que contém um LED (diodo emissor de luz) azul.

Os cientistas afirmaram em artigo na revista "Journal of Micromechanics and Microengineering" que a lente, que foi testada nos olhos de um coelho vivo, não causou dano algum no globo ocular nem na córnea do animal e também não foram observados sinais de efeitos colaterais adversos.

No entanto, após demonstrar o funcionamento das lentes e comprovar que são um dispositivo seguro, os pesquisadores ressaltaram que ainda são necessárias melhorias para conseguir reproduzir textos e imagens como nas telas de alta resolução.

Um dos problemas que tiveram que superar foi conseguir com que o olho visse a informação com nitidez, já que a distância focal é de apenas alguns centímetros e temiam que as projeções se tornassem confusas.

Para contornar este empecilho, os cientistas incorporaram um conjunto de lentes de Fresnel no dispositivo (muito mais finas e planas que as lentes convencionais) para focar a imagem projetada na retina.

O professor da Universidade de Washington, Babak Praviz, co-autor do estudo, reconheceu que é preciso melhorar o projeto, mas a equipe já trabalha em seu próximo desafio: "a incorporação de um texto pré-determinado na lente de contato". EFE

Fonte e demais informações:  http://br.noticias.yahoo.com/cientistas-criam-lentes-contato-podem-substituir-telas-computador-234406196.html

Engenheiros civis terão eventos internacionais - Paranashop

Engenheiros civis terão eventos internacionais - Paranashop

terça-feira, 22 de novembro de 2011

A passagem da alquimia à química: uma história lenta e sem rufar de tambores

 Por Ana Maria Alfonso-Goldfarb e Márcia H. M. Ferraz
09/07/2011

Há muitas histórias anunciando a estreita passagem da alquimia para a química, entre meados dos anos 1600 e finais dos 1700. As marcas dessa estreita passagem são, em geral, colocadas entre o Químico céptico de R. Boyle, que teria dado inicio à química moderna em 1661, e o “gran finale” de A. Lavoisier em seu Tratado elementar de química, em 1789.

Mas, nesse pouco mais de um século, como distinguir o alquimista do químico, igualmente envolvidos pela quietude cheia de fumos do laboratório; ao pé da fornalha por dias, meses e anos? Talvez porque os dois tenham sido um só e o mesmo, existe uma história, bem menos conhecida e com duração bem mais longa, que parece contar de forma mais suave e coerente como se deu essa passagem.

Longe de algo sensacional como a descoberta do oxigênio ou o elixir da longa vida, o ponto alto dessa história hoje pode parecer insignificante: a padronização dos modos de pensar e operar no laboratório, traduzida modernamente por “materiais e métodos”. Vale lembrar que a alquimia lidava com teorias e receituários considerados sigilosos, pois continham segredos de ofício e até de Estado. Assim, raramente havia circulação de ideias e, portanto, cada estudioso ou grupo de estudiosos mantinha diferentes formas de pensar e operar sobre a matéria.

Uma instância das mais interessantes, nesse caso, se dá na correspondência, em meados do século XVII, entre dois personagens nada famosos para a história da química. Um deles era o doutor Francesco Travagino, bastante conhecido em toda República Veneziana por suas curas incomuns e, em geral, por suas práticas médicas. O outro era Henry Oldenburg, o bem conhecido secretário da Royal Society de Londres, desde sua fundação, por ter-se correspondido com meia Europa. Aparentemente, o início da conversa entre os dois nada teria a ver com nosso tema, pois trata dos estudos para a elaboração de injeções intravenosas, uma novidade na medicina da época. Entretanto, os líquidos injetados eram refinados e almejadíssimos produtos da iatroquímica e, por consequência, derivados de um árduo e já antigo trabalho no laboratório alquímico. Em outras palavras, dá-se aí o encontro entre o que havia de mais moderno em fisiologia e o que havia de mais tradicional nos conhecimentos do laboratório alquímico.

Muito mais que isso, porém, o início dessa conversa já traz sinais de que seu desenvolvimento é plenamente de nosso interesse. Escrita em 1666, a primeira carta de Travagino chega a Oldenburg como desdobramento de seu contato com sir Kenelm Digby, este sim, reconhecido por seu trabalho de laboratório e alquimista de quatro costados. E, aliás, o próprio Travagino fora citado pela Inquisição Veneziana por pertencer a um círculo de alquimistas, cujas práticas eram proibidas nessas terras.

