Pesquisar

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Veja quais erros podem levar a desclassificação no processo seletivo



Fonte e demais informações:http://g1.globo.com/videos/jornal-da-globo/t/especiais/v/veja-quais-erros-podem-levar-a-desclassificacao-no-processo-seletivo/1677345/

Projeto no Rio de Janeiro incentiva trocar carro por bicicleta



Fonte e demais informações:  http://g1.globo.com/videos/jornal-da-globo/t/edicoes/v/projeto-no-rio-de-janeiro-incentiva-trocar-carro-por-bicicleta/1678589/

Saiba o que trainees e estagiários devem evitar na sua carreira profissional



Fonte e demais informações:http://g1.globo.com/videos/jornal-da-globo/t/edicoes/v/saiba-o-que-trainees-e-estagiarios-devem-evitar-na-sua-carreira-profissional/1678543/

Ambientalistas e moradores do sul da Bahia discutem construção de novo porto



Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/jornal-nacional/t/edicoes/v/ambientalistas-e-moradores-do-sul-da-bahia-discutem-construcao-de-novo-porto/1679224/

Material similar ao grafeno pode ser magnético e supercondutor

Material similar ao grafeno pode ser magnético e supercondutor

China apresenta supercomputador com processador próprio

China apresenta supercomputador com processador próprio: O supercomputador é composto por 8.700 processadores ShenWei SW1600, sobre os quais não há praticamente nenhuma informação disponível.

Usina híbrida de energia limpa é inaugurada na Alemanha

Usina híbrida de energia limpa é inaugurada na Alemanha: A estação reúne todas as principais formas de energia alternativa atualmente sendo pesquisadas no mundo todo.

Robô de espuma constrói seu próprio corpo

Robô de espuma constrói seu próprio corpo: Como qualquer transmorfo, o robô de espuma pode assumir o formato desejado, fabricando seu próprio corpo de acordo com a tarefa que deve cumprir.
Kits Fejesp PDF Imprimir E-mail

ATENÇÃO: A Fejesp restringe a distribuição dos Kits para pessoas do Estado de São Paulo. Isso garante que seja prestada uma ajuda personalizada, de acordo com os preceitos e cenário de cada Estado. Se você é de outro estado, sugerimos que procure a sua Federação específica. Caso seu estado não possua federação, você pode entrar em contato com a Brasil Junior.

Kit Fejesp - Filiação

Para ter acesso a todo o passo-a-passo do processo de filiação à FEJESP, para solicitar o Kit Fejesp - Filiação, clique aqui. Para visualizar o estatuto da Fejesp, clique aqui.
Descrição: O Kit Fejesp - Filiação contém informações não só sobre os procedimentos para a filiação à Fejesp, mas também deixa claro os benefícios e direitos, deveres de uma EJ federada, além de apresentar a Fejesp e Brasil Júnior.


Kit Fejesp - Fundação

Se você tem dúvidas ou quer uma orientação sobre o processo de fundação de uma Empresa Júnior, pode solicitar o envio do Kit Fejesp - Fundação, clique aqui.
Descrição: O Kit Fejesp - Fundação contém informações não só sobre os procedimentos jurídico-financeiros para fundação de uma EJ, mas todo o passo-a-passo, desde a formação de um grupo de alunos interessados, até o início dos trabalhos da EJ, incluindo média de tempo e de dinheiro gasto com o processo todo. Há também exemplos de organogramas e portfolios em diversas áreas de atuação e modelos de Estatuto, atas de fundação e eleição, e outros.


Kit Fejesp - Docentes

Se você é docente de alguma instituição de ensino ou um empresário júnior que está com problemas de reconhecimento de sua Empresa Júnior dentro de sua universidade, poderá adquirir o Kit Fejesp - Docentes clicando aqui.
Descrição: Esse manual apresenta o Movimento Empresa Júnior, a FEJESP e dará instruções de como fomentar a criação de EJs nas faculdades. O Kit Fejesp - Docentes conta também com depoimentos de diretores e reitores de grandes faculdades do Estado de São Paulo que têm Empresas Juniores, comentando a importância destas na formação dos seus alunos.

Professor resolve exercício sobre potência eletrodinâmica


O professor de físca Tulio Mota, do Curso e Colégio pH, resolve um exercício sobre potência eletrodinâmica.
Na questão, ele ensina a calcular a resistência de um aparelho e alerta para a importância de separar apenas os números pedidos no exercício para resolvê-lo sem dúvidas.
Confira aula completa em vídeo.

MECMINAS

A indústria mecânica brasileira, acompanhando a tendência mundial, se aparelha e se moderniza rapidamente. Em virtude disso, vem ocupando lugar de destaque e competindo no mercado internacional em condições de igualdade com as nações mais desenvolvidas.

Na esteira desse desenvolvimento, Minas Gerais apresenta uma indústria mecânica arrojada, eficiente e lucrativa, sendo um dos estados brasileiros que mais se destaca nesse setor da nossa economia.

A Mecminas 2011 - Feira da Indústria Mecânica de Minas Gerais, agora em sua nona edição, é considerada uma das maiores feiras do setor metal-mecânico do Brasil e desde 2003 vem contribuindo de maneira decisiva para o incremento de negócios em nível nacional.

A Mecminas 2011 será realizada de 8 a 11 de novembro, em Belo Horizonte, no Expominas, um dos maiores e mais modernos pavilhões de feiras do Brasil. Centenas de expositores, de vários estados do país e do exterior irão apresentar equipamentos, produtos, serviços, inovações e tecnologias nacionais e internacionais para a indústria mecânica.

Fonte e demais informações: http://www.mecminas2011.com.br/

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Conferência na USP debate déficit de engenheiros | Notícias | CIMM

Conferência na USP debate déficit de engenheiros | Notícias | CIMM

Braços robóticos autônomos ficam mais espertos

 Redação do Site Inovação Tecnológica - 26/10/2011


Programando um braço robótico

Peça a alguém que estiver com as mãos sobre o colo para pegar um copo sobre a mesa; a pessoa vai tirar as mãos de debaixo da mesa e estender o braço para pegar o copo.

Instrua um robô autônomo para fazer o mesmo e prepare-se para dar boas risadas com seus ziguezagues debaixo da mesa, planejando a melhor trajetória para chegar até o copo.

O problema é que planejar uma trajetória ao redor de obstáculos é uma tarefa altamente intensiva em processamento.

Por isso, os algoritmos tentam achar a via direta mais próxima até o objeto, simplesmente tentando evitar colisões - e isso demora um pouco.

A alternativa é programar diretamente os movimentos, inserindo as coordenadas no programa. Mas isto é inadequado para robôs autônomos e inaceitável para um robô que precise atuar em resposta a mudanças no ambiente.

Movimentos previsíveis

Agora, cientistas do MIT, nos Estados Unidos, criaram dois novos algoritmos capazes de, juntos, calcularem trajetórias ao longo de um espaço livre com altíssima eficiência.

Além de alcançarem o objetivo mais rapidamente, os braços robóticos não ficam mais ziguezagueando e fazendo movimentos imprevistos, o que levanta questões de segurança quando se planeja o uso desses robôs ao lado de seres humanos.

Nas simulações de um robô tentando pegar um objeto, o algoritmo padrão demora quatro vezes mais para calcular a melhor rota através do espaço, e percorre uma distância três vezes maior para atingir o objetivo.
Essa maior velocidade está bem demonstrada no filme, quando os dois novos algoritmos - chamados RRT e Ball Tree - são utilizados, tanto para dois braços quanto para apenas um.

Fonte e demais informações:  http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=bracos-roboticos-autonomos&id=010180111026

Quebrado o código do misterioso Copiale Cipher

Redação do Site Inovação Tecnológica - 27/10/2011
Cientistas quebram código do misterioso <i>Copiale 
Cipher</i>
Páginas do belo exemplar do "Copiale Cipher", que contém os rituais de uma sociedade secreta alemã do século XVIII.[Imagem: USC/Uppsala University] 

Copiale Cipher
O Copiale Cipher é um manuscrito que parece saído de algum romance de reinos mágicos.
Com 105 páginas verdes e douradas escritas à mão, e com acabamento primoroso, ele contém 75.000 caracteres, entre letras romanas, gregas e símbolos desconhecidos.

Ele era até agora um dos maiores desafios para o mundo da criptografia, uma vez que ninguém sabia sua origem, ou sobre o que ele versava.

Encontrado em uma biblioteca da antiga Alemanha Oriental, depois da queda do muro de Berlim, a datação indica que ele foi escrito entre 1760 e 1780.

Sociedade secreta

Seu conteúdo acaba de ser revelado agora, graças ao trabalho de Kevin Knight (Universidade da Califórnia), Beáta Megyesi e Christiane Schaefer (Universidade de Uppsala-Suécia).

O Copiale Cipher revela os rituais e crenças políticas de uma sociedade secreta alemã.
Os rituais indicam que a sociedade tinha uma fascinação por oftalmologia e cirurgias nos olhos, embora não haja indicações de que seus membros sequer fossem médicos.

"Os historiadores acreditam que as sociedades secretas venham desempenhando papéis nas revoluções, mas tudo isso ainda está por ser trabalhado, e uma grande parte disso se deve a que muitos documentos estão criptografados," comentou Knight.

Intuição humana

Para quebrar o código do Cipher Copiale, os pesquisadores criaram uma versão digital do texto, e o submeteram a um programa de computador criado para ajudar a quantificar a ocorrência de certos símbolos e outros padrões, e que já havia sido utilizado para desvendar uma língua extinta:
"Quando você recebe um código novo e olha para ele, as possibilidades são quase infinitas," conta Knight. "Assim que você levanta uma hipótese, com base na sua intuição como ser humano, então você pode dar um monte de trabalho duro para o computador."

Uma das dificuldades é que a equipe começou sua tarefa sem nem mesmo saber o idioma original do documento criptografado - não é porque ele foi encontrado na Alemanha que a mensagem original estaria necessariamente escrita em alemão, embora esta fosse uma boa hipótese.

Todas as tentativas em torno dos caracteres romanos e gregos distribuídos por todo o manuscrito resultaram em completo fracasso.

80 idiomas

Depois de tentar 80 idiomas, a equipe percebeu que os caracteres romanos eram na verdade "nulos", destinados a confundir alguém que estivesse tentando quebrar o código.