Anos mais tarde, esses sinais acabam ganhando corpo na forma de uma nova série de correspondências entre os dois. O ponto de partida foi a eterna busca por informações sigilosas que acontecia nessa época, envolvendo James Crawford, uma espécie de representante, ou melhor ainda, de agente da Royal Society para o norte da península italiana. Numa carta reservada, em que mal consegue conter a ansiedade, Crawford informa a Oldenburg que o médico veneziano teria conseguido obter prata pura através da transmutação do mercúrio com vários tipos de plantas, sem usar outro metal. Isso teria sido possível apenas duas vezes e não por meio de algum método conhecido.

Apesar de toda insistência, entretanto, Crawford não conseguira obter de Travagino a singular receita e, por isso mesmo, aconselha Oldenburg a usar de sua conhecida habilidade em extrair segredos. Oldenburg escreve, em abril de1675, uma longa carta a seu amigo veneziano informando-lhe sobre os trabalhos mais recentes publicados pela Sociedade. Entre tantos assuntos, pede que lhe envie “o método de trabalhar nesse caso (o da transmutação) e alguma parte do que restou do mercúrio assim convertido”.

Travagino responde cerca de dois meses mais tarde – um prazo bastante curto em termos da correspondência do período – feliz pelas notícias recebidas, e mais, não se faz de rogado, oferecendo ao velho amigo “o método pelo qual mercúrio comum foi duas vezes por mim transformado em prata pura”.

O processo do doutor Travagino para a “fixação” do mercúrio em prata compunha-se de duas etapas. A primeira consistia, resumidamente, em aquecer mercúrio extremamente purificado com uma infusão de plantas, além de outros minerais, para obter o que chama de “mercúrio congelado”. A segunda, ou fase final da transmutação, além do próprio “mercúrio congelado”, novamente envolvia plantas de diferentes tipos e um certo “pó de fixação” – ou seja, o principal agente da transmutação – também feito com plantas. O resultado final seria a incrível quantidade de duas partes de prata para cada três do “mercúrio congelado”.

Segundo consta nos anais da Royal Society, essa receita foi lida por Oldenburg e bem recebida por vários membros da sociedade. Sabe-se, inclusive, que Boyle testou a amostra enviada por Travagino, concluindo que apresentava qualidades semelhantes às da prata, embora com densidade diferente, sugerindo sua análise pela casa da moeda.

No entanto, a parte singular desta história não é a receita em si. Por mais estranho que possa parecer aos olhos modernos, os arquivos iniciais dessa sociedade guardaram outras, também centradas no processo de transmutação, mas sem isso ser registrado em qualquer encontro. Qual seria, então, o motivo de tanto entusiasmo?

Naturalmente, um dos motivos foi o uso quase exclusivo de plantas a diferenciar a receita de Travagino de tantas outras. Além disso, havia ao menos uma prova material – corporificada na amostra enviada – de seus resultados eficientes. Porém, mais importante, tratava-se de uma das raras receitas desse processo oferecida de bom grado pelo próprio autor e acompanhada por suas explicações diretas. E, como já mencionado, isso era algo quase improvável de acontecer na época.

Como é natural também, isso só ocorreu porque Travagino estava em "palpos de aranha". Perdera com quem discutir esses temas em sua terra natal ao ver desaparecer seu círculo de confrades. Desse modo, a oportunidade aberta por Oldenburg junto aos estudiosos da Royal Society pareceu-lhe uma benção. Assim, na primeira ocasião que teve, manifestou sua preocupação por não conseguir repetir sempre que quisesse sua receita para transformar mercúrio em prata.

Visivelmente comovido pelo tom confidencial e sincero de seu correspondente, Oldenburg apresenta justificativas que expressam com perfeição os anseios da época por encontrar um rumo moderno para a ciência do laboratório. Antes de tudo, Oldenburg lembra que uma das sérias dificuldades enfrentadas em qualquer procedimento era ter como um dos raros parâmetros a origem do material, uma vez que essa origem era vaga e havia ainda o risco de muitas alterações até chegar ao laboratório. Então, como garantir que o material fosse o que supostamente se imaginava ser? Como saber se era puro? E se impuro, como seria sem essas impurezas? Já no que tange ao experimento, as impurezas poderiam responder pelas variações e imprecisões dos resultados? Por outro lado, seriam essas impurezas uma desculpa ou uma explicação para as falhas ou a não repetição dos experimentos? Por fim, como comparar os resultados assim obtidos aos de outros estudiosos, cujos procedimentos e materiais não se davam a conhecer?