A verdadeira mensagem estava nos símbolos abstratos, cujas formas semelhantes representam um caracter ou grupos de letras.

Deixando de lado os caracteres romanos, eles então obtiveram os primeiros resultados em alemão mesmo: "Cerimônias de Iniciação", seguidos de "Seção Secreta".

Quebrado o código, o computador fez o trabalho duro e revelou todo o texto.
Veja mais detalhes sobre o Copiale Cipher e o processo de quebra do código no endereço http://stp.lingfil.uu.se/~bea/copiale/.

Fonte e demais informações:  http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=codigo-misterioso-copiale-cipher&id=010150111027

Seleções de estágio e trainee mobilizam milhares de estudantes



Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/jornal-da-globo/t/edicoes/v/selecoes-de-estagio-e-trainee-mobilizam-milhares-de-estudantes/1674855/

Dinâmica de grupo assusta candidatos que buscam vagas como trainee ou estagiário



Fonte e demais informações: http://g1.globo.com/videos/jornal-da-globo/t/edicoes/v/dinamica-de-grupo-assusta-candidatos-que-buscam-vagas-como-trainee-ou-estagiario/1675995/

Sistema promete acabar com falta de autonomia de carros elétrico



Fonte e demais informações:  http://g1.globo.com/videos/jornal-nacional/t/edicoes/v/sistema-promete-acabar-com-falta-de-autonomia-de-carros-eletrico/1674686/

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Itajubá sediará Torneio Estadual de Robótica no próximo fim de semana

Com Lego Educacional, jovens criaram os próprios robôs e se classificaram para o Torneio Estadual de Robótica que acontecerá em Itajubá

Muita disciplina, dedicação, trabalho em equipe e aprendizado levaram as seis equipes que participaram da etapa classificatória de Belo Horizonte ao Torneio Estadual de Robótica (First Lego League), em Itajubá (29). A classificação aconteceu no último sábado, 22 e contou com o apoio do colégio Loyola, que cedeu o espaço. A iniciativa é da empresa Inspirar Soluções Educacionais em parceria com o Instituto Aprender Fazendo.

Alto nível de complexidade e alto nível de execução. Com desempenho surpreendente, as seis equipes que participaram arrancaram palmas e elogios da plateia, além da tão sonhada vaga no torneio estadual, que acontece nos próximos dias 29 e 30, em Itajubá. Para o professor universitário e diretor da Inspirar, Cláudio Scianni, o evento foi um sucesso. ´Alcançamos o objetivo: envolver as crianças no universo da robótica e fazer com que elas desenvolvessem uma aptidão que, no futuro, poderá abrir portas. Por ser a primeira vez que Belo Horizonte recebe esta etapa classificatória, eles nos surpreenderam muito´.

Passando por quatro critérios de avaliação – Trabalho em Equipe, Projeto Robô, Projeto de Pesquisa e Missão – as equipes acumulavam pontos para o grande vencedor final. No entanto, cada critério também premiou a equipe que melhor desempenhou a tarefa.

A equipe vencedora

A Cyber Doctors, equipe composta por crianças de 11 e 13 anos, foi a grande campeã do dia. ´Nós trabalhamos muito em equipe e aprendemos a conviver uns com os outros. Cada um tinha uma tarefa definida. Assim, conseguimos ganhar a competição´, afirma entusiasmado o líder da equipe Vinícius Ortiz, de apenas 11 anos.

Cláudio mostra sua satisfação com a vitória dos garotos. No entanto, enfatiza que o mais importante não é o resultado final. ´Todas as crianças saem daqui vitoriosas. Todos aprendem e todos ganham com as possibilidades que a competição proporciona aos jovens´, conclui.

O próximo passo

Por causa do excelente desempenho das equipes, todas conseguiram uma vaga no Torneio Estadual de Robótica, que acontecerá nos dias 29 e 30 de outubro, próximos sábado e domingo, em Itajubá (MG). O evento contará com a participação de 40 equipes, que serão representantes de todas as regiões do estado de Minas Gerais. As três equipes mineiras que forem selecionadas para participarem do torneio nacional (2012) serão premiadas pela Fapemig com bolsas de Iniciação Científica Júnior.

Serviço
Inspirar Soluções Educacionais
Evento: Torneio Mineiro de Robótica
Data/Hora: 29 e 30 de outubro
Local: Ginásio Poliesportivo da Unifei – Avenida BPS, 1303 – Itajubá - MG
Informações: (31) 2514 1867 (31) 9740 2562
Valor: gratuito – Aberta ao público

Fonte e demais informações:  http://www.tvuai.com.br/tvuai/1608

CURSO DE GESTÃO DE RECURSOS ENERGÉTICOS

A segunda edição do curso de gestão de recursos energéticos European Energy Manager (EUREM) começará em 8 de novembro, na cidade de São Paulo. O curso é promovido pela Câmara Brasil-Alemanha de São Paulo (AHK).

O EUREM habilita gestores de projetos de eficiência energética em indústrias e oferece um certificado. Já formou mais de 1,7 mil pessoas na Europa. A carga horária é de 350 horas, num período de 24 semanas.

Ao final do mês de outubro, 18 gestores EUREM se formarão na primeira turma do Brasil. Para a segunda edição, ainda restam vagas. Os interessados podem encontrar mais informações em www.ahkbrasil.com/eurem.

26 de outubro de 2011

Fonte e demais informações:  http://www.inthemine.com.br/mineblog/?p=699

CNPq anuncia diretrizes éticas para pesquisa científica.


Com informações do CNPq - 26/10/2011
Ética na ciência
O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) divulgou um conjunto de diretrizes para promover a ética na publicação de pesquisas científicas e estabelecer parâmetros para investigar eventuais condutas reprováveis.

A iniciativa foi tomada após denúncia de fraude em publicações científicas envolvendo pesquisadores apoiados pela instituição.

De acordo com o presidente do CNPq, Glaucius Oliva, "diante da inexistência de normas internas específicas e instrumentos estabelecidos para o tratamento adequado de ocorrências desta natureza, a Diretoria Executiva decidiu criar uma Comissão Especial, com a missão de propor recomendações e diretrizes sobre o tema da Ética e Integridade na Prática Científica".
O CNPq constituirá agora uma comissão permanente para difundir informações sobre pesquisa ética, principalmente sobre o ponto de vista da publicação científica.

O mesmo grupo se encarregará de analisar as denúncias que chegarem à instituição.
As regras propostas preveem que as denúncias de infrações serão submetidas a um juízo prévio da comissão permanente. Se julgadas verossímeis, o CNPq criará uma comissão extraordinária de especialistas para análise do caso.

De falsificação a repetição

O texto descreve quatro condutas ilícitas: a falsificação, a fabricação de resultados, o plágio e o autoplágio, este definido como a republicação de resultados científicos já divulgados como se fossem novos, sem informar a publicação prévia.

As regras também condenam a inclusão como autores de pessoas que só tenham emprestado equipamentos ou verba, sem participação intelectual no artigo científico.

As punições para os delitos mais graves incluem a suspensão de financiamento por meio de bolsas e, eventualmente, a devolução do recurso investido pelo CNPq no trabalho.

Diretrizes para uma pesquisa ética
  1. O autor deve sempre dar crédito a todas as fontes que fundamentam diretamente seu trabalho.
  2. Toda citação in verbis de outro autor deve ser colocada entre aspas.
  3. Quando se resume um texto alheio, o autor deve procurar reproduzir o significado exato das ideias ou fatos apresentados pelo autor original, que deve ser citado.
  4. Quando em dúvida se um conceito ou fato é de conhecimento comum, não se deve deixar de fazer as citações adequadas.
  5. Quando se submete um manuscrito para publicação contendo informações, conclusões ou dados que já foram disseminados de forma significativa (p.ex. apresentado em conferência, divulgado na internet), o autor deve indicar claramente aos editores e leitores a existência da divulgação prévia da informação.
  6. se os resultados de um estudo único complexo podem ser apresentados como um todo coesivo, não é considerado ético que eles sejam fragmentados em manuscritos individuais.
  7. Para evitar qualquer caracterização de autoplágio, o uso de textos e trabalhos anteriores do próprio autor deve ser assinalado, com as devidas referências e citações.
  8. O autor deve assegurar-se da correção de cada citação e que cada citação na bibliografia corresponda a uma citação no texto do manuscrito. O autor deve dar crédito também aos autores que primeiro relataram a observação ou ideia que está sendo apresentada.
  9. Quando estiver descrevendo o trabalho de outros, o autor não deve confiar em resumo secundário desse trabalho, o que pode levar a uma descrição falha do trabalho citado. Sempre que possível consultar a literatura original.
  10. Se um autor tiver necessidade de citar uma fonte secundária (p.ex. uma revisão) para descrever o conteúdo de uma fonte primária (p. ex. um artigo empírico de um periódico), ele deve certificar-se da sua correção e sempre indicar a fonte original da informação que está sendo relatada.
  11. A inclusão intencional de referências de relevância questionável com a finalidade de manipular fatores de impacto ou aumentar a probabilidade de aceitação do manuscrito é prática eticamente inaceitável.
  12. Quando for necessário utilizar informações de outra fonte, o autor deve escrever de tal modo que fique claro aos leitores quais ideias são suas e quais são oriundas das fontes consultadas.
  13. O autor tem a responsabilidade ética de relatar evidências que contrariem seu ponto de vista, sempre que existirem. Ademais, as evidências usadas em apoio a suas posições devem ser metodologicamente sólidas. Quando for necessário recorrer a estudos que apresentem deficiências metodológicas, estatísticas ou outras, tais defeitos devem ser claramente apontados aos leitores.
  14. O autor tem a obrigação ética de relatar todos os aspectos do estudo que possam ser importantes para a reprodutibilidade independente de sua pesquisa.
  15. Qualquer alteração dos resultados iniciais obtidos, como a eliminação de discrepâncias ou o uso de métodos estatísticos alternativos, deve ser claramente descrita junto com uma justificativa racional para o emprego de tais procedimentos.
  16. A inclusão de autores no manuscrito deve ser discutida antes de começar a colaboração e deve se fundamentar em orientações já estabelecidas, tais como as do International Committee of Medical Journal Editors.
  17. Somente as pessoas que emprestaram contribuição significativa ao trabalho merecem autoria em um manuscrito. Por contribuição significativa entende-se realização de experimentos, participação na elaboração do planejamento experimental, análise de resultados ou elaboração do corpo do manuscrito. Empréstimo de equipamentos, obtenção de financiamento ou supervisão geral, por si só não justificam a inclusão de novos autores, que devem ser objeto de agradecimento.
  18. A colaboração entre docentes e estudantes deve seguir os mesmos critérios. Os supervisores devem cuidar para que não se incluam na autoria estudantes com pequena ou nenhuma contribuição nem excluir aqueles que efetivamente participaram do trabalho. Autoria fantasma em Ciência é eticamente inaceitável.
  19. Todos os autores de um trabalho são responsáveis pela veracidade e idoneidade do trabalho, cabendo ao primeiro autor e ao autor correspondente responsabilidade integral, e aos demais autores responsabilidade pelas suas contribuições individuais.
  20. Os autores devem ser capazes de descrever, quando solicitados, a sua contribuição pessoal ao trabalho.
  21. Todo trabalho de pesquisa deve ser conduzido dentro de padrões éticos na sua execução, seja com animais ou com seres humanos. 