De todo modo, alguém famoso como Boyle parece não ter pensado muito diferente de Oldenburg ou Travagino. Que graça teria, porém, lembrar daquele que muitos consideram como uma das grandes figuras da química moderna, às voltas com impurezas de materiais ou trocando pequenos segredos sobre procedimentos com outros estudiosos? Outro tanto do mesmo pode ser dito sobre Lavoisier. Sem dúvida, o que este e seu grupo fizeram representa um importante passo para chegar aos padrões modernos, em que um material, com composição claramente definida, apresenta apenas um nome universalmente aceito.

Mas, ainda no século XIX, novamente às voltas com a composição do material e suas impurezas, um jovem estudante de química parece ter feito as mesmas questões que um dia Oldenburg propôs a Travagino. Esse estudante era W. H. Perkins que, em 1856, ao tentar sintetizar a quinina (um composto branco usado como medicamento), chega a um corante púrpura, depois chamado de malveína. A explicação para os resultados imprevistos – ainda que bem vindos – dependia, justamente, da presença de estranhas substâncias no material de partida. Tivesse utilizado materiais de alta pureza, como era prescrito no período, Perkins talvez não chegasse a esse maravilhoso produto que, por sinal, serviria para estabelecer parâmetros, em termos de corantes, na química orgânica.

Enfim, esses e outros exemplos compõem a história raramente contada, porque intrincada e silenciosa, que ao longo de mais de dois séculos ajudou a transformar o velho laboratório do alquimista naquele do químico, com seus parâmetros e padrões modernos.

Ana Maria Alfonso-Goldfarb e Márcia H. M. Ferraz são professoras do programa de Estudos Pós-Graduados em História da Ciência na PUC-SP.

CNPq lança chamada em parceria com Conselho de Pesquisa do Reino Unido

Brasília, 21 a 23 de novembro de 2011 - Nº 1093 - Ano 11

 A parceria entre o CNPq e o Reino Unido resultou na divulgação de um edital voltado para pesquisas nas áreas de segurança alimentar, bioenergia e biotecnologia industrial, incluindo desde pesquisas básicas a aplicações. Os interessados têm até o dia 27 de dezembro para enviarem propostas.
     Podem participar pesquisadores com título de doutor que devem ser, obrigatoriamente, os coordenadores brasileiros do projeto. Pesquisadores aposentados também poderão apresentar propostas. Eles também deverão apresentar uma declaração da instituição executora do projeto que comprove vínculo com atividades acadêmico-científicas.
     O valor total estimado da chamada é de R$ 1 milhão. Cada proposta receberá no máximo R$ 270 mil. Confira a chamada neste link.

Fonte e demais informações:  http://www.gestaoct.org.br/

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Globo Horizonte mostra ideias que viram ferramentas para ajudar as pessoas



Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/minas-gerais/v/globo-horizonte-mostra-ideias-que-viram-ferramentas-para-ajudar-as-pessoas/1702088/#/todos%20os%20v%C3%ADdeos/page/3

Invenções do professor Marcos Pinotti são usadas por muitas pessoas no dia a dia



Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/minas-gerais/v/invencoes-do-professor-marcos-pinotti-sao-usadas-por-muitas-pessoas-no-dia-a-dia/1702185/#/todos%20os%20v%C3%ADdeos/page/3

Programa mostra invenções que demoram anos de pesquisa para serem feitas



Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/minas-gerais/v/programa-mostra-invencoes-que-demoram-anos-de-pesquisa-para-serem-feitas/1702090/#/todos%20os%20v%C3%ADdeos/page/3

Jovens usam a tecnologia para virarem microempresários



Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/jornal-hoje/t/edicoes/v/jovens-usam-a-tecnologia-para-virarem-microempresarios/1700981/

Gerente da Petrobras fala sobre oportunidades de trabalho na área de engenharia naval



Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/jornal-hoje/t/edicoes/v/gerente-da-petrobras-fala-sobre-oportunidades-de-trabalho-na-area-de-engenharia-naval/1703549/

Setor naval vai abrir mais de 400 mil vagas de emprego nos próximos anos



Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/jornal-hoje/t/edicoes/v/setor-naval-vai-abrir-mais-de-400-mil-vagas-de-emprego-nos-proximos-anos/1703571/

Cientistas desenvolvem material que pode revolucionar indústria nos EUA



Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/jornal-nacional/t/edicoes/v/cientistas-desenvolvem-material-que-pode-revolucionar-industria-nos-eua/1701568/

Polo aeronáutico terá decisão ainda em 2011

 
O Governo de Minas, enfim, caminha para um fato concreto no projeto de criação de um Polo Aeronáutico no estado. No estágio atual, o projeto é defendido junto ao Governo federal em um "pacote", com três áreas distintas: indústria de aviões para asas fixas (helicópteros); indústria de aviões de asas fixas; e centro de formação e construtores aeronáuticos.