VII SIEP - Simpósio de sistemas de Informação e Engenharia de Produção



Evento
O Simpósio de Sistemas de Informação e Engenharia de Produção é o principal evento da Universidade Federal de Ouro Preto - Campus João Monlevade - nas áreas de Sistemas de Informação e Engenharia de Produção. Reúne a comunidade acadêmica juntamente com empresários, consultores, engenheiros, administradores, analistas de sistemas e demais profissionais atuantes nas áreas de engenharia e de tecnologia da informação (TI) com um público esperado de 700 pessoas este ano.
Buscando aperfeiçoar a qualificação de seus participantes através da presença de grandes profissionais - dispostos a ministrar palestras, minicursos, cases – o SIEP é uma importante oportunidade para que os alunos e empresários interajam de forma mais concreta aprendendo as mais novas e adequada técnicas do mercado de trabalho.

Local do Evento:
Anfiteatro Centro Educacional
Av Wilson Alvarenga, 830, Carneirinhos
João Monlevade - MG

Fonte e demais informações: http://www.siepufop.com/

XII Conferência Anpei de Inovação Tecnológica será realizada em 2012 em Joinville

O evento tem se tornado uma referência no debate dos grandes temas nacionais ligados à inovação, atraindo cada vez mais interessados. 

Wanderlei Salvador

A ANPEI – Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras está anunciando oficialmente a realização, em Joinville, Santa Catarina,  da XII Conferência Anpei de Inovação Tecnológica que  acontecerá de 4 a 6 de junho de 2012.
 
A região de Joinville é considerada um dos grandes pólos de desenvolvimento e inovação no Brasil, comportando empresas de avançada tecnologia e altamente competitivas internacionalmente, o que pesou na decisão dos dirigentes da Anpei por realizar a XII Conferência no município, dotado de infraestrutura suficiente para abrigar o grande número de participantes desse evento.
 
Na última edição, realizada em meados deste ano, em Fortaleza, participaram  nada menos que 1.700 pessoas, do Brasil e do exterior, entre líderes empresariais, pesquisadores, cientistas e técnicos de universidades, empresas e governos. Em meio aos debates realizados, constatou-se a importância da adoção de inovações e da divulgação constante e sistemática das práticas inovadoras por parte das empresas para a necessária modernização do parque industrial e produtivo nacional.
 
O entendimento tirado do último encontro foi o de que só apostando e investindo na inovação as empresas brasileiras poderão sobreviver e se tornar protagonistas num mundo altamente competitivo e globalizado, com barreiras de acesso aos mercados de produtos com elevado valor agregado. Em razão dessas conclusões, o tema escolhido para esta XII Conferência deve ser “Inovar Agora: Competição Global e Sobrevivência Local”.
 
Devem participar da XII Conferência empresas de todos os portes, desde os grandes grupos, passando pelas médias, pequenas e micro empresas. Além das discussões e abordagens das seções plenárias, serão realizadas seções paralelas onde casos bem sucedidos serão apresentados pelos próprios executivos que efetivaram a inovação.
 
Essa pratica é única e própria das conferencias Anpei e demonstraram ser a forma mais adequada e testemunho vivo e útil na transmissão das melhores pratica e divulgação do conhecimento tácito junto ao setor produtivo. Comprovadamente esse é um dos pontos altos das conferências Anpei.
 

Javier Mariscal: para ser inovador, duvide

Javier Mariscal: para ser inovador, duvide

Acordo Ortográfico

Cartilhas e manuais

Acordo Ortográfico


Conheça o que muda com o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, já adotado em todos os textos e documentos produzidos pela Casa.  Acesse a cartilha online e saiba as novas regras. Faça o download também da cartilha em pdf e das listas de exercícios para colocar em prática o que aprendeu.

Cartilha e exercícios

Fonte e demais informações:  http://www.almg.gov.br/opencms/opencms/consulte/publicacoes_assembleia/cartilhas_manuais/arquivos/acordo_ortografico.html

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Especialista indica onde as pequenas empresas podem conseguir dinheiro para expandir e manter o negócio

Editado por Priscila Zuini, de
Dinheiro, notas de cem reais
Quais as principais fontes de crédito para pequenas empresas?
Respondido por Dariane Reis Fraga Castanheira, especialista em crédito


Com o objetivo de aumentar a competitividade da empresa, o gestor, após definir as estratégias de ação da empresa e elaborar o seu planejamento financeiro para os próximos anos, deverá buscar boas fontes de financiamento para colocar o seu plano em prática.
Essa tarefa é relativamente simples quando se trata de empresas de grande porte. No caso das pequenas empresas, esta questão se torna um grande desafio, e, dependendo da escolha do gestor, poderá levar a empresa a dificuldades financeiras.

O ideal é optar por fontes com taxas de juros mais baratas, cujos valores e prazos de pagamentos sejam adequados ao fluxo de caixa da empresa. As linhas de crédito oferecidas por instituições governamentais, muitas delas operacionalizadas pelos bancos comerciais, estão neste perfil.

O BNDES, por exemplo, oferece diversas linhas de crédito para as pequenas empresas. Entre as principais, estão linhas de crédito para investimentos em implantação, ampliação e modernização, para aquisição e modernização de máquinas e equipamentos nacionais ou para compra de bens de produção. Capital de giro, microcrédito e financiamento para produtores rurais e exportadores são disponibilizados pelo banco.

Quem vive em São Paulo tem a opção da
Nossa Caixa Desenvolvimento, a agência de fomento estadual. Eles oferecem crédito para projetos de investimento, compra de máquinas e equipamentos, capital de giro e franquias.

Para empresas com foco em ciência, tecnologia e inovação, a Financiadora de Estudo e Projetos (Finep) é uma alternativa aos bancos comerciais. A instituição oferece apoio financeiro a instituições públicas ou organizações privadas sem fins lucrativos e crédito para projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação.

Além dessas instituições, os empreendedores podem consultar outras opções no Manual de Instrumentos da PDP (Política de Desenvolvimento Produtivo), elaborado pelo Departamento de Competitividade e Tecnologia da FIESP (DECOMTEC).

É importante que os interessados pesquisem para conhecer melhor as instituições e os detalhes de cada uma das fontes de financiamento. Isso ajuda a identificar a opção que melhor atende as necessidades da empresa.

Dariane Castanheira, professora da Fia

Dariane Reis Fraga Castanheira
é mestre em administração, especialista em planejamento e controle financeiro e professora do PROCED/FIA.


Envie suas dúvidas sobre crédito para 
examecanalpme@abril.com.br
 
Fonte e demais informações: http://exame.abril.com.br/pme/dicas-de-especialista/noticias/quais-as-principais-fontes-de-credito-para-pequenas-empresas

Cerâmica mais densa

Dois pesquisadores brasileiros e um francês desenvolveram uma forma eficiente e barata de produzir sensores de alta qualidade com a aplicação de descargas elétricas no material cerâmico usado nesses produtos. A nova técnica permite o adensamento dos grãos cerâmicos das peças fabricadas na forma de pastilhas utilizadas em sensores para medir gases nos escapamentos de automóveis e na produção do aço nas siderúrgicas. Também entram na fabricação de sensores de temperatura, como os embutidos nos telefones celulares para detectar o aquecimento anormal do aparelho, e em alguns tipos de célula a combustível, equipamento que produz energia elétrica a partir de hidrogênio. A indústria confecciona essas peças hoje usando um equipamento importado que custa por volta de US$ 250 mil e submete um pó composto por uma mistura de óxidos – em geral, de zircônio e de ítrio – a pressões mil vezes maiores que a atmosférica e temperaturas de quase 1.500 graus Celsius por algumas horas. O resultado são pastilhas rígidas, bastante resistentes ao desgaste e à corrosão e capazes de suportar temperaturas elevadas. Em parceria com o pesquisador francês Michel Kleitz, os físicos Eliana e Reginaldo Muccillo conseguiram, ainda de modo experimental, criar outra forma de obter o mesmo tipo de produto. Mas consumindo muito menos dinheiro e energia.

No final de 2010, durante uma temporada de dois meses no laboratório chefiado pelo casal Muccillo no Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), Kleitz viu a oportunidade de testar uma ideia que começara a se formar dois anos antes. Em vez de contar com alta pressão e temperaturas elevadas para produzir peças cerâmicas de grãos finos e maior densidade – e, consequentemente, de melhor qualidade, já que as propriedades da cerâmica são determinadas pelo grau de compactação dos grãos –, o eletroquímico francês, pesquisador aposentado do Instituto Nacional Polítécnico de Grenoble (INPG), imaginou ser possível forçar a aproximação dos grãos de outra maneira. Ele lembrou de técnicas de soldagem e de estudos teóricos de outros grupos sugerindo que descargas elétricas poderiam contribuir para adensar os grãos cerâmicos com dimensões da ordem de nanômetros (milionésimos de milímetro). 