A expectativa para manifestação positiva da União é esperada para estes 40 dias que restam de 2011.
O otimismo da administração de Minas foi manifestada, sexta-feira, pelo presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de Minas Gerais (Fapemig), Mario Neto Borges, durante conferência ("A importância do empreendedorismo e a relação universidade x empresa") no encerramento da 4ª Semana Global do Empreendedorismo, na Escola de Engenharia da UFMG.

Mario Neto foi incisivo ao apresentar "Minas como um (futuro) grande polo aeronáutico". Disse que opção de fazer o polo mineiro em três regiões diferentes seria para aproveitar sinergias locais e criar no interior ambiente para surgimento de empresas de base tecnológica.

"O anúncio do Governador (para as negociações com a União) será para 2011, ainda. Espero", sinalizou Mario Neto.

Suporte nas universidades locais

À coluna, o presidente da Fapemig detalhou que o polo para aeronaves de asas móveis em Itajubá, no Sul de Minas, leva em consideração a localização da montadora de Helicópteros do Brasil (Helibras) e o Parque Tecnológico da Universidade Federal de Itajubá (Unifei). "Estive na Eurocopter (acionista majoritária e detentora da tecnologia da Helibras), na França, há duas semanas. Eles (os executivos franceses) estão firmes (para investimentos e transferência de mais tecnologia)", garantiu.

Em Tupaciguara, no Triângulo Mineiro, será instalado o polo de aviões com asas fixas. Na cidade, o programa prevê a construção de aeronaves pequenas com capacidade para até oito passageiros. Mario Neto diz que a localização se valerá da existência do ensino de Engenharia Aeronáutica na Universidade Federal de Uberlândia.

O terceiro polo regional será em Lagoa Santa, para a formação de profissionais e o desenvolvimento também de componentes aeronáuticos. Neste núcleo, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) será o suporte na formação de profissionais. A âncora para o surgimento de fornecedores de componentes é o projeto do Aeroporto Indústria para Confins.

Tanto na conferência quanto na entrevista, o presidente da Fapemig utilizou a mesma frase para enfatizar que Minas Gerais não pode deixar escapar a oportunidade de criar o 2º polo aeronáutico do país, depois de São Paulo, pois está com as negociações bem avançadas. "Esse cavalo arreado não vamos perder, não"

Fonte e demais informações:  http://www.hojeemdia.com.br/colunas-artigos-e-blogs/diarios/negocios-s-a-1.11090/polo-aeronautico-tera-decis-o-ainda-em-2011-1.371495

Especial - Unifei desenvolve tratamento mais eficiente para o câncer


MORTE 
CANCER.jpg
Morte da célula cancerígena
Ouça no link
Especial UNIFEI – Há 98 anos desenvolvendo ciência e tecnologia de alto impacto.

O câncer representa um conjunto de mais de 100 doenças, incluindo tumores malignos de diferentes localizações. Esta é a definição do INCA, Instituto Nacional do Câncer, órgão vinculado ao Ministério da Saúde.

O INCA estima que o câncer de pele do tipo não melanoma será o mais incidente na população brasileira com 114 mil novos casos por ano. Em seguida vêm os tumores de próstata e mama com 50 mil novos casos anuais. Cólon e reto, pulmão, estômago e colo do útero vêm em seguida com cerca de 20 mil novos casos previstos anualmente.

A incidência da doença e os tratamentos agressivos mobilizam os pesquisadores de todo o mundo em busca de soluções menos invasivas e com menor efeito colateral.

Pesquisadores da UNIFEI, Universidade Federal de Itajubá, desenvolvem nanotubos, materiais biocompatíveis e sistemas poliméricos para liberação controlada de fármacos.

Ou seja, estruturas nanométricas capazes de transportar medicamento dentro do corpo humano e atingir apenas as células cancerígenas.

Ouça esta reportagem comemorativa dos 98 anos da UNIFEI, e descubra como a pesquisa e ciência desenvolvidas na universidade, são capazes de gerar tecnologias de alto impacto para a sociedade.

Expediente:
Produção – Jornalista Nicole Gomes
Locução – Monitores Rafael Pinho, Guilherme Oraboni. Voluntário Willian Cardoso. Jornalista Nicole Gomes.
Entrevistados – Dra. Marisa Grassi e Dra. María Elena Leyva González.