Montagem decisiva - Mas no laboratório do Ipen faltava um equipamento: uma fonte de energia para controlar a passagem de corrente elétrica pela amostra de cerâmica. Esse tipo de aparelho até é produzido comercialmente. Mas o importado custa US$ 18 mil e demoraria a chegar e o produzido no Brasil não ficaria pronto em menos de 90 dias. Reginaldo decidiu, então, pedir ajuda a outro físico, Yamato Miyao, professor aposentado do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (IF-USP). Miyao desenhou os circuitos da fonte e uma semana depois apareceu no laboratório do Ipen com o equipamento pronto. Parecido com um gabinete de computador, o aparelho permitiu realizar os testes iniciais, mas era preciso aperfeiçoá-lo. Duas semanas mais tarde, depois de gastar quase R$ 1 mil em peças na rua Santa Ifigênia, paraíso dos componentes eletrônicos no centro de São Paulo, Miyao retornou com o aparelho de que precisavam.

Reginaldo, Kleitz e Eliana submeteram 99 amostras de pastilhas cerâmicas fabricadas por eles no laboratório do Centro de Ciência e Tecnologia de Materiais do Ipen a uma série de testes em que ora mantinham a temperatura constante e variavam a intensidade da corrente elétrica, ora modificavam a temperatura conservando a corrente elétrica inalterada. Eles verificaram que ao expor o material por uns poucos segundos a uma corrente elevada e temperatura entre 970 e 1.150 graus Celsius foi possível produzir peças cerâmicas com grãos tão unidos quanto os obtidos pelo processo industrial tradicional, a sinterização rápida por plasma (spark plasma sintering).

Houve, porém, uma diferença importante. Com a nova estratégia, que denominaram soldagem rápida de grãos (flash grain welding), a compactação ou sinterização dos grãos ocorreu à pressão ambiente. A passagem de uma corrente elétrica alternada pela amostra provoca o aumento da temperatura no espaço entre os grãos e inicia uma agitação microscópica, fazendo os grãos se aproximarem. Essa técnica não necessita de equipamentos caros, afirmam os pesquisadores no artigo em que descrevem os resultados, aceito para publicação no Journal of the European Ceramic Society em apenas 22 dias. “Mostramos que no século XXI ainda é possível fazer ciência com bricolagem”, comenta Kleitz.

Os pesquisadores não sabem em quanto tempo o novo processo tornaria mais barato fabricar pastilhas de cerâmica de alta qualidade. A técnica precisa ser aperfeiçoada. Ao trocar os componentes da cerâmica, porém, as coisas não andaram tão bem. Em alguns casos, a temperatura no espaço entre os grãos se tornou tão elevada – atingiu mais de 2.000 graus – que os grãos se fundiram completamente, transformando a pastilha em vidro. “Há o dia da caça e o do caçador”, lamentou Kleitz.“Estamos tentando entender o que aconteceu. Atualmente fazemos um experimento por dia para tentar dominar a técnica com diferentes materiais”, conta Eliana. Eles estudam também a possibilidade de usar a técnica para produzir, em escala piloto, cerca de 200 pastilhas com as mesmas propriedades, o que demonstraria a viabilidade industrial.
Artigo científico

MUCCILLO, R. et al. Flash grain welding in yttria stabilized zirconia. Journal of the European Ceramic Society. v. 31, p. 1.517-21. jul. 2011.

Os projetos1 - Estudo de fenômenos intergranulares em materiais cerâmicos – nº 2005/53241-9
2 - Michel Kleitz, Conseil National de la Recherche Scientifique – França – nº 2010/51293-0
Modalidade1 - Projeto Temático
2 - Auxílio a Pesquisador Visitante
Co­or­de­na­dores1 - Reginaldo Muccillo – Ipen
2 - Eliana dos Santos Muccillo – Ipen
Investimento1 - R$ 802.674,39 (FAPESP)
2 - R$ 19.714,58 (FAPESP)
 

Pele artificial super flexível e transparente

Redação do Site Inovação Tecnológica - 25/10/2011
Pele artificial super flexível e transparente
Os pesquisadores garantem que sua pele artificial consegue detectar deste o toque de um dedo até a pressão de um elefante equilibrando-se em uma única pata.[Imagem: Steve Fyffe/Stanford] 
Sensível, transparente e flexível
Cientistas da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, criaram uma das mais versáteis peles artificiais já fabricadas até hoje.

Com um projeto extremamente simples, o material poderá ser usado da área biomédica até a robótica.

O primeiro avanço está em uma flexibilidade incomparável, que permite que o material seja esticado repetidamente até o dobro do seu tamanho e retorne à dimensão original sem apresentar rugas e sem variações em seu funcionamento.

A segunda melhoria está em uma sensibilidade muito maior, capaz de detectar desde um leve toque até pesos na faixa das toneladas - os pesquisadores falam na pressão de um elefante equilibrando-se em uma única pata.

E estas duas características funcionam em conjunto, ou seja, a função de sensor funciona tanto se a pele estiver sendo esticada quanto se ela estiver sendo comprimida como uma esponja.
Finalmente, a nova pele artificial é transparente, permitindo aplicações em próteses artificiais, robótica e até em um novo tipo de tela sensível ao toque, que use materiais mais baratos e mais robustos.

Nanomolas

Darren Lipomi e seus colegas usaram nanotubos de carbono dispostos de forma a funcionarem como molas.

Os nanotubos em uma suspensão líquida são espalhados sobre uma fina camada de silicone. Durante sua pulverização, os nanotubos tendem a se aglomerar em formatos totalmente aleatórios.

Um primeiro puxão faz com que eles se alinhem no sentido do esticamento. Quando o silicone é solto, voltando à sua dimensão original, os nanotubos se contorcem, formando as "nanomolas".

O mesmo procedimento pode ser repetido em qualquer direção.
"Depois de termos feito essa espécie de pré-esticamento dos nanotubos, eles se comportam como molas e podem ser esticados sucessivas vezes, sem qualquer alteração de formato," garante a professora Zhenan Bao, coordenadora da pesquisa.

Funcionamento sensorial

As nanomolas de nanotubos dão à pele artificial a capacidade de esticamento e retorno à dimensão original sem rugas, além da condutividade elétrica.

Mas, para que possa ser chamada realmente de pele artificial, ela precisa se transformar em um sensor totalmente autocontido.

A capacidade sensorial é obtida usando duas camadas do silicone com nanotubos, orientadas para que as camadas pulverizadas de nanotubos fiquem face-a-face, separadas apenas por uma fina camada de um outro tipo de silicone, menos resistente, mas ainda mais flexível.

Essa camada interna armazena cargas elétricas de forma muito parecida com uma bateria. Quando o silicone recebe uma pressão, essa camada interna é comprimida, alterando a quantidade de carga elétrica que ela consegue armazenar.

Essa mudança é detectada pelos dois filmes de nanotubos de carbono, que funcionam como os terminais positivo e negativo de uma bateria. Basta então monitorar esses dois "terminais" para detectar a alteração de pressão.

Aplicações da pele artificial

A equipe da Dra. Bao já havia criado uma "super pele artificial", com sensibilidade superior à da pele humana.

Mas esta nova abordagem é mais simples, dispensando toda a eletrônica e a alimentação elétrica - e, além disso, tem uma capacidade sensorial muito superior.

Entre as possíveis aplicações de sua pele artificial, os pesquisadores listam telas e monitores, interfaces, células solares, bandagens, sensores biomédicos, biofeedback, dispositivos médicos implantáveis e robôs.

Bibliografia:

Skin-like pressure and strain sensors based on transparent elastic films of carbon nanotubes

Darren J. Lipomi, Michael Vosgueritchian, Benjamin C-K. Tee, Sondra L. Hellstrom, Jennifer A. Lee, Courtney H. Fox, Zhenan Bao
Nature Nanotechnology
23 October 2011
Vol.: Published online
DOI: 10.1038/nnano.2011.184

Fonte e demais informações:  http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=pele-artificial-flexivel-transparente&id=010180111025

Governo de Minas e Fiemg buscam aproximação entre empresas e universidades

  Brasília, 24 a 26 de outubro de 2011 - Nº 1086 - Ano 11

O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais, Narcio Rodrigues, se comprometeu junto à diretoria da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) a estreitar a relação com o segmento empresarial. A ideia é trabalhar pela aproximação do setor produtivo com a academia e centros de pesquisa. 

     Em reunião na última terça-feira (18), na sede da federação, em Belo Horizonte, Rodrigues expôs vários projetos em andamento na Sectes, alguns deles em parceria com empresas e universidades. A expectativa é estabelecer uma agenda conjunta para fazer com que a inovação chegue à sociedade mais rápido. “Há grande interesse do governo mineiro em continuar atraindo centros de pesquisa, desenvolvimento e inovação para o Estado”, afirmou.

     Também entrou em debate a bienal do design com sede em Minas Gerais; o complexo aeronáutico que integrará os polos de Itajubá, Tupaciguara, Lagoa Santa; o aeroporto de Goianá, na zona da Mata; e a criação de novos cursos para tecnólogos e engenheiros como uma vertente na inovação.

     (Com informações da Sectes) 


Fonte e demais informações: http://www.gestaoct.org.br/

Mais de 30 empresas de pequeno porte terão acesso à capital semente via BNDES

Brasília, 24 a 26 de outubro de 2011 - Nº 1086 - Ano 11

Dados divulgados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), na última semana, apontam que pelo menos 36 empresas nascentes terão acesso à capital semente por meio do Criatec. Em operação desde 2007, o fundo é voltado para micro e pequenas empresas inovadoras e tem patrimônio da ordem de R$ 100 milhões.
     Serão contempladas, segundo o BNDES, empresas de variados setores e regiões do país. Até o próximo mês, estará aberto o período de investimento para o Criatec. Em seguida, terá início o ciclo de desinvestimento, com duração prevista até novembro de 2017.
     O fundo contempla empresas com faturamento líquido de até R$ 6 milhões, no ano imediatamente anterior à capitalização do fundo, dos setores de tecnologia da informação, biotecnologia, novos materiais, nanotecnologia, agronegócios, entre outros.
     Do total do patrimônio do Criatec, 80% são subscritos pelo BNDES e 20% pelo Banco do Nordeste. Somente para a efetivação de novos aportes em empresas já investidas foram destinados R$ 20 milhões. Além do aporte inicial de até R$ 1,5 milhão, as companhias que estiverem com desempenho acima da média poderão receber, na fase de aceleração, novos investimentos até o teto de R$ 3,5 milhões.
     Informações sobre o Criatec estão disponíveis neste link.
     (Com informações do BNDES) 

Fonte e demais informações: http://www.gestaoct.org.br/